3 em Autoestima/ Comportamento/ Convidadas/ Destaque no dia 20.11.2017

Um recorte neste dia da Consciência Negra – por Maraisa Fidelis

Oi, prazer! Meu nome é Maraisa Fidelis, tenho 28 anos, marketóloga por formação e blogueira como profissão. Mulher negra.

Quando as meninas me convidaram para escrever em um dia com tanto significado (ainda mais no Brasil que muitas pessoas JURAM não existir racismo), fiquei pensando “Mas sobre o que abordarei no Futi? Como vou começar um assunto num blog que não é o meu e que preciso ter cuidado com minhas palavras?”

Eis que lembrei de algo que sempre paira em alguns momentos da minha vida. Quando saio para jantar, quando vou em determinados shoppings, quando visto determinadas roupas, nos meus vídeos, nas minhas postagens e até mesmo em olhares.

Mas Maraisa, do que você está falando? Do racismo sofrido todos os dias? Do que as pessoas te falam? De palavras agressivas? Não! Eu estou falando de algo que nem todos percebem mas incomoda: PESSOAS NEGRAS COM ASCENSÃO FINANCEIRA.

Comecemos do início (de maneira beeeem resumida). No Brasil, logo após a abolição da escravatura, os negros não tinham para onde ir. Sim, não eram mais escravos porém onde morariam? Do que viveriam? Foram libertos porém sem suporte algum. Sendo assim, muitos continuaram trabalhando para seus “senhores” em troca de apenas comida e lar; enquanto outros se afastaram dos centros urbanos. Por que se afastaram? Porque não eram bem quistos! Foram para as periferias. Dito isso, quem não entende porque a grande maioria dos negros moram em periferias, começa a elucidar a mente.

Os anos passaram e como nunca o Brasil fez algum plano para igualar essa dívida, para fazer com que os negros que herdaram essa exclusão da sociedade fossem incluídos novamente; a população cresceu acostumada. Acostumada com o fato de negro ser pobre, ser de periferia, não ter estudo e sempre trabalhar em empregos que não geram grande renda.

Porém, a história não se repete com TODAS as pessoas. Mesmo porque pessoas são diferentes e pessoas lutam para o melhor. Negros lutam e PRECISAM provar 2, 3, 10x mais que são melhores. Sim, creia, não basta eu ser formada, eu preciso provar muito mais do que uma mulher branca com a mesma idade e mesma formação simplesmente porque sou NEGRA. E a sociedade já parte do pressuposto que sou inferior.

Vou focar na minha vida agora tá? Acontece que nem todo negro é pobre, nem todo negro tem uma história de superação mostrando que saiu de uma comunidade, estudou e cresceu na vida. (O que eu admiro pra caramba e acho maravilhoso!).
Existem negros que desde pequenos estudam em colégios particulares sim. Eu e minha irmã. Nossos pais (também negros), trabalharam muito, mas MUITO para nos dar todo o suporte possível. Estudei 15 anos em colégio católico aqui em São Paulo e depois fiz a minha faculdade com meus pais pagando. Minha vida não foi de luxos, mas nunca me faltou NADA. Se eu queria o tênis da moda, eu tinha. Se eu queria comprar uma roupa na loja que todo mundo do colégio comprava, meus pais realizavam. E assim eu cresci sabendo que eu sempre posso mais e que a minha base foi boa o suficiente para eu ver que o céu é o limite.

Pois eu volto no começo do post e digo: negros quando consomem luxo incomodam. MARAISA VOCÊ TÁ LOUCA? Não, eu não estou. Incomoda por diversos motivos! Ao entrar em uma loja para comprar carteira a gente escuta “Vocês são daqui?”. Porque né? Para estar no Cidade Jardim comprando uma carteira em loja de luxo não pode ser uma família brasileira. Ao postar uma foto com a minha bolsa da Gucci um dos primeiros comentários que recebo “Essa bolsa é original?”. Mas Mara! Muitas pessoas usam bolsas falsas, não foi pessoal…. Ah para! Primeira bolsa mais cara que posto e as pessoas vem com essa? O pior que foi uma mulher negra. Falo de alguns livros que estou lendo e escrevem “Você tem faculdade?” Porque NOSSA COMO ELA FEZ UMA FACULDADE PAGA SEM SOFRIMENTO ALGUM?

Triste ver que algo a ser comemorado, algo que as pessoas deveriam ficar felizes, se torna um ponto questionável. Por que toda mulher negra tem que contar uma história de vida sofrida para sua luta ser validada? Por que o consumo de luxo por uma mulher negra passa a ser julgado e ela tida como “PRETA METIDA”? Por que ao invés de nos inspirarmos, apontamos o dedo e falamos “Ai, você usa muita coisa cara, as pessoas negras não tem dinheiro para isso, você deveria saber”

E VOCÊS ACHAM QUE EU NÃO SEI? É óbvio que eu sei! Não nasci ontem e sou muito lúcida do que acontece ao meu redor. Porém, quero que TODAS as mulheres negras se sintam capazes;  que todas as mulheres negras olhem e pensem “EU POSSO CHEGAR LÁ”. Eu quero viver num mundo onde, com o tempo, as políticas igualitárias melhorem e eu consiga ver muitas pessoas negras em centros de compras de luxo sem questionamentos ou pessoas apontando o dedo.

Essa é uma das minhas lutas e eu achei interessante comentar por aqui. Que passemos a admirar as pessoas negras que “chegaram lá”; que nos inspiremos e não duvidemos de sua capacidade intelectual. Que entendamos, de uma vez por todas, que negro consome luxo sim. Obviamente em menor quantidade do que os brancos (devido a herança histórica que é assunto para outro post), mas estamos aqui. E estaremos em todos os lugares.

Beijos
Maraisa Fidelis

Gostou? Você pode gostar também desses!

3 Comentários

  • RESPONDER
    kate
    20.11.2017 às 13:36

    Você está certissima Mara………e infelizmente uma das formas de diminuir esse abismo é pela educação……pobre no Brasil tem pouca chance de ascenção social porque não recebe educação de qualidade – o que se torna um ciclo vicioso (teve uma educação básica ruim, e quando chega na universidade (paga, porque na pública não consegue – esta está reservada aos alunos oriundos de escolas pagas) tem que trabalhar para conseguir pagar a mensalidade, ou escolher uma mensalidade que caiba no bolso, o que muitas vezes, o obriga a ir para uma faculdade ruim. Formado – vai concorrer a um emprego, que vai ser escolhido, o aluno que veio da boa universidade pública (rico) ou o da universidade ruim (pobre)? o pobre com diploma continua a ter empregos mal remunerados. Infelizmente o governo populista do PT achou que bastava dar acesso, aos trancos e barrancos, à universidade, e agora os formandos desses cursos não estão conseguindo emprego, continuam com as mesmas opções de antes. Quem ganhou somente foram os que abriram universades para receber o dinheiro vindo do FIES. Pergunto: onde estão os grupos que defendem a minoria pobre, negra, discriminada? porque não lutaram para melhorar a educação básica, ao invés de apoiar o populismo? Quando vejo artistas defedendo o causa na tv, me parece que é mais fácil ir para a tv e falar que quando o filho está na calçada outras pessoas atravessam a rua……………do que pedir mais investimentos em educação de qualidade, ou em cursos profissionalizantes – a universidade não é o único caminho para o sucesso profissional, e aliás tem muito curso profissionalizante que remunera bem melhor. Acho que a saída está aí, cobrarmos por uma educação básica melhor.

  • RESPONDER
    Camila
    20.11.2017 às 15:10

    Que arraso!

  • RESPONDER
    Edjane
    24.11.2017 às 14:09

    Tudo que ela disse é verdade só quem é negro sabe o quanto sofremos com isso não tem nada de mimimi e sim realidade

  • Deixe uma resposta