1 em Viagem no dia 11.07.2017

Gorges du Verdon, um paraíso na Provence

Quando eu fiz o post sobre a Riviera Francesa, falei sobre Gorges du Verdon, um lugar que não é exatamente perto da Côte d’Azur mas se você estiver de carro dá para chegar em 2 horas.

Descobrimos esse lugar através de indicação de amigos e resolvemos procurar dicas na internet para saber como chegar, o que levar, etc. Em todos os sites que vimos uma frase se repetia: as fotos não fazem jus ao que é na vida real. Estou aqui para engrossar o couro: é pura verdade.

Gorges significa “garganta” e é exatamente que isso é, já que o lago vai se estreitando em meio a um vale com montanhas que chegam até 700m de altitude. A parte mais turística é o Lac Sainte Croix, uma barragem de água azul no tom de turmalina paraíba (ia falar turquesa, mas turquesa não faz jus ao tom de azul, por incrível que pareça) onde pode-se alugar caiaques, barcos elétricos e pedalinhos para curtir o lugar. É de tirar o fôlego MESMO.

Aliás, seu fôlego já vai sumindo a medida que você vai se deparando com esse tipo de paisagem durante a viagem:

A natureza é bem sábia, porque entendeu que precisava mostrar lugares maravilhosos no meio do caminho para fazer a gente aguentar a estrada. Ela é sinuosa (quem enjoa fácil, vai preparada) e eu diria que em muitos trechos é até perigosa, já que além de mão dupla com uma pista super estreita, vários trechos não têm muretas para separar os carros dos desfiladeiros.

Assim que você chega lá, perto do lugar para alugar transportes aquáticos

O ideal é ir no verão já que os esportes aquáticos só funcionam até determinada época do ano (acho que até outubro). Vale muito a pena passear pelo rio e dar muitos mergulhos, porque a água é calma e quentinha. Uma delícia!! Quando vimos as fotos realmente ficamos com medo de ser um lugar complicado para levar o Arthur, mas Gorges du Verdon é um passeio bem eclético. Vimos famílias, casais, gente com criança, com bebês, galera de 20 e poucos anos e até mesmo pessoas com seus cachorros. Ou seja, sem restrições mesmo!

Chegamos às 15h e fomos embora por volta das 17h. Foi o suficiente para aproveitarmos o pedalinho (se não me engano custou 15 euros a hora), andarmos muito pelo lago e aproveitarmos a água maravilhosa. A semana que ficamos na Riviera Francesa estava com o tempo bem encoberto mas escolhemos o único dia de céu realmente azul para irmos para Gorges du Verdon e acho que foi uma decisão bem acertada, já que não sei se o lugar teria cores tão sensacionais ou uma água tão gostosa em um dia nublado. Chovendo definitivamente não vale a pena, a começar pela estrada!

a cor da água é muito parecida com essa, foi o mais próximo que consegui chegar em foto!

Nós levamos água, sanduíches, toalhas e muitos biscoitinhos para o Arthur (além de fraldas, fraldas para nadar e um colete para ele ir na água), o que foi bom porque nas margens do lago só vimos uma barraquinha que vendia bebidas. Nós comemos em um restaurante que achamos bonitinho na estrada, e isso foi uma escolha BEM ERRADA. Achamos que já estávamos chegando e no restaurante descobrimos que estávamos na direção errada, ou seja, ainda tinha mais 1 hora de estrada sinuosa – com a barriga cheia. Resultado, eu enjoei demais e Arthur vomitou (o que me fez ter certeza que eu preciso andar mais bem prevenida no quesito lenços umedecidos rs) e por alguns segundos passou pela minha cabeça o que eu estava fazendo naquele fim de mundo.

Obviamente esse pensamento foi embora no segundo que chegamos, assim como foi embora qualquer pensamento! Enquanto a gente pedalava eu só aproveitei o calor, a água deliciosa e as paisagens maravilhosas. Foi uma experiência renovadora, mesmo com um Arthur doido pela água querendo ficar toda hora no lago e exigindo da gente atenção extra. Aliás, quem estiver indo com criança pequena, sugiro pagar mais caro e usar o barco elétrico (35 euros a hora). É bem mais caro, mas a volta de pedalinho foi bem chata já que estávamos contra o vento precisando pedalar forte enquanto o Arthur tentava sair do nosso colo para chegar perto da água. No barco elétrico seria mais simples, pois enquanto um dirigia o outro poderia cuidar do Arthur sem perrengues.

Se eu fosse repetir essa viagem, além de não ir de pedalinho, provavelmente eu passaria uma noite em Moustiers Sainte-Marie ou em Aiguines, cidades que ficam coladas em Gorges du Verdon, só para aguentar a estrada e aproveitar mais a região. As cidadezinhas são charmosas e pequenas, no fim das contas é uma programação diferente e gostosa.

Arthur aguentou o tranco muito melhor do que eu esperava. Mesmo passando mal, ele AMA água, então ele se sentiu em casa nadando no lago. E é claro que foi só voltar para o carro, para ele apagar imediatamente. rs

Conhecer essa parte da França só me deixou com mais vontade de conhecer o resto da Provence, os campos de lavanda e girassol, vinícolas e outras atrações que só essa região pode oferecer!

Quem se interessou, está com planos de conhecer o sul da França e quer incluir Gorges du Verdon em sua viagem, é só colocar no GPS o nome das cidades de Aiguines ou Moustiers Sainte Marie e ter atenção redobrada na estrada. A certeza é que não tem como não amar! <3

Gostou? Você pode gostar também desses!

1 Comentário

  • RESPONDER
    Maiara
    11.07.2017 às 21:37

    Que fotos lindas, Carla!

  • Deixe uma resposta