34 em Comportamento/ Publieditorial/ Reflexões/ Relacionamento no dia 11.12.2015

O pioneiro das Laranjeiras: conhecendo alguém em 10 horas.

Era julho. Fazia pouco tempo que um sujeito havia bagunçado minha cabeça, e já passava da hora de pular fora daquela situação. Resolvi seguir o conselho da Cá, que lembrou que já tínhamos falado do Happn aqui no blog, e entrei despretensiosamente nesse aplicativo de encontros. Aqui começa uma fase de novas experiências, descobertas e muitas risadas.

Alguns dias depois, a caminho de um encontro entre e amigos, recebi um charme (podemos traduzir como uma manifestação unilateral da vontade de iniciar uma conversa com grandes chances de culminar em um encontro). Me espantei. Curti! Em poucos segundos já estávamos entretidos na maior conversa e, para minha surpresa, vi que, de acordo com o app, já tínhamos nos cruzado 4 vezes (como que esse “partidão” ainda não havia aparecido na minha telinha?).

Encontrei os meus amigos. Já no taxi, voltando pra casa, restabeleci contato. A maior descoberta estava por vir: ele era meu vizinho. Já de pijama e com a maquiagem reduzida a um rímel teimoso que não quis sair direito, eis que surge um convite para a saideira. Li. Pensei. Aceitei internamente mas achei por bem recusar, poderia parecer desespero (e minha cama, meu pijama e meu rimel borrado estavam mais tentadores do que um encontro surpresa, confesso).

Foi ai que, inesperadamente, me deparei com a segunda investida do rapaz: um convite para almoçar já no dia seguinte. Li. Pensei. Aceitei, dessa vez não apenas internamente.

Acordei cedo, trabalhei e quando menos esperava, a confirmação do nosso encontro estava ali na tela do celular. Foi um misto de ansiedade com desespero. Gelei! Quis desmarcar, mas respirei fundo e fui me arrumar.

Iniciou-se a parte mais difícil de todo pré encontro, a escolha do look. O que vestir em um primeiro encontro sem saber sequer para onde você vai? Depois de experimentar todo meu guarda-roupa e transformar meu quarto no verdadeiro caos, optei pelo combo zona de conforto máximo – short jeans rasgado, camiseta e colete de alfaiataria – #criativa Aproveitei para colocar minha espontaneidade na bolsa, porque sabia que iria precisar.

Look-do-dia-no-dia

Antes que eu pudesse dar aquela olhadinha final no espelho, eu já estava lá embaixo, frente a frente com aquele que seria protagonista do melhor primeiro encontro da temporada. Ele, com seu jeito super tranquilo e natural de ser, e eu, sem saber onde enfiava a cara. Nesse momento eu podia sentir cada borboleta que voava dentro do meu estômago.

Ufa (pensei)! Ele era a mesma pessoa das fotos, talvez até uma versão melhorada, o que é artigo raro em tempos de facetune, photoshop e internet. Acho que demorou alguns minutos para que eu abandonasse a tensão, já não me recordo (eram tantas emoções). Entramos no taxi e eu disse que o destino era Santa Teresa. Em poucos segundos sua mão já alcançava meu joelho. Gelei mais uma vez. Estranhei mas Curti! Foi de um jeito fofo, uma aproximação diferente mas confortável! Contudo optei por fingir que nem tinha notado e continuei tagarelando.

Foi assim que eu e esse forasteiro, morando há pouco tempo aqui no Rio, fomos parar no Bar do Mineiro, lugar que eu escolhi para o almoço. A ideia era comer uma feijoada, tomar uma cerveja e jogar uma certa conversa fora. E assim foi feito. A intimidade foi acontecendo de forma natural, os assuntos variaram desde histórias familiares, infância na fazenda, viagens e sonhos. Cada frase era ouvida com atenção na medida que o álcool permitia. rs

Almoço de hoje: feijoada no Bar do Mineiro! <via Jo>

A photo posted by futilidades (@futilidades) on

Chegamos então na parte mais esperada, que ocorreu da forma mais inesperada possível: o beijo. Magicamente ele, que estava do outro lado da mesa, aproximou-se e interrompeu o assunto da forma mais sutil e agradável que alguém poderia desejar. A sensação misturava constrangimento e alivio. Foi bom! Muito bom! A sintonia foi imediata.

Passamos o dia juntos, desde o almoço até o jantar. Sim, minha primeira experiência com o aplicativo resultou em um “date” de mais de 10 horas, que terminou com chave de ouro em um badalado food truck perto de casa (o qual, mesmo depois de quase 30 anos morando na região, eu desconhecia). Ele me deixou em casa (pontos para ele) e eu cheguei meio chocada !

Pausa para observação: vocês devem estar se perguntando que fim levou o tal sujeito que tinha bagunçado a minha cabeça? Não sei. A essa altura nem eu lembrava mais dele.

Marcamos um segundo encontro, que aconteceu dois dias depois e foi ótimo porém mais rápido que da primeira vez, 7 horas e 43 minutos cronometrados no relógio. Saímos outras vezes. Tive oportunidade de conhece-lo mais a fundo e admirá-lo cada vez mais. Entretanto, ao mesmo tempo em que estávamos em fases muito parecidas também vivíamos momentos muito diferentes, o que pode parecer um contrassenso. Explico: a sintonia era notória mas os projetos de vida divergentes.

Os dias de encontros dignos de livro dos recordes chegaram ao fim, mas guardo com muito carinho todas as histórias, as lembranças e os aprendizados que tive com ele. Vida que segue!

 Ficha técnica do encontro:
Fotos: Faziam justiça.
Primeiro encontro: Muito bom!
Saíram de novo? Sim
Quantas vezes saíram? 4.

Curtiu esse post? Conta para a gente! O Happn rendeu algumas histórias bem legais e podemos tentar transformar mais algumas delas em post. 

Beijos

publipostO texto deste post é baseado em fatos reais.

 

Gostou? Você pode gostar também desses!

34 Comentários

  • RESPONDER
    mayra
    11.12.2015 às 10:42

    Adorei Jo. E essa feijoada do mineiro hein! desejei. Em tempos de tanta superficialidade eh legal ver historias desses aplicativos que realmente promovem encontros legais entre as pessoas.

    bjss

  • RESPONDER
    Elô Gerolin
    11.12.2015 às 10:46

    Gente, amei esse post! Parece uma daquelas crônicas que lemos nos livros. Outra coisa bacana é que ele desmistifica essa coisa do encontro via aplicativo, que pra muitas mulheres é algo impensável! Achei interessante e vou recomendar para as amigas solteiras!

  • RESPONDER
    Lilian
    11.12.2015 às 10:48

    Adorei!! E estou tendo uma ótima história por conta do happn…. Mas espero que a minha renda mais…. rsrsrs

    • RESPONDER
      Joana
      11.12.2015 às 10:50

      Eu também, mas sobre essa não vou falar aqui não! rs ;) #segredosdajo

  • RESPONDER
    Carol R.
    11.12.2015 às 10:52

    Jo
    Muito legal esse post, fique imaginado os detalhes do encontro, estilo Bridget Jones com modernidade por conta do happn. Quero saber mais detalhes sobre as próximas aventuras.
    bjs

  • RESPONDER
    Bruna Genovese
    11.12.2015 às 10:56

    COMO ASSIM VIDA QUE SEGUE????? E eu aqui do outro lado? Mega, hiper, ultra curiosa pra ouvir mais e mais sobre esses encontros? Afff, eu realmente tenho um fraco com romances. Sabe que sua história me fez lembrar uma série que ando lendo bem devagarinho… Medo de acabar. É um pouco adolescente, mulherzinha, mas de fato, viciante. Chama “After”, e olha a coincidência, também quero saber o que aconteceu “depois” por aqui.

    • RESPONDER
      Joana
      11.12.2015 às 10:59

      Vou procurar essa série!!!

      Vida que segue não quer dizer algo negativo né? ;)
      Foi super legal enquanto durou e tiveram histórias engraçadas que vieram depois…
      Sem contar que como diria minha mãe… “o melhor está por vir”.

      Beijos

  • RESPONDER
    Ana Paula
    11.12.2015 às 10:58

    Simplesmente amei esse post… Lembrei meus tempos de solteira, como esses encontros são divertidos e preparam a gente para quando ” A PESSOA CERTA” aparece… Encontrei o meu a 7 anos e vc arrancou sorrisos do meu rosto me fazendo lembrar do nosso primeiro encontro…
    Vcs são demais, amo o F-uti.

    • RESPONDER
      Joana
      11.12.2015 às 11:06

      Nossa, adorei seu comentário! :)

  • RESPONDER
    Lyanna
    11.12.2015 às 11:32

    Jô versão escritora. Amiga pode começar a escrever o livro. Nada poderia ser mais a sua cara do que ficar tagarelando enquanto ele encostava no seu joelho. Já temos nossa Bridget Jones versão carioca. Me conta se esse forasteiro tem sotaque britânico igual o Hugh Grant!!!
    Vou ficar acompanhando essa sua saga para encontrar o “par perfeito”, a “tampa da panela”, a “metade da laranja”, o “paio da sua feijoada” (hahahaha em homenagem ao primeiro date)

    • RESPONDER
      Joana
      11.12.2015 às 12:55

      Muito bom Ly!!! hahahaha
      Seus comentários já eram bons quando você era só leitora, quando virou amiga ficou melhor ainda! #bemvindaintimidade
      Versão escritora foi ótimo, quem me dera babe. :)

  • RESPONDER
    May
    11.12.2015 às 11:53

    Jo, amo acompanhar suas histórias. Essa, definitivamente, mostra que aplicativo de relacionamento não é algo negativo, não pode ser algo que gere preconceito. É um jeito moderno de conhecer pessoas, oras! E se der romance, ótimo! Se der amizade, ótimo! O que importa é não ter medo de ser feliz!

  • RESPONDER
    Camyla Mendes
    11.12.2015 às 12:01

    Que post massa! Adorei mesmo! Publipost com qualidade, com conteúdo, vocês arrasam! bjss

    • RESPONDER
      Joana
      11.12.2015 às 12:07

      É publi mas é 100% verdadeiro! :) assim que é bom né? Falar de algo que você usa e curte!

    • RESPONDER
      selma
      11.12.2015 às 14:15

      Serio que é publi? Não percebi, a historia foi tão bem escrita que ficou leve e com cara de romance de filme! Curti…

  • RESPONDER
    Sinara
    11.12.2015 às 12:55

    Ameeeei esse post!!! Não posso negar que esperava um final diferente, mas ficou maravilhoso. Vc manda muito bem!!!

    • RESPONDER
      Joana
      11.12.2015 às 13:00

      Hahaha na época eu também passei por isso! rs
      Depois vi que aconteceu exatamente o que tinha que acontecer para eu estar exatamente onde estou agora. :)

  • RESPONDER
    Rafa
    11.12.2015 às 15:21

    Jo, adorei o texto! Super leve e divertido! Parece conversa de amiga mesmo!!
    Bjos!

  • RESPONDER
    Nathália
    11.12.2015 às 15:29

    A-M-O apps de paquera! Esse eu não conheço porque o (não sei se falecido já) Tinder deu certo pra mim de primeira e eu já nem sei mais o que é isso! <3
    Antes morria de vergonha de falar isso… mas hoje quando conto pras pessoas todo mundo já se empolga! haha… Conheci meu amor por lá, logo na primeira semana de lançamento e somos 'só love' desde então!
    Uma hora "funfa" pra você também Jô!

    Acho que é a nova moda e já já nossos filhos (haha) vão estar assim: e aí, você foi de tinder ou happn? KKKKKK #Viajei

    Beijos pra vocês! :)

  • RESPONDER
    Leticia
    11.12.2015 às 18:12

    Ei Jô e leitoras amigas! Posso ser bem sincera com vcs? Eu MORRO de vergonha de me arriscar em app de paquera! Quando vejo uma história dessa, fico contente e animada, mas aí eu penso: e se o meu vizinho ver que eu to lá? E se um cara do colégio no qual eu tinha amor platônico me descobrir? E se meus primos pentelhos veem isso, vou ser zoada o resto da vida, sério! Ok, vcs vão falar: a vida é sua, vc é solteira, se joga! Mas minha caretice não permite! Alguém mais partilha disso? Será q eu me arrisco?

    • RESPONDER
      Joana
      11.12.2015 às 18:27

      Eu pensei assim umas duas semanas antes de entrar, mas honestamente? Não existe isso.
      Todo mundo hoje em dia usa, quem critica vai usar assim que ficar solteiro, não é uma coisa “estranha”.
      É tão normal quanto usar o chat pra se comunicar com as pessoas. Eu entendi isso e relaxei.
      Honestamente, eu conheci alguns dos caras MAIS LEGAIS com quem eu sai (e sai várias vezes) ali, claro que vou falar pra você se jogar.

      Eu não acho que devamos alimentar nenhum tipo de preconceitos com o app.
      Vale usar direito, com calma, conversar bastante e sentir se você combina com a pessoa. :)

    • RESPONDER
      Nathália
      11.12.2015 às 18:38

      Pensa isso não sá! Quando eu entrei TODO MUNDO tava lá… sério! E nada de pensar “Eu não sou todo mundo” hehe… Porque no Tinder, ainda rolava aquela coisa de ‘match’, aí o mais engraçado é dar ‘match’ com essas tais pessoas!! Zoação na certa! ;)

      Você vai se espantar com o monte de gente que vai encontrar que acha te zoaria por estar ali e no final das contas também está!

  • RESPONDER
    Caroline
    11.12.2015 às 18:42

    Que legal Jo,

    Compartilhar essas experiências é importante!!! Ainda mais uma saída boa.
    E mesmo que não tenha evoluído para um relacionamento mais sério, foi alguém que te acrescentou bastante. É o que dá pra sentir.
    E isso é o melhor! Muitas pessoas ainda têm preconceitos com esse tipo de aplicativo.
    Eu mesma já tive, e muito! Até aprender que ele é como na vida, tem gente de todo jeito, e que no fim tudo depende da nossa energia pra atrair pessoas legais!

    • RESPONDER
      Joana
      11.12.2015 às 20:07

      VC TOCOU NO PONTO C-H-A-V-E: a energia boa pra atrair histórias boas!
      Isso aconteceu comigo CLARAMENTE. :)

  • RESPONDER
    Isabella Bella =)
    11.12.2015 às 19:12

    Nossa! Sabe quando vc sai com uma amiga, ela vai te contando a estória do carinha que ela conheceu e vc vai se arrepiando e sentindo aquele frio na barriga em algumas partes emocionantes? Foi assim que me senti Jô!
    Olha, vou te falar que gostei dele e da sintonia que rolou entre vcs hein? Sei lá, vou ficar na torcida para os projetos de vida de vcs se encontrarem em algum momento! <3
    Adorei o post! Eu ainda não baixei nenhum desses aplicativos de encontros mas confesso que conheço tantas estórias de pessoas que encontraram pessoas legais que estou criando coragem!
    Beijo, Bella ( sou a Bella do periscope)

    • RESPONDER
      Joana
      11.12.2015 às 20:06

      Adoroooooo quando a turma do Periscope vem pra ca!
      Baixa o Happn, você não vai se arrepender…
      Quanto a torcida, eu entreguei tudo pra Deus. Que a estória que for pra ser minha aconteça e me faça feliz. É isso que eu quero! :)
      Não to podendo reclamar da vida não. <3

  • RESPONDER
    jo
    11.12.2015 às 19:23

    esse post foi muito legal Jo,….. a estória ficou engraçada, leve mas confesso que fiquei curiosa porque parece que tem mais “babado”…parabêns! mandou bem neste post, nao ficou chato nem clichê…

  • RESPONDER
    Louise
    12.12.2015 às 2:09

    Nunca utilizei nenhum app com essa proposta. No entanto, tenho uma amiga que sempre me incentiva (ela casou-se há pouco mais de um mês com um carinha que conheceu no Tinder). Ontem mesmo ela tornou a me sugerir isso. Daí lembrei que já tinha lido seu post anterior sobre o Happn e tinha ficado um pouquinho tentada……daí hj entro no blog e me deparo com esse texto….será um sinal?! Rsrsrs

  • RESPONDER
    mari
    14.12.2015 às 1:14

    jo, vc nao falou que tinha desistalado o aplicativo? que foi legal, mas que no momento havia dado um tempo (algo assim), vc voltou pro aplicativo em razao do publipost ou vc nao voltou? ou mudou de ideia do nada e voltou ao app?
    fiquei curiosa, pois a estoria foi legal, mas de fato nao rolou um interesse na mesma intensidade pelo que vc falou.
    essa questao da “fase diferente” é uma boa justificativa quando nao rola kkkk
    quando vc quer dar certo, minha amiga, nao tem tsunami que te impeça.
    de qq forma, o publi ficou super legal, bjs

    • RESPONDER
      Joana
      14.12.2015 às 4:26

      Não voltei não! Todas as estórias que tenho são anteriores a minha saída, referente aos 3 meses e pouco que fiquei por usando o app ( eu evito falar disso, pq não sabemos o dia de amanhã, mas mesmo tendo saído estou curtindo algo que veio dali também, colhendo frutos do uso. Eu não posso negar que fazer um publi deles é endossar algo que me trouxe MUITAS coisas legais como pessoa, algo que eu recomendo pra minhas amigas solteiras diariamente).

      Quanto a esse cara… Eu não considero desculpa não. Acho que a vontade inclusive fez com que a gente tenha tentado se rever algumas vezes depois, mas o universo não conspirou. Acho que rolaram muitas coisas que não dão pra explicar no post, mas com certeza a química, o respeito e a vontade foi mútua por um tempo. Depois acho que a divergência de planos pesou mais do que o interesse de ambas as partes e por isso acabou. Não acredito que tenha sido algo simplista não. Não mesmo, mas acho que tudo que rolou foi perfeito para que o melhor acontecesse.

      Também acho que se tivesse “seguido” eu não teria vivido as outras estórias e nem estaria vivendo a fase que vivo agora, ambas as situações eu não trocaria, por nada e nem ninguém. Ainda que tudo fuja do conceito “tradicional” de dar certo.

      E pode ter certeza, se em alguma hora eu quiser conhecer novas pessoas eu vou voltar pro app. Agora To numa fase de conhecer melhor antigas. ;)

  • RESPONDER
    Wal
    14.12.2015 às 15:31

    Jo, que post legal! E que história legal! O final foi meio aqueles filmes que você pensa “como assim?”, mas acaba amando do mesmo jeito.

    Eu sou casada e estou com meu marido há um tempão, mas na época de solteira, a long time ago, costumava usar sites como o parfeito (ainda existe, gente?) e tive experiências incríveis que me acrescentaram demais! Às vezes dá vontade de fazer a Jout Jout e me cadastrar um dia só pra saber como é. hahahahaha

    E que você continue exalando energias positivas porque o mundo vai devolvê-las em dobro!

    Beijos

  • RESPONDER
    Cristiano
    15.12.2015 às 21:23

    Buenas gurias.

    Que bacana este texto, li com empolgação e cheguei a ficar brochado quando chegou no final, jurei que teria mais alguns parágrafos, pois afinal queria mais. Pra ti ver, o efeito foi delícia! Huasha. Senti uma coisa suave, gostosa e borbulhante de alguém que está curtindo de verdade o momento que está vivendo. Não sei porque, mas me veio a cabeça Confissões de Adolescente com o elenco clássico, hauhsas.

    Mesmo que não tenha tido continuidade pelos projetos de vida diferentes, algo que para mim ficou incluído na chave de ouro deste date foi o de pessoas querendo e se fazendo bem, doando e compartilhando. E mesmo que seja casual, qual o problema? O bacana são os sorrisos sinceros extraviados do momento.

    Jô, adorei! Sem muito mais…

    Abraço! =D

  • RESPONDER
    Cláudia
    16.12.2015 às 19:40

    Oi Jô, estou de conversa com um lindinho do Happn e ele pediu o meu whatsapp, só que por engano,que espero não tenha sido letal,eu não o adicionei… mas tudo bem;agora se acontecer dele me convidar pra sair,aonde devo sugerir para irmos.Me responda,please….

  • Deixe uma resposta