6 em Comportamento/ Experiência no dia 28.03.2016

Coaching: o dia que eu procurei ajuda para re-planejar minha carreira!

Há algum tempo uma amiga tinha me dito que amou a experiência de contratar um “coach” para planejar com ela sua carreira, ver suas forças e fraquezas, seus melhores diferenciais e encontrar aquilo que ela poderia melhorar. Eu amei tudo que ela me disse sobre o processo mas não considerei fazer algo parecido porque associei isso a pessoas que trabalham em grandes empresas.

O tempo passou e me vi cheia de novos sonhos em meio a antigos desafios. Eu comecei a ficar meio perdida quando pensava no longo prazo, em como seria minha trajetória daqui a 10 anos, o que eu teria realizado. Meu propósito teria sido alcançado?

Precisava aprender a dividir melhor meu tempo, fazer mais do que faço hoje e perceber quais são meus traços positivos que podem me levar mais longe. Aqueles que podem me ajudar a encontrar novos desafios e realizar mais sonhos além deste veículo aqui que vocês já lêem. Parecia loucura, mas não sabia como desenvolver meu caminho profissional de uma maneira diferente da óbvia.

Conversando com meu pai notei que precisava “projetar” novamente, relembrar minhas metodologias de projetos de faculdade e criar um plano de carreira. Nele eu deveria incluir melhoras pessoais para evoluir no blog e em outros âmbitos, buscando realizar novos projetos que sempre me julgava sem tempo para pensar nisso.

Sem tempo? Aos poucos comecei a ver que nunca teria mais tempo. Então, tinha que voltar para aquela velha máxima que eu ouvia na faculdade: quanto mais a gente cria, mais a gente cria.

Fato era: eu precisava fazer algo que me ajudasse a mudar, a melhorar na gerência das minhas obrigações e na minha carreira numa perspectiva de longo prazo.

Nessa hora busquei me informar melhor e descobri que o “coaching” com profissionais sérios pode fazer a diferença em diversos setores da sua vida. Desde a carreira até mesmo num processo de mudanças pessoais, desafios internos. Se você tem um objetivo, em qualquer âmbito, um profissional pode fazer toda a diferença.

Nessa hora enfrentei meu primeiro desafio: em tempos de que qualquer um que se intitula profissional de “coaching”, conhecer uma pessoa, ou um empresa, que fosse séria era o primeiro passo. Queria alguém muito profissional com experiência em carreiras. Além da formação em psicologia, não abria mão disso. Fiquei nessa um tempo até que conheci a Pollyana (meu mais novo anjo).

O que eu sabia? Que ela era ótima, sócia da A Z Consult e muito atenciosa. Sentamos para um café e em uma hora eu não tinha dúvidas que ela poderia me ajudar.

Az-Consult-Pollyana

Dolorido ou não, enfrentar certos fatos as vezes é difícil. De toda forma estava resolvido, eu iria mergulhar nesse processo. Estudar tudo que pudesse sobre minha vida profissional e criar um plano de carreira bem fora do convencional, como tudo que fiz na vida até hoje.

Para muita gente falar de trabalho é fácil, difícil é falar da vida pessoal. Para mim é o oposto. No início foi complicado me despir de julgamentos e preconceitos para abrir o jogo abertamente sobre tudo que eu penso sobre a carreira que escolhi. Fui perdendo o medo quando vi que a Pollyana estava entendendo de verdade todas as minhas questões e demandas.

Sempre tive sonhos tão doidos e desencontrados que precisaria de alguém com a mente muito aberta para organizar comigo os próximos passos. Como melhorar como blogueira, desenvolver meus pontos fortes e como começar a correr atrás dos meus outros sonhos sem prejudicar esse. De uns tempos para cá meus desejos se tornaram sortidos: eles vão desde escrever um livro até trabalhar meus dons naturais para relações públicas.

Fiz muitas perguntas para ela, entendi direitinho a trajetória da AZ Consult e mergulhei com coragem num processo de aprofundamento das minhas perspectivas, vontades, caraterísticas e medos. Passadas as quatro primeiras sessões eu já posso dizer que estou IMPRESSIONADA com o processo. Em um mês eu terminei pendências, criei novos métodos de organização de tempo e aos poucos me vejo perdendo medos e fantasmas.

Acredito que vou fazer mais posts sobre o tema. Contar um pouco sobre como está sendo o meu processo de descoberta, tanto de sonhos, quanto de prioridades, forças e fraquezas. O que vocês acham?

Hoje optei por contar os motivos que me fizeram procurar um profissional e falar um pouco sobre esse serviço tão especial, que muda tanto a vida das pessoas. Acredito que ele vai me ajudar a empreender com muito mais sucesso, em todos os âmbitos que desejo.

Joana-e-Pollyana

No fim desse primeiro mês notei que minhas questões não são tão diferentes de quem quer se reposicionar no escritório, mudar de área, trocar de empresa ou buscar uma nova vocação. São todas questões com fundos parecidos e um profissional com experiência pode fazer uma enorme diferença.

Nosso programa inclui 10 sessões, ao chegar da última (a quarta) não tive dúvida, queria falar disso aqui.

Passei algum tempo tendo arrepios quando alguém me dizia “crise é oportunidade“. No meu meio isso parecia bastante irreal e não conseguia ver além do nevoeiro. Durante minhas sessões notei que não tem cenário melhor do que esse atual para se compreender, se reposicionar e fazer mais (e melhor). A urgência de fazer algo nos leva a sair da inércia.

Com a metodologia certa fica realmente possível mudar de perspectiva e mudar a forma de enxergar as situações. O coaching nada mais é do que um processo onde o foco é atingir suas metas.  Você vai de um lugar ao outro com o auxilio de um método super comprovado. É um processo que leva a ação, transformação e mudanças, mesmo! Ainda não cheguei nem na metade, mas já pude notar muitas diferenças.

 Na AZ, o modelo é o apreciativo, isto é, focado no ser. Elas trabalham o autoconhecimento,  assim a mudança é de dentro para fora.

Quem você precisa ser para obter os seus resultados?

Para ser quem a gente deseja e realizar nossos sonhos é preciso mudar algumas coisas na nossa maneira de pensar, a mente precisa começar a funcionar para nos ajudar e não atrapalhar. A ideia do coaching apreciativo é fortalecer a identidade e não apenas trabalhar no desenvolvimento de habilidades. Quem me conhece sabe que isso é a minha cara! :)

 Claro que o desenvolvimento de habilidades é muito bom, você aprende coisas novas, mas nem sempre consegue colocar tudo em prática. As vezes não basta saber como devemos fazer, precisamos praticar para mudar. Assim tem sido nas minhas metas e deveres de casa, que achei que seriam dolorosos, mas estão fluindo naturalmente.

O coaching contribui para o desenvolvimento da performance, do nível de satisfação e realização, além de trazer mudanças e transformações positivas, que são para ser duradouras (que assim seja!).

Minha terapeuta está adorando esse meu processo, eu também, hoje já me sinto diferente. Caminhando para frente, mais forte e melhor, rumo aos meus sonhos, que agora me parecem cada vez menos impossíveis.

snap-save-joana

Vou tentar falar de algumas das dinâmicas num próximo post, muitas coisas tem me surpreendido nesse processo.

As imagens deste post são do meu snapchat (blogfutilidades)! Se quiser, me segue lá. :)

Beijos

Falando com a Pollyana que iria fazer esse post, ela me disse que era importante mencionar que a prestação de serviços de Coaching não se equivale às atividades de aconselhamento, terapia, psicoterapia, psicanálise, diagnóstico, tratamento de doenças físicas ou mentais, entre outras atividades de natureza médica, jurídica ou espiritual, não devendo o Coachee utilizá-la como substituta para tais.

Gostou? Você pode gostar também desses!

6 Comentários

  • RESPONDER
    Rayssa
    28.03.2016 às 11:43

    Legal, Jo.
    Eu era bem curiosa para saber acerca deste processo. Seu post me interessou mais ainda. ;)
    Sucesso e boa sorte com essa nova caminhada, ou forma de caminhar!

  • RESPONDER
    Isabella
    28.03.2016 às 12:57

    Adorei o posto Jo! Tenho uma vontade enorme de fazer um coaching mas aqui na minha cidade é muito caro. Vc pode falar sobre os valores? Continue nos informando sobre esse tema. Beijos

  • RESPONDER
    Ariane
    28.03.2016 às 19:58

    Eu fiz algo parecido mas com o nome de teste vocacional mesmo, mas este para quem quer mudar de área ou até se certificar que está na profissão “certa”, aposentados que não querem parar de trabalhar, e por aí vai. Tenho 33 anos e sempre fui insatisfeita e perdida no âmbito profissional, fiz com uma psicóloga, isso tem uns dois anos.
    Gostei da experiência mas tem exercícios que são bem incômodos né?, teve um que pedia para parente e amigos listar qualidades e defeitos.

    Parabéns pelo post. Um abraço!!!

  • RESPONDER
    Amanda Gomes
    30.03.2016 às 14:38

    Jô, durante um momento de insatisfação com a faculdade (estava cursando o oitavo período da faculdade de direito) tive contato com um coaching (ele é professor de direito e coaching) e a visão dele de mundo e a forma positiva com que ele nos falava sobre a profissão de advogado me fez refletir e mudar minhas perspectivas.
    Acho super interessante a abordagem desse tema.
    Sucesso sempre, mil beijos.

  • RESPONDER
    Mariana
    31.03.2016 às 14:32

    Eu quero muito fazer, eu acho que vou deixar a coach maluca !!!

    Amei as suas explicações .

    Beijos

  • Deixe uma resposta