19 em maternidade no dia 26.04.2016

#babynofuti: choro em público

Eu sempre venho aqui contar minhas experiências, dizer o que aprendi com elas e trocar com vocês. Hoje, eu quero contar a experiência e pedir ajuda, porque essa é uma situação que até o presente momento eu não sei como lidar!

Acho que encontrei a solução. E se eu vestir o Arthur de alguma coisa fofa quando ele estiver chorando? Ninguém resistirá! rsrs

Acho que encontrei a solução. E se eu vestir o Arthur de alguma coisa fofa quando ele estiver chorando? Ninguém resistirá! rsrs

Foram dois casos. O primeiro foi no restaurante. Estávamos com o Arthur e tudo estava lindo e maravilhoso até o momento que ele inexplicavelmente abriu o berreiro. Tentamos brincar com ele, chupeta, fome não era porque ele tinha acabado de mamar. Cólica também não, porque não era o choro típico da dor. Na hora, foi instintivo, quis me enfiar embaixo da mesa. O restaurante estava cheio e barulhento, mas mesmo assim fiquei com a impressão que todo mundo estava olhando para a gente. Ah, e o choro no final não era nada, durou 5 minutos e logo depois conseguimos fazer ele se distrair com um brinquedinho.

A segunda situação foi super recente e, para mim, muito pior. Avião. Aquele meio de transporte que TODO MUNDO reclama quando vem com uma criança chorona e que TODO MUNDO tem alguma “história de terror” para contar. Nesse sábado estava me mudando para o Rio e tudo estava maravilhoso, Arthur dormiu no carro e até então estava entre dormir e acordar, tudo em silêncio.

Nos sentamos, Arthur deu uma acordada mas estava tudo bem. Até o momento que pareceu sincronizado. Portas em automático, silêncio e…cólica. Sério, de todos os choros que existem, cólica eu não desejo pra ninguém. É um choro alto, nervoso, impaciente, agudo e eu só conseguia pensar que o avião inteiro, do piloto à pessoa na última fileira estavam encarando a poltrona 4A. A situação toda não deve ter durado nem 2 minutos, mas para mim, pareceu que durou uns 45 até eu conseguir gerenciar a crise.

Eu tenho consciência que estava “escondida” no meu assento e que no máximo a pessoa da fileira do lado devia estar olhando mas fazer o quê, eu odeio incomodar. Já disse antes, mas repito. Sou daquelas que prefere não falar com um conhecido se eu vejo que ele está ocupado ou conversando com alguém que eu não conheço. Sempre que eu preciso ligar para alguém eu pergunto antes de iniciar a conversa se a pessoa pode falar (seja meu pai ou algum cliente). Enfim, vocês entenderam.

Só que o Arthur é um bebê, e bebês de 4 meses não têm a mínima consciência do que significa incomodar. Independe de mim e sei que preciso aprender a não me importar com os outros. Muita gente já me disse para não ligar para a opinião alheia, e de fato esse é o melhor conselho que me deram, mas e quando na sua cabeça até quem não foi incomodado foi atingido?? Rs E já ouvi bastante que bebê pequeno não costuma incomodar tanto quanto crianças maiores (que geralmente o choro e o grito é porque não está afim de obedecer os pais), mas vai tentar me convencer disso?

Felizmente eu tenho um filho muito calminho que só chora mesmo quando tá com fome, sono ou cólica, e esses momentos até agora têm sido raros – e espero que continue assim! Mesmo assim quis abrir a discussão. Mães que já passaram por essa situação, como vocês lidaram com isso? E meninas que já presenciaram a cena de uma mãe desesperada e uma criança inconsolável? Fizeram alguma coisa para ajudar? Ou fingiram que não estavam notando o que estava acontecendo?

Beijos!

banner-SNAP-ca

Gostou? Você pode gostar também desses!

19 Comentários

  • RESPONDER
    Tamy
    26.04.2016 às 9:38

    Bem, o assunto é polêmico, já aconteceu várias vezes comigo. Em todas elas, apesar de eu conseguir contorna-las, é um exercício de mta calma e paciência. E empatia. Poxa, devemos não só nos colocar no lugar dos pais, como tb da criança. E na minha opinião, bebês não tem autonomia pra conseguir se controlar. Crianças menores também não devem levar a culpa, não acho q devemos classificar nossos filhos como isso ou aquilo.

    Antes de ter filho tb ficava incomodada, mas a vida nos ensina, né? E hoje eu tento ajudar a mãe, com um copo de água, ajuda para segurar algo ou com um olhar complacente e um sorriso. Acontece, é um bebê!!

    “Cada criança que encontramos nos remete ao nosso passado – à nossa infância e aos cuidados que recebemos ou não -, mas também ao nosso futuro: como vamos transformar isso dentro de nós? Respeitar uma criança é respeitar não só aquele bebê presente naquele lugar público, mas é mostrar respeito e acolhimento consigo mesmo. Praticar a tolerância e o entendimento da fragilidade da infância é conscientizar-se de que cada um de nós tem uma parcela de responsabilidade nesse processo, como educador e como modelo para essa nova geração. Isso é maturidade”

    http://sites.uai.com.br/app/noticia/saudeplena/noticias/2014/11/28/noticia_saudeplena,151452/pais-pedem-desculpa-por-possivel-choro-de-bebe-em-aviao.shtml

    • RESPONDER
      Carla
      26.04.2016 às 11:08

      Verdade, Tamy! Antes de ter filho eu também ficava incomodada, hoje em dia eu me solidarizo. Vivendo e aprendendo!

    • RESPONDER
      Tamy
      26.04.2016 às 16:04

      Sim, mas na prática, não tem mto o que fazer. Especialmente se o bebê, como foi no seu caso, estiver com cólica. Fique calma, respire fundo e se concentre no bebê. O meu marido sempre me falava: “olha nos olhos dela, veja o que ela precisa de verdade”, seja um abraço, um carinho, palavras de segurança e de que vai passar. Eu sempre penso o que ME acalmaria nessas horas e tento colocar isso em prática. Conversando muito, as coisas sempre se ajeitam.

  • RESPONDER
    Marcia
    26.04.2016 às 10:31

    Fica, desencana. Crianças choram. Todos nós fomos assim, e a pessoa tem que ser muito sem noção para achar isso o fim do mundo.
    Leia isso: https://papaisadotantes.com/2016/04/20/chega-de-ter-odio-de-crianca-gente/

  • RESPONDER
    Ingrid B
    26.04.2016 às 11:45

    Carla, esse será o início de uma longa carreira de saias justas em público rsrs É um horror, mas passa. Espere pra ver o terrible two, aquelas cenas medonhas e você sendo desafiada a educar seu filho em público. Hoje em dia, quando vejo uma mãe passando perrengue em lugares públicos, só tenho vontade de dar um abraço e dizer “amiga, tamo junto”. Minha dica é nunca perder as estribeiras. Supere o constrangimento e mantenha a calma, fale baixo, até mesmo contenha os gestos. Passe tranquilidade pro bebe ou pra criança. Quando o adulto no comando perde o controle, aí é que a vaca vai pro brejo.

  • RESPONDER
    Juliana
    26.04.2016 às 12:16

    Oi Carla! Sou mãe de uma menina de 9 anos e um menino de 4 anos e estou grávida da minha 3ª, que chega em Junho, então já me considero expert no assunto para opinar! Rs
    Eu também sempre procuro não incomodar as pessoas, faço o possível para que não ocorra, mas às vezes, é inevitável! Geralmente quem tem filhos, ainda que maiores, se solidariza, pois todo mundo já passou por uma situação assim ao menos 1 vez! Os que se incomodam e reclamam (tem gente q reclama, se intromete!) na maioria das vezes não tem filhos ou convívio direto com bebês! Relaxa, esse é o meu conselho, quanto mais tensa ficar, pior será! Deixem os olhares tortos e caras de poucos amigos pra lá! Não podemos controlar tudo! Imagina que esta mesma pessoa que está achando ruim, poderia ter uma crise de tosse ou uma crise alérgica e também incomodar os demais. Tudo passa! Esse com certeza será um episódio o qual você contará para o seu filho quando crescer e darão muitas risadas juntos!!! Beijos

  • RESPONDER
    Eliza
    26.04.2016 às 12:48

    Oi, não tenho filhos, mas nunca me importei ou me incomodei com bebê de outros chorando, acho até bobo quem se incomodar com isso,acho que nessas horas vc pode tenta a tática da mãe leoa e só se importar com o seu filho, ver se ele ta bem se não ta com dor, e o resto é resto :)

  • RESPONDER
    Nydia
    26.04.2016 às 13:06

    Eu sou do time das que não tem filho e não suporta o choro do filho dos outros em lugares como restaurantes e aviões, hahahahaha.
    Mas tb não me acho sem noção não, pq eu entendo que as crianças às vezes nem sabem onde estão e se incomodam com tantas coisas estranhas na sua volta. No avião, apesar de me incomodar, eu sinto até pena pq fico imaginando que estão sentindo aquela dor insuportável no ouvido.
    Na verdade o que me incomoda são os pais, pq muitos não se preocupam em acalmar o filho. Acho que eles já acostumaram com aquele choro e não percebem que estão sim irritando as pessoas na volta!! Mas qd eu vejo que os pais estão fazendo de tudo para contornar a situação não me irrito não.
    Bjs

    • RESPONDER
      Ana
      26.04.2016 às 14:48

      Nydia, olha… acho bemmmmm pouco provável que algum pai ou alguma mãe ache normal o choro e não tente nada para acalmar o bebê, talvez vc não consiga visualizar os esforços alheios quando estão tentando fazendo isso, mas mesmo sem conhecimento de causa, meu bebê nasce em 5 meses, tenho certeza absoluta que ninguém “está acostumado” ou não percebe o incômodo, como vc disse. Acho que está faltando um pouco de empatia e sensibilidade da sua parte.

    • RESPONDER
      carol
      27.04.2016 às 0:53

      pior que tem, que nem filho quando faz bagunça ou arte, tem pai/mãe que finge que não está vendo….já presenciei situações bizarras, um exemplo apenas, criança com a fralda cheia, andando e caindo coco e a mãe sequer trocou, ah supondo que não tinha fralda pra trocar, ia no banheiro, esvaziava e colocava a mesma, óbvio que com bebes é diferente, eles não se comunicam e como ficam no colo é bem difícil ser ignorado, mas depois….infelizmente o que mais tem é pai/mãe que ignora filho, a falta de sensibilidade e empatia está na família mesmo, e não em terceiros, pq afinal com a falta de cuidado quem mais sofre é a criança!

    • RESPONDER
      Hellen
      02.05.2016 às 15:04

      Condordo plenamente com você!

  • RESPONDER
    Camilla
    26.04.2016 às 13:58

    Oi Carla!

    Eu não tenho filhos e é claro ninguém adora choro de nenem MAS sabe quando é uma coisa que parece ser tão natural que não tem como se incomodar de verdade? É um bebe, bebes choram, e não se importam com o lugar onde estão hahaha
    Ah não se sinta mal não, viu? Eu acho bem normal! E quem acha um absurdo e se incomoda além dos limites é bem sem noção.
    E o Arthur vestido de qualquer coisa é muito lindo e fofinho <3 Amo ver ele no seu snap =)

    Beijos

    Beijos

  • RESPONDER
    Carol M
    26.04.2016 às 14:10

    Eu não sou mãe mais ja presenciei varias cenas dessas .. não me importo e não reparo pq sei que um dia serei mãe e poderei passar por isso.. :)

  • RESPONDER
    Monique
    26.04.2016 às 14:11

    Eu era do time que implorava a comissária pra trocar de lugar qdo alguma criança sentava ao meu lado. Até que me tornei mãe, com 41 anos. O irmão da minha filha mora em NY e fomos almoçar num restaurante onde os clientes eram americanos. Do nada ela começou uma pirraça – tinha 1 ano e meio na época, e parecia que todos olhavam pra mim, a mãe que não conseguia fazer a filha parar de chorar. Fui ela para o estacionamento e qdo meu marido terminou de comer, nos revezamos. Qdo entrei, reparei que todas as criancinhas estavam quietas e comportadas, copo de leite à frente e desenhando com crayons. Queria abrir um buraco e me jogar rsrs Até hoje não consigo desencanar, morro de vergonha com pirraça/choro em público.

  • RESPONDER
    Juliani de Paula
    26.04.2016 às 16:01

    Carla,

    Eu também sou do time das que detestam incomodar! Eu fico incomodada quando sinto que estou incomodando alguém.
    Sou mãe, e vamos combinar, bebes e crianças incomodam bastante pois não sabem se comportar em certos ambientes, tipo aviao, restaurante.
    Lembro de uma cena que meu filho fez no aviao, ele era maiorzinho, tinha 1 ano e 10 meses, e simplismente nao queria sentar pro aviao decolar, saia correndo pelos corredores, e nao sou aquelas maes que deixam os filhos fazerem o que quiser, mas naquele momento ele nao me obedecia, tive que pegar ele aos berros, ele foi batendo as perninhas, berrando no voo, e durou mais ou menos 1 hora, nunca me senti tao mal.
    Com os olhares, eu me sentindo julgada, com vergonha.
    Lembrando eh engracado, mas na hora foi um pesadelo. hahahaha
    Tenho um sobrinho de 1 ano, e minha irma, mae experiente se segunda viagem, vejo como ela lida, com essa situacoes, ela relaxa! Existem coisas que nao controlamos, um bebe de 5 meses chorando no aviao de colica foge do nosso controle.

    Claro que nao vou ser aquelas maes que deixam o filho fazer o que quiser, incomodando os outros, mas existem coisas que vao alem da maturidade deles, temos que relaxar!

    Adorei a tatica de vestir o bebe com roupinha fofa! O Arthur eh uma gostosura!

  • RESPONDER
    Danielle
    26.04.2016 às 23:12

    Carla,
    Tenho dois filhos e também odeio incomodar os outros e vou confessar uma coisa, mesmo tendo filhos tem hora que o barulho/choro de criança me incomoda, mas isso tudo depende do lugar.
    Sou super a favor de sair com as crianças, viajar e etc, mas tem lugares que acho que não dá para levar.
    Sempre fui para restaurantes com meus filhos, mas se for um restaurante mais sofisticado, onde não costuma ter crianças não vou com eles, acho que nesse tipo de lugar o barulho/choro de criança incomoda mais. Uma vez vi um casal com um bebê dentro do cinema, lógico que o bebê chorou e muito no meio do filme e o casal continuou no cinema, incomodando todo mundo, achei muito sem noção.
    No avião não tem nada que possa ser feito nos casos como seu, a não ser manter a calma.
    Com certeza depois de nos tornarmos mãe ficamos mais tolerantes, todas passamos por situações que nos fazem ficar constrangidas e vou te falar uma coisa o choro do bebê não é nada comparado as birras futuras, até que os meu filhos não são dos mais birrentos, mas tem hora que eles aprontam umas que dá vontade de fingir que nem sou a mãe deles, tamanha a vergonha e vontade de me enfiar em um buraco, rsrs.

  • RESPONDER
    carol
    27.04.2016 às 0:48

    opinião de quem critica pirraça alheia: bebe é totalmente diferente, o choro dificilmente é por pirraça, ainda que seja choro sem ser de fome, sono ou dor, é choro de comunicação, ele não fala, MUITO diferente de criança que já se comunica e é “pirracenta”, tipo aquelas cenas de shopping que a mãe/pai não quer comprar algo e a criança se joga no chão, ou no avião mesmo, uma vez que a criança cada hora queria sentar num lugar, e ficava fazendo escândalo, chorando, pq não era possível, criança essa que sabia falar, ler e escrever, ou seja, que entende, sabe se comunicar, só não aceitava regras de segurança para ela prórpia. Acredito que seja geral, por mais que choro de bebe seja alto e incomode, é totalmente compreensível, o que de fato não é, é a falta de educação que infelizmente alguns pais não dão para os filhos, os que fazem pirraça, por motivo bobo. Então, fique tranquila, essa fase ninguém vai olhar de cara feia no estilo “olha que criança ou mãe sem noção”.

  • RESPONDER
    Leticia
    28.04.2016 às 9:04

    Tenho um sobrinho de 2 anos e super compreendo a situação!!! Eh difícil ele chorar, mas se chora, eh porq algo está errado, paciência, não vamos negligenciar!!! Depois do nascimento dele tenho MTO mais empatia com pais e bebes, eh uma tarefa dura conseguir organizar tudo!! Não julgo não!!! Não podemos esquecer tbm que algumas crianças/ bebês que estão chorando podem ter autismo, já se colocou no lugar desses país e bebes? É duro, chega de julgamentos alheios para desconhecidos!!! Fique tranquila Cah, tenho certeza q vc tem mto bom senso!!!

  • RESPONDER
    Daniela
    17.05.2016 às 22:44

    Tenho uma filha de 8 meses e a realidade é: bebês choram ! É a única forma de comunicação deles, então não tem muita coisa que a gente possa fazer ! Já passei por situações como a sua e só digo uma coisa: ainda vai acontecer muitas vezes rsrsrs.

  • Deixe uma resposta