3 em Autoestima/ Moda no dia 23.03.2017

O que a sua insegurança já te impediu de vestir?

Estava dando uma olhada nos blogs das amigas e me deparei com esse post da Cony, que fala sobre a gente não ter medo de usar certas peças porque elas remetem a ícones da cultura pop. Aí lembrei de uma história que aconteceu comigo quando eu devia ter uns 20 anos.

Estava numa Zara e me apaixonei por um casaqueto preto com detalhes bordados dourados. Sabe quando você bota uma roupa e se sente muito poderosa? Era eu. Naquele segundo que eu botei e olhei no espelho, eu me senti incrível. Eu tinha dinheiro para comprar, eu estava me sentindo bem até que meu marido – na época, namorado – vira e fala brincando: “Michael Jackson, é você?”

Meu marido nunca foi de dar pitacos nas minhas roupas, nunca me disse o que usar ou não usar, mas é inegável que há 10 anos eu era extremamente insegura. Eu lembro muito bem que essa era uma época que eu queria achar meu estilo, minha personalidade fashion, então, ao ouvir que eu estava parecida com o Michael Jackson, eu não conseguia encarar como um elogio – já que ele é um ícone da moda até hoje, convenhamos – e sim como se eu estivesse me fantasiando, não mostrando minha personalidade. Que besteira.

Eu hoje: “Nossa, ce tá parecendo uma paquita com essa roupa” – “Sério? Peraí, deixa eu pegar meu chapéu pra complementar o look”.

Só sei que um tempo depois eu voltei na Zara sozinha e achei o tal casaqueto na liquidação, metade do que eu pagaria se tivesse levado anteriormente. Experimentei empolgada, mas foi só me olhar no espelho que a empolgação que eu tive daquela vez não aconteceu. Não me senti linda, não me senti poderosa, me senti uma cópia mal feita de alguém originalmente com estilo. E saí super chateada por vários motivos. Por ter sido influenciada a não comprar algo que tinha amado por causa de uma brincadeira, por estar me sentindo sem personalidade e, acima de tudo, por me sentir insegura.

Hoje eu vejo que ter o aval das pessoas próximas era essencial. Eu precisava ouvir que estava bonita, que a peça que eu vestia era linda para ter certeza que tinha feito uma boa escolha. Caso contrário, qualquer brincadeira já era o suficiente para desmoronar minha frágil segurança fashion, que mais parecia um castelinho de cartas.

Nessas horas nada mais reconfortante que uma boa dose de maturidade. Perceber que o mundo trabalha com referencias e que é maravilhoso se inspirar em quem você admira. Se alguém me disser que estou parecendo o Michael Jackson – ou uma paquita, ou os Beatles em Sgt. Pepper’s – quero mais é abrir um sorrisão e falar: “é isso aí, que bom que meu objetivo foi alcançado!”

Mas para quem acha que esse assunto de insegurança na hora de se vestir está muito bem resolvido para mim, que nada. Aprendi a não ligar para a opinião dos outros no que eu visto, mas ainda sou encanada com várias peças como cropped, decotões ou vestidos muito justos. Minha relação corpo-roupas ainda é uma questão em vários momentos, mas estou tentando superar certas limitações. Outro dia mesmo, ousei experimentar um vestido com decote gigante, logo eu, que evito a maioria por complexo de peitão. Quem sabe eu não aprendo a lidar com essas questões??

Gostou? Você pode gostar também desses!

3 Comentários

  • RESPONDER
    Aline Freitas
    24.03.2017 às 8:42

    Carla, você não está sozinha neste sentimento, e acho que é muito comum. Hoje eu tenho mais segurança em me vestir como eu quero e posso, ontem mesmo saí de jeans, camiseta cinza e um colete alfaiataria cáqui, durante o trabalho me olhei no espelho e pensei “nossa, esse parece o uniforme do pessoal que nebuliza os focos da dengue” e dei risada sozinha! Acho que o fato de não me levar muito a sério me ajuda a superar isso, e me dá mais segurança!
    Obrigada por dividir isso conosco :*

  • RESPONDER
    Natalie
    24.03.2017 às 8:59

    Nossa super me identifiquei com esse post. Quando eu era mais nova – ainda sou nova (25 anos) – eu era muito apegada com opinião dos outros, efeito esse da minha timidez e insegurança, e nunca conseguia sair da calça jeans e camisetinhas básicas. Até que chegou a adolescência e por influencia da minha irmã, veio a paixão por rock. E a partir daí foram os cabelos coloridos, colares e a minha grande paixão, sapatos diferentes. Começou por uma melissa toda de glitter até hj com meus sapatos metalizados entre outros. Espero ainda conseguir ousar mais nas roupas, pois ai sempre me olho no espelho e não consigo. Mas to aprendendo a filtrar comentários “piadas” e a usar mesmo aquilo que eu goste mesmo que seja diferente.
    A cada dia mais amando esse blog lindo e vcs duas
    Beijos

  • RESPONDER
    Nanci
    12.04.2017 às 16:21

    Me identifiquei, Carla.
    Hoje me sinto mais segura, mas ainda tenho meus pontos fracos, assim como você.
    Acho que algumas dessas inseguranças vou vencer com a maturidade, mas quem dera essa tal maturidade chegasse aos 20 anos não é mesmo?

  • Deixe uma resposta