0 em Book do dia/ Comportamento/ Destaque no dia 04.08.2017

Book do dia: A história do novo sobrenome, de Elena Ferrante

Acho que eu realmente estava precisando de uma série que me prendesse tanto quanto a Série Napolitana de Elena Ferrante está me prendendo. Eu já sabia que seria sensacional, fazia tempo – aliás, acho que desde que Jojo Moyes estourou – que eu não via tanta gente elogiando e indicando uma autora.

Era uma escolha sem erro mas que estava alimentando uma expectativa que eu não queria ter. Para o meu alívio, não me decepcionei. O meu problema atual é que eu tento arranjar qualquer tempo livre, que não é muito, para continuar a leitura, e isso tem me feito dormir mais tarde na maior parte das vezes. hehehe

Pois bem, A História do Novo Sobrenome é o segundo livro da série de Elena Ferrante. Agora é a vez de sabermos a história da adolescência e do início da vida adulta de Lenu e Lila, e eu vou botar uma parte da sinopse aqui para quem se interessar:

“Envolvente e com a costumeira cadência impecável, a narrativa de História do novo sobrenome dá espaço para reflexões profundas a respeito da subjetividade, da sexualidade, do amor e, sobretudo, do papel imposto à jovem mulher em meados do século XX ― contraponto construído entre as duas personagens centrais, às voltas com as restritas possibilidades de escolha, mas ao mesmo tempo surpreendidas pelas descobertas acerca de suas próprias capacidades e seus limites.”

Em junho eu comentei que o primeiro livro me deu alguns insights sobre amizades tóxicas, e eu diria que a História do Novo Sobrenome só me fez reforçar a impressão que eu tive no primeiro. A amizade entre Lila e Lenu já não era saudável na infância e começo da adolescência e com certeza ficou mais complicada ainda a medida que elas foram entrando na vida adulta e a competição foi se estendendo a relacionamentos e sexualidade, fazendo com que ambas tomem muitas decisões pelos motivos errados.

Outro dia eu li um comentário que resume muito bem a história das duas nesse livro em específico, vou reproduzir aqui com o que eu lembro, mas era mais ou menos assim: em “A história do novo sobrenome” elas não passam muito tempo juntas, mas a presença de Lila está ali, do lado de Lenu durante o livro inteiro, ora como uma sombra, ora como um sol. E é muito isso.

O que eu mais tenho gostado nas histórias da Elena é que nem Lila nem Lenu são mocinhas ou vilãs. Elas são duas personagens muito humanas, que cometem erros, que sentem inveja, que têm uma autoestima muito frágil e que são vítimas da cultura machista e com toques da máfia napolitana do lugar em que vivem.

Aliás, como a sinopse conta, nesse livro a gente consegue ver claramente como o machismo é cruel com as mulheres. De maneira realista (acho inclusive que algumas passagens podem trazer gatilhos) somos expostas a abusos emocionais, sexuais e violência, sendo que tudo acontece e é encarado de forma passiva e até mesmo permissiva pelas personagens femininas, afinal, aquela vivência é tudo que elas conhecem.

Voltando para as duas amigas centrais, um ponto que eu encaro super positivo é o fato da história ser contada por uma Lenu nem sempre imparcial mas totalmente consciente de seus defeitos e erros, fazendo com que a gente consiga sentir raiva, empatia e carinho pelas duas personagens principais. Achei incrível como em um momento eu estava com ódio de Lila e no minuto seguinte ela conseguiu me fazer ter pena.

A narrativa não é rápida e cheia de acontecimentos mas a leitura é super envolvente e faz tempo que não vejo personagens tão cheios de nuances que me fazem querer saber mais da vida deles a cada livro que passa (e só de pensar que no primeiro eu estava reclamando que era muita gente pra gravar, né? Mudei de opinião).

Já comecei o 3o. livro da série, “História de quem foge e de quem fica”, e em breve ele deve aparecer por aqui! Eu disse que ia fazer intensivão da autora aqui no Book do dia :)

Quem tá lendo (ou já leu) a Série Napolitana por aqui? Gostaram? Tão curtindo? Me contem!

Gostou? Você pode gostar também desses!

Sem Comentários

Deixe uma resposta