7 em Autoestima/ Camilla Estima/ Convidadas no dia 27.12.2016

Em 2017, eu quero…

Chegou a época que fazemos um balanço do ano que passou e nos planejamos para o novo ano que se inicia. Fazemos listinhas de pedidos, pulamos 7 ondas, mentalizamos coisas positivas, tudo na esperança de mudanças e de atingir nossos objetivos. Pedimos um emprego novo, um amor, dinheiro mas você parou pra pensar no que você fez para mudar você mesma e para ser uma pessoa melhor?

E não estou falando em metas para o seu corpo, como ganhar ou perder peso, um tratamento estético ou uma cirurgia plástica. Estou falando de mudanças internas sustentáveis. Como as nossas conversas por aqui têm sido na perspectiva da autoestima, vamos dar algumas sugestões de mudanças nesse aspecto. Mas veja, muitas das vezes temos a mania de querer fazer tudo ao mesmo tempo e colocar metas inalcançáveis, e que no final das contas acabam não sendo realizadas e nos frustram ainda mais, sem que haja nenhuma mudança efetiva. Temos que sempre trabalhar sempre com metas viáveis, devagar e acreditando na mudança. Quem sabe se a gente conseguir mudar a gente mesma as metas “materiais” não venham com mais facilidade?

Então, em 2017, o que você quer? Eu quero..

– Me valorizar

A grama do vizinho é mais verde? Discordo. A gente gasta tempo e energia demais apreciando os outros e deixando de olhar para nós mesmas. Por que sempre a colega de trabalho é mais inteligente, a artista de tv mais bonita, a modelo tem um corpo melhor. Pare de se comparar aos outros…..e a você mesma em outras épocas da vida. 

– Fazer as pazes com o meu corpo

Vivemos uma época em que a aparência física, o corpo e o peso são mais valorizados do que nosso caráter, nossos valores como pessoas e invariavelmente nos tornamos pessoas insatisfeitas com nossos corpos. Que tal a gente começar um processo de aceitação do corpo que nos foi dado e focarmos em querer melhorar pontos por questão de saúde. Ao entender que dificilmente a grande maioria das pessoas vai conseguir se encaixar ao padrão da magreza imposto nos dias de hoje, e que nem sempre a nossa estrutura física vai conseguir nos deixar ser padronizada, a perspectiva muda, e muito!

– Prestar atenção às minhas qualidades

Muitas vezes as pessoas nos elogiam de tantas formas e nem percebemos por achar que o elogio do físico é sempre mais importante. Aposto que já elogiaram o seu sorriso, sua gargalhada, senso de humor, como você é divertida, carinhosa, compreensiva, boa amiga/filha/mãe/companheira, a sua inteligência. Você valorizou esse tipo de elogio ou deixou passar? Aproveite e pegue carona nisso e elogie mais essas características dos outros. Faz um bem danado à nossa autoestima.

– Fazer as pazes com a comida

A comida nos traz tantos significados bacanas mas hoje em dia as pessoas estão complicando tanto a forma de comer e associam esse ato à sentimentos ruins como a culpa e o medo. Que tal simplificarmos as coisas? Um suco verde, de couve com maracujá e gengibre é apenas um suco super saboroso e uma bela fonte de nutrientes e não um veículo de desintoxicação. Um pão francês é apenas um pão, não um bicho papão com poder de engordar você. Liberte-se das dietas restritivas, da contagem frenética de calorias, de nutrientes ou alimentos-promessa, das revistas e sites de dietas. Alimentos não promovem milagres! Preste atenção às suas crenças quanto à alimentação e ao seu corpo e faça um exercício de interpretá-las de forma racional. Você vai ver que a crença deixa de fazer sentido.

– Ter mais compaixão por mim mesma

Entenda que nem todos os dias a nossa autoestima está nas alturas. Todo mundo vive dias bons, uns mais ou menos, outros uma porcaria e está tudo bem! Não se cobre por não se achar todo os dias bem consigo mesma pois isso não vai acontecer. O dia de hoje não foi legal, você não se sentiu bem, não se achou bonita, está tudo bem! Pense como amanhã pode ser diferente. E não deixe os dias ruins virarem rotina, só você é capaz de cortar esse ciclo.

– Ouvir mais a minha intuição

Muitas vezes a nossa intuição está gritando no nosso ouvido ou esfregando na nossa cara uma resposta que por tantos motivos preferimos coloca-la debaixo do tapete.

– Evitar pessoas que tem me colocam para baixo

Evite pessoas muito críticas, controladoras, donas da verdade, ou aquelas que têm mania de fazer comentários desagradáveis para criticar os outros gratuitamente.

Sabe aquela “amiga” que sempre que tem oportunidade criticar o seu corpo? Ou a sua roupa? Ou o seu namoro?

Ou aquele namorado que insiste em sugerir que você faça uma dieta pois acha que você vai se sentir melhor assim?

– Praticar o silêncio! 

Ah, o silêncio!!!! Ele é libertador. Eu sei que é MUITO difícil pensar em mudar esse hábito pois é quase que automático e completamente desafiador a gente pensar que não precisa falar sempre, e tudo que pensa. Veja, nós não precisamos nos posicionar sempre em uma discussão, ou rebater sempre que alguém nos critica ou nos desagrada.

– Investir meu tempo em atividades que eu sou realmente boa e gosto de fazer

Muitas vezes investimos tempo, energia e dinheiro em atividades que no fim das contas nem gostamos, e por isso acabamos fazendo de qualquer jeito e isso acaba nos balançando emocionalmente. Procure coisas que você realmente gosta de fazer, que te fazem bem que muitas vezes você nunca pensou em fazer. Que tal entrar para um grupo de teatro? Aprender a tocar um instrumento. Iniciar aquele projeto de correr, entrar para um curso de culinária….o que te brilha os olhos?

– Desapegar de relações que eu sei que não estão mais funcionando

A gente só consegue agregar coisas novas se abrir espaço para elas na nossa vida.

– Respeitar os meus limites

Não aceite qualquer coisa dos outros. Não aceite agressões físicas ou verbais, comentários depreciativos,  migalhas sentimentais. Existe muito mais gente lá fora do que a gente pode imaginar e que jamais nos trataria dessa forma.

E por fim…..agradeça sempre! Aos aprendizados da vida, às pessoas que estão à sua volta, às situações que a vida nos coloca que nem sempre entendemos o porque delas mas que nos trazem experiências e aprendizados. Gostaria muito de agradecer aos aprendizados desse ano de 2016 e à Joana e a Carla que me deram a oportunidade de me ceder o espaço no futi para compartilhar minhas ideias. E agradeço também às queridas do grupo da autoestima, por terem me inspirado nesse post.

Feliz 2017 e à sua melhor versão de si mesma!

banner-camilla-estima

Gostou? Você pode gostar também desses!

7 Comentários

  • RESPONDER
    Gabriela
    27.12.2016 às 14:01

    Adorei. O que mais quero dessa lista é ter compaixão comigo mesma. http://www.alemdolookdodia.com

    • RESPONDER
      Camilla Estima
      28.12.2016 às 20:18

      Belo começo de meta :)

  • RESPONDER
    Camilla Gonçalves
    27.12.2016 às 19:56

    Adorei todos os pontos! Vou colocar tudo isso como meta pra 2017 :)

    • RESPONDER
      Camilla Estima
      28.12.2016 às 20:18

      :)

  • RESPONDER
    Dayse
    28.12.2016 às 14:14

    Lindas metas!!! Obrigada Camilla por essa inspiração para o novo ano!!!!

  • RESPONDER
    Bethania
    28.12.2016 às 15:09

    Sua linda, adorei o texto! Vou fazer de tudo para coloxar em pratica o q me falta em 2017.

  • Deixe uma resposta