3 em Looks/ Moda no dia 15.03.2017

Preciso falar desse look, do meu corpo e de 2017!

Vocês lembram do #paponapiscina? Vocês lembram que contamos que a Marcyn foi uma das patrocinadoras da nossa festa tão especial? Então, durante a escolha de look pra festa eu optei por ficar com 4 modelos de roupa de banho da marca: dois maiôs iguais mas de cores diferentes, porque vestiam muito bem, e dois biquinis.

Nesse fim de semana que tive no parque das Thermas dos Laranjais eu aproveitei para levar o outro maiô e um biquini para passear, mas esse é papo para outro dia.

A Marcyn foi uma supresa enorme pra mim, esse modelo me vestiu como uma luva (meu número é 48 e ficou perfeito mesmo tendo pedido online). Fora isso amei a forma como a marca abraçou a festa, além de ver representatividade nas modelos do site, que tem moda praia, moda fitness e lingerie. A moda praia funciona bem pra todos os corpos, vide eu, Carla e Aline nos looks da festa.

Gostei tanto do modelo que resolvi ficar com o roxo (que minha mãe comprou um igual pra ela, inclusive) e nesse fim de semana, aproveitei pra usar, fotografar, postar no insta e trazer o look pra cá, já que não tem look meu aqui há um bom tempo.

Óculos Celine | Chemise Doux | maiô Marcyn | brinco Livia Kerr

Sim, eu sigo muito apaixonada por esses brincos da Livia Kerr e já encomendei mais uma cor. Aguardem, vai ter surra do brinco de concha, sim, porque quando eu gosto eu tenho a mesma coisa de cores diferentes, vide maiô, vide brinco.

Vou aproveitar o look do dia na piscina, pra falar de uma coisa que já falei no insta, mas não falei aqui. Se não fosse o #paposobreautoestima e o #paponapiscina eu estaria super insegura de estar de maiô entre tantos influenciadores como nessa viagem. Várias pessoas do mundo fitness e eu ali perdida, entre curvas e dobras. Seria fácil minha versão antiga se achar diferente do padrão, se sentir menos, mas graças à tudo isso que estamos vivendo e à toda essa revolução que está rolando dentro de mim isso não aconteceu. Eu não me comparei por um minuto com a chuva de corpos perfeitos ou imperfeitos que estavam comigo. Eu não me diminui, eu não me senti diminuída. 

Eu sei que tem gente que acha esse assunto repetitivo mas as estatísticas não mentem sobre a frequência com a qual mulheres pensam que não gostam de seus corpos. Assim sendo, precisamos falar muito sobre isso. Compreendo que quem está muito bem consigo pode achar cansativo, mas tem muita gente nessa luta com a gente e por isso eu vou repetir de novo (e de novo, e de novo), compartilhar cada vitória que eu tiver. O novo posicionamento do futi está ai para isso, para podermos falar nesse assunto e ajudar todo dia mulheres a se enxergarem de outra maneira.

Nesse fim de semana eu não comparei meu corpo com a de nenhuma amiga, nenhuma amiga comentou meu peso, ninguém mencionou o quanto engordei desde a última vez que nos vimos e eu não pensei sobre isso, não até a hora de escrever a legenda da foto e entender que tudo isso foi uma vitória pessoal. Na minha luta, na minha história.

Eu venho me cercando de mulheres que me jogam pra cima mas a primeira delas sou eu mesma. Eu vejo o que tenho de melhor no aqui e agora, parece que automaticamente minhas amigas também veem. Tem sido libertador viver assim.

Na hora que eu me organizar pra perder peso, quando (e se) eu decidir fazer isso, farei sem neurose, paranóia, sem dietas restritivas da moda ou mesmo sem transformar isso no meu único assunto. Ser Joana me reserva a possibilidade de falar de muitas coisas, que vão muito além de corpo, dieta e atender a um padrão que a sociedade me impõe. Sempre me senti diferente, hoje acho que sempre fui mesmo, até quando eu tentava ser igual a todo mundo. 

Espero que as fotos de maiô, biquini e moda praia não parem por aqui. Espero não ter vergonha, ser bem sem vergonha mesmo. Quero um 2017 de muitos verões, porque meus planos de viagem de verão não param! Então quero sim mais maiô, biquíni, protetor solar, pisicina, praia e amor, amor próprio, em qualquer lugar do mundo, no corpo do tempo presente, independente das mudanças futuras.

Quero ser feliz como sou hoje, por mais que queira mudar algo amanhã. Quero ver beleza e acolher com amorosidade o agora porque condicionar felicidade pro futuro – ou pro peso futuro – eu não quero mais.

Essa é a melhor versão de mim e eu vou continuar dividindo ela com vocês, com dobrinhas mesmo. 

Beijos

 

Gostou? Você pode gostar também desses!

3 Comentários

  • RESPONDER
    Rafaela
    16.03.2017 às 15:42

    Maravilhosa, Jô! Estou nesse processo de aceitar minhas dobrinhas, não é fácil, mas tem se tornado menos pesado com vcs…Beijos

    • RESPONDER
      Joana
      16.03.2017 às 17:16

      Estamos todas juntas nessa fase de aprendizado, nesse processo!

  • RESPONDER
    Gaby Melo
    16.03.2017 às 21:23

    Também estou nesse processo de aceitar minhas dobrinhas sem neuras, e essa nova fase do Futi tá ajudando muito!

  • Deixe uma resposta