1 em Beleza/ Cabelo/ Destaque/ pele no dia 09.01.2017

De fora para dentro: o que mudo fora que reverbera dentro!

Engraçado como quando eu ficava presa na briga com a balança eu mal parava para ver o resto. O cabelo estava quase sempre igual, a pele era bem cuidada na medida do possível, a cara de cansada me desanimava a ousar na maquiagem e a sobrancelha não parecia ornar tanto, não era a moldura do meu rosto que eu queria ter, mas nada mais importava: a beleza viria quando baixasse o ponteiro da balança! Aham, senta lá Cláudia!

Os anos foram passando e eu fui relaxando e ganhando confiança. Aos poucos fui deixando aquele sentimento de inadequação com o peso de lado e olhando para todo o resto que eu tinha e passei a buscar mudanças que me faziam sentir mais bonita. Fui largando aquela ideia de atingir uma perfeição, de atender a um padrão de beleza do outro e fui vendo o que genuinamente combinava comigo, o que eu queria mudar em mim mesma.

As primeiras respostas? A olheira, a cara de cansada me dava um desanimo que eu não gostava. Depois descobri que eu queria fazer a sobrancelha de um jeito que ela combinasse mais com meu rosto, me desse um olhar diferente, que retratasse mais a minha personalidade e por fim resolvi mudar o cabelo, passar a fazer uma química mais light, cuidar bem com produtos de muita qualidade para enfim poder mexer na cor e iluminar os fios.

Acredito que a gente se enfeitar e se cuidar para se sentir mais bonita é bem legal, é o máximo na verdade. Eu proponho antes de mais nada a busca por um senso crítico pessoal para entender a real motivação que te leva a querer mudar, para entender se aquilo de fato vai te colocar pra cima por que se for? Tá tudo bem. Você é dona do seu corpo e pode fazer o que quiser com ele. 

Eu quero mudar apenas onde o MEU calo aperta. Alterando apenas o que ME INCOMODA, enquanto me incomoda. Cada mulher vai saber de si, mas nesse post eu resolvi compartilhar as 3 coisas que fazem muita diferença para mim. Para você pode ser fazer crossfit, correr a maratona, comer alimentos específicos ou até mesmo fazer ou não química nos cabelos. Desde que seja o que você quer e não uma correção para atender a expectativa de uma mãe que marca em cima, de um namorado fit ou qualquer coisa do tipo.

PREENCHIMENTO DA OLHEIRA

antes em 2014 | antes em dezembro de 2016 | depois do mesmo dia

 

A primeira coisa que eu amei mudar na minha vida foi o preenchimento. Eu me senti tão mais confortável com o olhar descansado. Foi talvez a coisa mais marcante que eu já fiz. A primeira vez foi em 2014, o produto durou muito em mim e como eu engordei, acabei precisando menos. O ácido hialurônico ganhou meu respeito nessa hora.

O primeiro resultado está nesse post aqui, de agosto de 2014.  O segundo resultado é esse do post de hoje:
Dessa vez não aplicamos exatamente no mesmo lugar, mas o resultado ficou ótimo, bem como eu queria. Anos depois e eu continuo adorando.

Alias, eu gosto muito de todos as aplicações de toxina botulínica e ácido hialurônico que já fiz. Podem falar o que for, mas eu me sinto muito melhor, me faz bem, é eficaz e sutil (graças a competência da Dra Vanessa Metz obviamente).

MICROPIGMENTAÇÃO DA SOBRANCELHA

Como já contei aqui, a micropigmentação da minha sobrancelha é algo que mudou minha vida, tanto a micro quanto fazer a sobrancelha com a pessoa que melhor externou minha personalidade através dela.

Não importava o quanto me dissessem que homens gostavam de sobrancelhas finas, eu sempre tive PAVOR. Sempre gostei de limpar de deixar ela no formato natural, até que Monica Pias começou a cuidar dela e fez ajustes finos no formato. Meu Deus, como eu adorei, mais de ano depois eu fiz a micropigmentação (já confiava na Monica pra isso) e não me arrependi. Tanto que já fiz mais uma no ano seguinte e esse ano farei de novo quando a hora chegar.

Tem post só sobre a micro aqui, mas muitas das minhas amigas só fazem a sobrancelha com a Monica e amam. Outras fazem a micro e eu e minha mãe fazemos as duas coisas.

MUDAR A COR DO CABELO

A mais simples das mudanças e a mais incrível ao mesmo tempo. Desde que mudei minha química para uma escova chamada Definity Selant (to numa fase fazendo só a raiz), meu cabelo ficou mais forte, mais cheio, movimentado e por sua vez mais preparado para mudanças. Por isso tomei coragem e pedi para a Victoria, que corta meu cabelo há mais de 10 anos, fazer minhas luzes. Desde então já fiz 3 vezes e acho que assim como os acontecimentos citados acima, mudou minha vida.

Eu AMEI meu cabelo iluminado, acho que nasci assim e acredito que vou ficar um bom tempo sem usar ele todo preto, se bobear vai ser assim pra sempre. Prezo muito pela saúde da Victoria <3, porque além de todo amor, sem ela eu acho que não mexo na cor, não, assim como sem Jussara não faço química! #vidalonga pra elas

A primeira vez que eu fiz virou post aqui, hoje to muito mais iluminada! rs

—–

Não gosto da ideia de mudanças corretivas para atender ao padrão. A vida inteira me disseram que meu nariz era muito bruto, que ele era feio, pouco feminino (?), hoje eu só penso: que sorte a minha que não tive coragem de operar. Eu genuinamente acho que ele faz parte de quem eu sou agora, gosto dele, acho cheio de personalidade e o que mais tem é surra de foto de perfil, coisa que seria impossível nos meus 15 anos.

No entanto também não quero me tornar contra mudanças fora que inspiram felicidade, bem estar e autoestima dentro. Acredito que hoje sou a favor de algo que você muda fora e te dá muita força dentro. No meu caso, não atendo aos padrões da balança, mas adoro ajustar a forma de me vestir, fazer uma super maquiagem, um cabelo arrumado (mesmo que pra parecer bagunçado) ou mesmo ver minhas olheiras preenchidas. Só eu sei a felicidade que foi ver que eu sorria e já não parecia tão cansada. Foi fora, mas reverberou dentro. 

A meu ver o sinal de alerta tem que ser acendido quando você opera o nariz e sua relação com ele não muda, quando você mudou o sorriso e agora quer mudar a bochecha, quando você mal mudou uma coisa e tá querendo mudar outra. Porque nessa você pode estar procurando não fazer pequenas mudanças pra te levantar e sim mudanças para te deixar perfeita. Aí a busca pela beleza pode custar caro e você mergulhar num poço sem fundo. 

Hoje antes de qualquer procedimento ou pensamento que envolva uma mudança eu penso:
 para quem? por que? qual o objetivo? é necessário? vai fazer diferença?

Eu só opto por mudar algo em mim se a resposta começar com: é para mim, para eu me sentir melhor comigo.  Não contando com a expectativa de um cara me achar mais bonita, de um cliente querer me contratar depois ou mesmo de uma amiga achar que eu fiquei mais gata. Tem que ser por mim, pra mim, para minha relação com meu reflexo no espelho. Jamais colocando em risco minha saúde mental e física. 

No meu caso, como Joana, essas são as 3 mudanças físicas que fazem sentir mais bonita, mais segura e ajudam a segurar a minha autoestima e autoimagem do jeitinho que eu quero.

Beijos

< Todos os profissionais citados nesse post são parceiros do blog, no entanto se não fossem eu estaria indo neles da mesma forma, a maior prova disso é que minha mãe vai também vai nas 3 pessoas e paga por seus serviços, assim como boa parte das minhas melhores amigas. Eu jamais deixaria minha imagem e parte relevante da minha autoestima nas mãos de profissionais que eu não confiasse. >

Gostou? Você pode gostar também desses!

1 Comentário

  • RESPONDER
    Alicita
    09.01.2017 às 15:05

    Ao ler esse texto maravilhoso, eu me lembrei do que você me disse em uma conversa muito sincera, Jô. A gente acaba querendo alcançar uma perfeição, se encaixar nos moldes e se não for pra gente, melhor nem gastar tempo e dinheiro com isso. A auto aceitação é uma tarefa complicadíssima, demanda esforço, demanda um pensamento positivo dia após dia. E o pior é que com esse mundo de informações que chegam até nós o tempo inteiro, fica difícil nos encontrarmos, nos reconhecermos.
    Mas há uma saída: o amor próprio real oficial.
    Fico feliz demais que você não operou o nariz! É uma parte sua. É um nariz. Tem uma utilidade ótima – respirar! haha Ele não tem que se encaixar em um padrão de fábrica. Nós não somos um padrão.
    Obrigada por fazer ressoar o discurso mais lindo de todos que é o da aceitação, da auto estima. É um trabalho de formiguinha e de auto conhecimento. Mas certamente conseguiremos ser melhor dia após dia.
    Beijos pra você que é linda, está linda e tem o coração lindo!

  • Deixe uma resposta