5 em maternidade no dia 27.10.2016

Quando quebrar a cara é maravilhoso

arthur-romero

Assim como 99% das mães desse mundo, eu estava ansiosa para saber qual seria a primeira palavra que o Arthur iria falar. Será que ele falaria mamãe antes? Ou papai? Gugu, dadá, babá e outros tipos de beibelês não vale, estou falando da primeira palavra que faria algum sentido. Eu sei que minha mãe fez de tudo para que vovó fosse a grande escolhida.

Depois de 9 meses quase 10 esperando esse momento, a primeira palavra que claramente ele tentou imitar não foi chamando nenhum familiar. Foi “Barca”. Ou melhor, “báca”. Uma coisa assim, do coração, bem sentimental rs.

Decepção? Nunca, fico super feliz de ver o Arthur se desenvolvendo e aprendendo novas habilidades a cada dia, mas posso dizer que claramente esse episódio resume muito a maternidade em vários aspectos, já que ela nada mais é que uma quebra constante de expectativas.

Todo dia é uma novidade, uma primeira vez diferente e dificilmente elas acontecem da forma esperada. Foi assim com as palminhas que aconteceram do nada, com a primeira vez que ele engatinhou de verdade e eu só me toquei depois que aquele era um momento único (que bom que tem filmado rs), a primeira vez que dei papinha e a lista segue. Conto nos dedos de uma mão as novidades que aconteceram conforme eu esperava.

Nesses 10 meses de Arthur descobri que ser mãe é um constante processo de caras quebradas. “Você jurava que seria assim? Então toma porque não vai ser”. E para quem acha que isso é ruim, não é! Aliás, acho que é uma das poucas situações na vida que você vai quebrar a cara e achar maravilhoso. Na maior parte das vezes você percebe que é ótimo não ter razão! É um exercício diário de desconstrução e desapego.

E sabem de uma coisa? Para uma pessoa como eu que nunca gostou de surpresas e é bem ansiosa em relação a mudanças, viver isso está sendo maravilhoso. Nunca imaginei que fosse amar esperar o dia seguinte me surpreender, sem pressa, sem fantasiar situações, sem querer ter verdades absolutas. Apenas um dia de cada vez. :)

Beijos

banner-SNAP-ca

Gostou? Você pode gostar também desses!

5 Comentários

  • RESPONDER
    Monique
    28.10.2016 às 10:50

    Que texto lindo, Cá!

    Acho muito legal a forma como você lida com a maternidade. você passa um ar muito leve, mas realista ao mesmo tempo. Me inspira muito a como agir com meus futuros filhos!

    beijos

    • RESPONDER
      Joana
      28.10.2016 às 12:39

      Eu penso IGUAL a você Monique, acho muito honesta e positiva a forma como a Carla coloca.

  • RESPONDER
    Gisella
    28.10.2016 às 13:50

    kkkkkkk que gracinha!! a primeira palavra da minha filha foi óculos – isso pq peguei ela no colo com meus óculos no rosto, daí a danadinha apontou para eles e disse”ócus” hehehe
    hoje ela chama tanto mãe (6 anos) que as vezes tenho saudades de qd ela era uma bebezinha e ainda não falava :))))

  • RESPONDER
    Livia Kerr
    28.10.2016 às 17:36

    Que lindinho Cá!! Concordo com a Monique! Você esta se saindo uma mãe exemplar! Tão serena, tranquila, feliz! Diria inspiradora.. MUITO feliz por vocês e de poder acompanhar pelo menos de longe as peripécias do Arthur!! Saudades! <3

  • RESPONDER
    Nanci
    06.01.2017 às 12:05

    rsrsrs estamos juntas!
    a primeira palavra da Maitê, que é só um pouquinho mais velha que o Arthur foi “Água”.
    E hoje ela até fala Mamãe, mas só na hora do desespero, pq charminho mesmo ela faz pra falar “Papai”.
    Imagina quanto minha cara foi quebrada? rsrsrsrs

  • Deixe uma resposta