5 em Autoestima/ Destaque no dia 03.05.2017

Piquenique do papo: um dia frio no parque em São Paulo

Há algum tempo eu comprei uma passagem para São Paulo para o casamento de uma amiga. Quando me vi gastando minhas milhas, resolvi aproveitar a situação e fazer o melhor uso de tudo isso. Cheguei um dia antes, pude aproveitar para ir a um evento bem bacana e ainda fiz uma reunião incrível que pode render muita coisa bacana pro futi.

Quando me vi com um sábado livre, pensei: posso aproveitar para fazer alguma bagunça em São Paulo, né? Resolvi adiantar a ideia do piquenique do Rio e fazer o primeiro de todos em SP. Assim o #paposobreautoestima teve seu primeiro evento paulista, que serviu de termômetro pra vermos se existe força pra uma pool party do #paponapiscina na cidade ou algum evento maior.

Se o piquenique fosse em BH eu estaria tranquila, afinal estou sempre recebendo mensagens da mulherada mineira querendo encontrar para bater esse papo sobre autoestima. Como o evento era em São Paulo, eu confesso que me preparei para no fim das contas estarmos eu e mais umas 5 ou 6 amigas numa tarde no parque. Baixei as expectativas – e fui surpreendida.

Mesmo com a previsão de chuva – um clichê na terra da garoa – o nosso convescote aconteceu de forma surpreendente. O dia anterior foi o mais frio do ano na cidade, na noite anterior eu sofri com os 14ºC e acordei no sábado bem desencorajada. Imagina que 37 mulheres (a quantidade de confirmadas no evento do Facebook) iriam sair de casa com 16ºC pra passar frio no parque?

Pois é? Achou difícil? Se enganou como eu. A mulherada de São Paulo, que mora lá o ou que foi para a cidade por causa do nosso encontro não só compareceu como fez bonito. Algumas das pessoas confirmadas ficaram doentes, todas me avisaram (sério, que gentileza), outras pessoas levaram uma amiga ou outra mulher que gosta do tema e, no fim, tivemos o número previsto de pessoas, contando quem foi chegando depois ou saindo antes.

O piquenique foi totalmente diferente da nossa festa na piscina! Por que? Simples, ele não tinha o intuito de celebrar a quebra da inadequação de corpos, ele não era sobre se sentir livre com seu corpo e curtir um verão sem padrões, ele não era sobre nada especifico. Ele era sobre encontrar pessoas com quem conversamos no grupo do blog no facebook, o “um papo sobre autoestima por futilidades”.

O encontro era informal, tudo foi feito por todo mundo junto, para todo mundo junto. A Maraisa Fidelis do Beleza Interior comandou a decoração junto com outras amigas (beijo Mona, beijo Mari, beijo Rosa)! As comidas, bebidas e vinhos ficaram à cargo de todas, cada uma levou uma coisa e o nosso piquenique foi bem farto.

No caso de São Paulo, o evento contou com brindes de marcas que gostam da proposta do projeto: Bio Extratus, La Roche Posay, Benefit e Lush. Toda vez que eu vejo tanta marca legal apoiando o Futi e nossas propostas me dá um aconchego no coração. <3

As convidadas? As leitoras do Futi que participam, leem, comentam, curtem ou postam no nosso grupo do Facebook. Quem fosse participante do grupo ou apaixonada pelo blog podia se juntar a nós. O evento não envolvia patrocinadores, foi feito, organizado e financiado pelo coletivo. Dessa vez eu não queria produzir conteúdo, eu realmente queria bater UM PAPO SOBRE AUTOESTIMA. Sobre relacionamentos amorosos ou familiares, sobre imagem, sobre empreender sendo mulher e muitas vezes sonhando pequeno, sobre as dificuldades de ser mãe e ter que dar conta de tudo, sobre a pressão de superar um término num tempo ideal ou sobre a forma como a pessoa vê seu próprio corpo.

Falamos sobre tanta coisa, cada uma foi se apresentando, dizendo seu nome, idade, onde mora e contando sua ligação com o grupo. A cada apresentação era uma emoção. Tiveram choros de superação, de gratidão e de dor. Muita gente se abraçou, se deu as mãos e aos poucos mulheres iam contando suas histórias para ajudar outras mulheres. Mediar esse papo falando dos textos do blog e das minhas histórias foi tão incrível pra mim. Ouvir cada uma das histórias foi engrandecedor. Eu que estava com medo de ficar ali com 5 amigas, sai de lá com mais de 30 mulheres no meu coração. Não contei ao certo. Os 35 brindes acabaram, as lágrimas também, os abraços não. Acho que nunca dei tantos abraços.

Pequenas coisas me emocionaram muito! A Raquel, que fez várias embalagens de brownies escritas à mão pra todo mundo provar os vários sabores que ela fez pela primeira vez, a Mari que trouxe uma torta feita pela mãe dela do Rio, a Tati que levou o famoso bolo da mãe dela também, a Fê que fez um colar pra cada menina que foi, as meninas que vieram de outras cidades do estado de São Paulo, as mineiras que pegaram um carro para estar ali e me contaram cheias de emoção os motivos pelos quais o grupo faz diferença na vida delas, a Gabi que ficou horas e horas aquecendo e cuidando do bebê Antonio para que ele participasse de tudo junto com ela. Teve mãe que deixou o filho pela primeira vez, teve mulher abrindo o coração e contado coisas que nunca disse antes em voz alta. Teve de tudo, foi absolutamente especial, pra mim é impossível de colocar em palavras. A apresentação rápida que precederia um bate papo foi O bate papo (obrigada May <3 por essa ideia). Ver que o projeto que eu e Carla idealizamos se tornou algo tão forte na mão de mulheres incríveis é motivo pra muita gratidão.

Eu pessoalmente me emocionei com muitas histórias, me vi em fases diferentes da minha vida em muitas delas. Cada uma contou um pouco do que na sua história podia fazer diferença na da outra. Foi como no grupo, mas ao vivo, com abraços no meio. Aprender a falar e a ouvir, a ter empatia e incentivar o amor próprio, o autoconhecimento e o acolhimento consigo foi muito gostoso. Muitas se mostraram muito rígidas consigo mesmas, acho que a troca ajudou numa proposta de menos cobrança e menos rigidez. Amorosidade e acolhimento novamente foram as palavras chave.

Eu não tenho palavras pra agradecer à essas mulheres. Por terem feito acontecer, por terem levado comidas, copos, bebidas, toalhas e por terem se preocupado com o evento com tanto amor e carinho. Sem falar no principal, por terem se aberto dessa forma e demonstrado tanto amor, queria ter conseguido levar um pouco disso tudo pra Carla num potinho, apesar de ter tentado fazer um FaceTime mesmo com a internet atrapalhando um pouco! <3

Jamais vou esquecer esse dia, que tinha tudo pra ser congelante, mas eu sai com o coração quentinho. 

Obrigada

Beijos

Fotos: Caroline Barrionuevo (@carolinebarrionuevo)

Gostou? Você pode gostar também desses!

5 Comentários

  • RESPONDER
    Maiara Borges
    03.05.2017 às 17:50

    Emocionante esse relato. Queria estar presente. Torcendo para que saia um encontro em Brasília! Beijos

  • RESPONDER
    Lis
    04.05.2017 às 0:16

    Primeiramente: vem pra SP Joana <3 vem ser minha roomie! hehehehe

    Segundamente: foi lindo, foi amor e foi renovador! Incrível essa vibe que temos e que compartilhamos lindamente!

    Quero estar nos próximos ao redor do Brasil :D

    • RESPONDER
      Joana
      04.05.2017 às 0:38

      <3 obrigada por toda ajuda!
      Queria ter uma casa ai e outra aqui, não nego!
      Essa viagem me fez um bem danado.

  • RESPONDER
    Amanda
    04.05.2017 às 14:46

    Oi Jô, eu pedi para fazer parte do grupo no face, me aceita lá ;) Bjão

  • RESPONDER
    Patrícia Reis
    04.05.2017 às 21:27

    Foi intenso e acolhedor !! Encontro lindo.
    Partilhar, entender, respeitar e ouvir o outro é crescimento, amorosidade.
    Obrigada pelo encontro, obrigada pelo grupo, obrigada pelo carinho.
    Beijos

  • Deixe uma resposta