27 em Comportamento/ Reflexões/ Relacionamento no dia 28.07.2015

Relacionamento: Sobre o dilema do sexo no primeiro encontro!

Se tem uma coisa que eu vejo dividir opiniões DE VERDADE entre mulheres e homens é a história do sexo no primeiro encontro. Não me impressiona dividir a opinião dos homens, mas me impressiona dividir a opinião das mulheres. 

Queria ter me chocado lendo essa matéria do Buzzfeed sobre 27 coisas que as mulheres precisam parar de falar uma para as outras, mas não aconteceu, tudo era previsível. No item 2 estava lá uma das piores premissas para se escutar em pleno 2015: “você deu para ele na primeira vez?”.

62a8d770-9aba-0132-e436-0e7954aeedc0Vontade de responder: “não, nós tivemos uma festa do pijama adulta”

Como praticamente tudo na vida, cada caso é um caso, e o melhor é parar de criar regras e rótulos, como se existisse uma espécie de manual ou planilha a ser seguida. Cada pessoa é única e (provavelmente) tem a capacidade de julgamento necessária para optar pelo que fazer ou não em cada situação.

Toda generalização é BURRA, então carregar a máxima que NUNCA se deve dar no primeiro encontro como verdade absoluta também é. Dito isso, vou continuar minha linha de pensamento.

sexo-no-1-encontro

“Vamos transar no primeiro encontro para evitar a pressão de não transar no primeiro encontro” – Porque fazer piada faz parte!

Eu queria dizer que esse assunto é um mito, como deveria ser, mas infelizmente não é. Outro dia eu ouvi de um cara MUITO LEGAL que ele fica mais interessado e curioso quando a menina não dá de primeira, afinal, a maioria que está caindo em cima dele quer dar no primeiro momento. Quem sou eu para julgar como ele se sente? Ninguém. Só fico pensando que, na verdade, o filtro do interesse não deveria ser o sexo em si, e sim o quão interessante aquela mulher é, nas afinidades entre os dois e se ambos estão na mesma página em termos de expectativas. Sem falar na química, fator importante em qualquer status de relacionamento, rolo ou primeiro encontro.

Existem mulheres que querem só sexo, existem mulheres que querem um encontro incrível no qual terminar em sexo pode ser uma alternativa – ou não – e existem aquelas que mesmo morrendo de vontade vão segurar para fazer tipo. Normalmente as últimas não conseguem lidar com a possibilidade de serem julgadas no dia seguinte.

Não quero julgar nenhum tipo de mulher, no entanto, julgo o machismo. Por que cargas d’água o cara que come várias no primeiro encontro é o máximo e a menina que dá é uma vadia? Ambos os sexos podem ter pessoas que só pensam em pegação ou sexo, só temos que começar a mudar a forma de pensar e entender que não existe bonito ou feio dependendo do gênero.

As amigas “mais fáceis” (termo horrível, eu sei) que eu tive são as mais fiéis e devotadas a seus compromissos sérios. Não arrisco dizer que isso é uma verdade universal – até porque bom caráter independe da necessidade de sexo que uma pessoa sente – mas é a mais pura verdade na minha amostragem pessoal.

Durante boa parte da minha vida de solteira dormir com um cara em um primeiro encontro não era uma alternativa, não tanto por medo do que os caras vão pensar, mas por lembrar de bordões como “menina direita não faz essas coisas“. Fato é que ainda hoje eu não me sinto confortável com a ideia de dormir com várias pessoas no primeiro encontro, mas não por julgamentos idiotas ou pressões externas, me sinto assim porque eu preciso me sentir muito à vontade antes de qualquer possibilidade, e isso não é tão comum, ao menos não até o presente momento.

Talvez esse meu incômodo aconteça por causa dos anos e anos que eu achei que não seria uma “menina direita” se fizesse isso? Talvez. Mas cada vez mais vejo que existem situações e situações, encontros e encontros, pessoas e pessoas. Se o cara conseguir me fazer sentir bem à ponto que eu não precise de tanta intimidade para sentir vontade e me divertir, eu vou mais é me jogar na situação.

O cara que não quiser mais sair comigo porque eu “dei” no primeiro encontro é o tipo de cara com quem eu também não quero sair mais. Simples assim, sem inseguranças e sem paranoias. Se o cara não consegue entender que uma “menina de família” pode querer dar como qualquer outra garota, ele não vai valer a pena, pelo menos não pra mim. Sempre fui fiel, nunca traí e não gosto de mentiras – peco até na transparência excessiva – então não vai ser agora que alguém vai me convencer de que eu não sou “um bom partido” por algo tão idiota.

Claro que não estou falando que todo mundo tem que dar em todos os primeiros encontros da vida, estou justamente falando que não deveriam existir regras. O único julgamento necessário é o seu.

Eu acredito num mundo onde as pessoas façam aquilo que elas TÊM VONTADE DE VERDADE. As vezes você saiu com um cara e foi totalmente fora da curva, foi tudo tão incrível que começa a fazer todo o sentido do mundo dormir com ele, por que não?

Se o cara for tão legal quanto parece, isso não vai mudar a postura dele no dia seguinte. Ele vai mandar mensagem pra você independente do que acontecer. Pode ser que ele não queira namorar naquele momento, pode ser que você não queira namorar naquele momento, mas o importante é que você vai ter mais uma história divertida para acrescentar na sua linha do tempo (imaginária, obviamente hehe).

E se ele não mandar mensagem? Se ele não o fizer porque você fez sexo com ele, eu só posso dizer uma coisa: que bom que você já fez o primeiro teste e a resposta foi que ele não valia a pena. Não valia para namorar, para peguete ou mesmo para ser a sua versão de “friend with benefits”.

Aqui cabe lembrar que mesmo quando você não dorme com o cara pode não rolar mensagem no dia seguinte, né? Aliás é o que eu mais ouço falar que acontece.

O cara que dormir com você não precisa querer namorar você, mas ele precisa seguir te respeitando como mulher e, acreditem se quiser, lá fora existem caras bem resolvidos a ponto de levar o sexo no primeiro encontro como algo normal, sem mudar o julgamento que tinha da mulher, como deveria ser para os dois lados.

E vocês, como se sentem quanto a esse tabu de “não se deve fazer sexo no primeiro encontro”?

Beijos

Se você se interessa por esse assunto leia esse texto do site Papo de Homem.
Eu confesso que achei muito bom e ainda digo mais, quero ser uma “mulher para casar” com os atributos listados no post. 

Gostou? Você pode gostar também desses!

27 Comentários

  • RESPONDER
    Marina
    28.07.2015 às 18:00

    Jô, acho que cada caso é um caso mesmo. Não dá para impôr uma regra. Depende muito do contexto, da situação e principalmente se você tá com vontade de fazer. Acho que fazer só para agradar o outro é furada. Mas se tá afim, o clima rolou, se joga e seja feliz. Carpe diem!!! Às vezes analisamos muito as coisas e perdemos o momento de aproveitá-las. Bjs

  • RESPONDER
    Mandy
    28.07.2015 às 18:14

    Achei demais!
    Namoro há 2 anos e transei com o meu namorado na primeira oportunidade que tive.
    Se ele tivesse me achado uma vadia? Ótimo, não é com uma pessoa dessa que vou compartilhar minha vida.
    Sempre digo para minhas amigas quando estão na dúvida de dar ou não (haha), dá mesmo! Poxa, por que não podemos? Isso é foda!
    Ser mulher bem resolvida é quebrar um tabu por dia (ou mais, se forem aos sábados).

    • RESPONDER
      Silvia
      29.07.2015 às 2:36

      Mesma coisa aqui! O lado ruim é que não estávamos bem preparados, risos! :) Cama dura, entre outras coisas que poderiam ser evitadas, risos!

      E se tivesse me achado uma vadia tb acho q não me merecia! Mas eu já disse para um garoto qdo eu tinha uns 5 anos que não gostava mais dele pq ele não confiou no que eu disse… Nunca tive paciência pra homem chato! Depois as pessoas não entendiam pq eu não aquentava mto tempo o mesmo cara, começavam todos a ficar iguais! Antes feliz do que com um chato do lado!

      Bjs!

  • RESPONDER
    Júlia Daher
    28.07.2015 às 19:09

    Também curtir demais o texto. Estamos realmente precisando nos libertar de certos pré-conceitos. No mundo que vivemos acho uma covardia, você ser julgada por uma coisa tão natural. Gente, existem coisas que a gente não planeja, simplesmente acontecem. Claro que também não acho que se deve abrir as pernas em todo primeiro encontro, mas quando as coisas rolarem de maneira legal e você se sentir bem, vá em frente.
    Fiquei dois anos sem relação nenhuma, e quando fiquei com o meu namorado a primeira vez rolou, a vontade partiu de ambos e fomos deixando as coisas rolarem, em setembro faz 4 anos que estamos juntos. Pra quem nunca comenta, o assunto rendeu. Beijos adoro o blog e adoro quando aborda assuntos assim Jô!

  • RESPONDER
    Caroline
    28.07.2015 às 19:15

    É fantástico um blog de moda/beleza/afins falar de feminismo com essa naturalidade. Acho que levas as ideias feministas a mulheres que nunca leriam conteúdos especificamente sobre esse assunto. Parabéns, Joana!

    • RESPONDER
      Ana Paula
      29.07.2015 às 11:08

      Concordo plenamente! A Jo ta mandando muito bem com essas reflexões!

    • RESPONDER
      Joana
      29.07.2015 às 13:34

      Obrigada meninas! Fico feliz de saber que vocês gostam desses textos de comportamento. :)

  • RESPONDER
    Erika
    28.07.2015 às 19:23

    Amei o texto! Parabéns por expor sua opinião sobre um assunto que, a princípio, não é o foco do blog.
    Super concordo com você. Não há regras. E se o cara “desiste” de você porque vocês transaram no primeiro encontro, sorte a sua! Ele não te merece e, provavelmente, é cheio de outros preconceitos!

  • RESPONDER
    Marcela
    28.07.2015 às 19:32

    Jô, amei o texto!
    Concordo totalmente com vc!!
    Vamos ser felizes sabendo as próprias vontades e limites, ouvindo a nossa voz e nao a dos outros. Parar de julgar a amiga, a namorada, a peguete por essa bobagem! Não tem nada a ver com romântico, especial, intimidade… Tudo isso pode ser coisa de um momento! As vezes o romantismo de uma noite é mt maior do que o de meses saindo..!
    E se o cara for sumir depois que vc transar com ele isso pode acontecer a qualquer momento, pelo menos vc aproveitou hahaha!
    A gente tem muito a que evoluir, e transar quando se sentir bem e quando vc julgar querer é a melhor coisa! Sem joguinho, sem esperar nada do outro, sem medo de julgamentos!
    Isso ai jo!!!
    Beijao

  • RESPONDER
    Bianca
    28.07.2015 às 21:02

    Concordo que não deve haver regras, só achei que o artigo do Papo de Homem – ainda que na boa intenção – acabou por cometer o mesmo erro que criticou: definiu um novo padrão de “mulher pra casar”.

  • RESPONDER
    Ana Souza
    28.07.2015 às 22:55

    Bem neste curto vídeo do Programa sem Vergonha, a apresentadora resume bem o que eu acho.
    https://www.youtube.com/watch?v=kbj4JIxqLcs
    Ela fala sobre sexo com a maior naturalidade do mundo, o quê é de fato o sexo é natural. As pessoas problematizam muito.
    Bjus

  • RESPONDER
    Silvia
    29.07.2015 às 2:30

    Minha única preocupação é segurança. Uma amiga uma vez saiu de uma boate com um cara pra casa dele e depois, ele simplesmente falou “se você precisar posso te dar o dinheiro pro taxi”. Há?! Como assim?! Não era o que eles tinham combinado e eu emprestei o dinheiro pra ela voltar pra boate que estávamos. Então eu sempre optaria por um terreno neutro e seguro.

    Infelizmente machismo existe pra caramba, prova disso é que ainda acham q roupa de mulher tem algum significado em se ela é fácil ou não. Como se alguém quisesse ser estuprada por exemplo e por isso saí de saia curta! Então esse é meu único problema em “dar” no primeiro encontro: você nunca sabe o que vai encontrar e no que vai se meter… Mas eu sou neurótica tá?! Já passei por várias situações desconfortáreis na vida em que se não estivesse em um lugar público, não sei o que teria acontecido. Ao mesmo tempo eu não suporto os caras – namoradinhos, casinhos até – que nem passar a mão na minha bunda passavam depois de um tempo. Era aquele negócio de me tratar como se eu fosse “pra casar” e pra casar não faz isso. Peraí, quem disse que mulher não tem libido?! Odeio 8 ou 80!

    Enfim, acho que entre dois adultos CONSCIENTES e concordantes vale tudo que eles quiserem! E não vejo real diferença de dar na primeira, segunda ou vigésima vez! Só acho que temos que ter um certo cuidado de não nos colocarmos em uma situação onde você não tenha como sair se acontecer algum problema. Então é importante ter camisinha, telefone carregado, aplicativo de taxi e eu sugiro um motel nessas situações – tem pra todos os preços. Ah! E se puder de um toque para alguma amiga – eu tinha uma que fazia isso sempre comigo – pq caso role algum problema, alguém pode te ajudar! E sem preocupação é só aproveitar o que a vida trouxer de bom!!!! Afinal s3xo é bom e ninguém deveria passar por nenhum julgamento de ninguém pq quer ou não quer fazer! Então vamos aproveitar pq a vida é só uma! ;)

    Beijos!!!!
    Ps: eu fui criada por dois médicos de CTI, então eles sempre foram mto jogo aberto comigo. E além disso eu sempre penso no que pode dar errado antes pra evitar o máximo possível de riscos que eu não quiser correr!

    • RESPONDER
      Luciana Pereira
      03.08.2015 às 16:33

      Concordo com você, precisamos tomar cuidado com a segurança, Camisinha na bolsa, telefone da amiga, dinheiro para o taxista e para qualquer outro imprevisto. E no mais muitas historias para contar.

  • RESPONDER
    karla
    29.07.2015 às 10:00

    É…cada um é cada um. Para mim, não transar num primeiro encontro não é questão dos padrões que a sociedade impõe,machismo ou algo do tipo. É que para mim o sexo é algo muito especial e íntimo (diria, inclusive, sagrado), por isso acredito que deva ser vivenciado com uma pessoa também especial, com quem se tenha uma história. Confesso que um carinha que eu conheço na primeira noite, para mim, está longe de ser especial. Pode ser uma pessoa interessante, atraente e tal, mas, para mim, ainda não é suficiente para eu querer fazer sexo com ela. Além do mais, eu não gostaria de fazer sexo com um cara para depois disso descobrir que ele é um grande idiota, sendo que eu poderia ter descoberto isso, por exemplo, com uma semana de convivência, sem ter “dado” para ele. Eu penso assim: eu não transando no primeiro encontro (até diria nos primeiros encontros), eu elimino os idiotas (aqueles que vêem a mulher como algo descartável, “como e passo para próxima”) ou até mesmo aqueles que não têm nada a ver comigo por incompatibilidade de pensamentos (convenhamos, quando a gnt descobre que o cara é chato até perdemos o tesão) . Claro q não é nenhum uma garantia, tem indivíduos que podemos até namorar anos a fio e depois descobrir que a pessoa não é tão legal quanto imaginávamos que era. Todavia, tendo uma postura mais cautelosa, a gnt evita dores de cabeça desnecessárias. Definitivamente eu sou uma romântica. rs Sexo é ótimo, mas para mim tem que ter carinho e amor e eu não consigo ter isso num primeiro encontro. Beijos, meninas

  • RESPONDER
    Caroline®
    29.07.2015 às 10:01

    Eu queria falar de duas coisas que não são o objeto do post, mas têm tudo a ver com o tema. Primeira: acho que a gente, refletindo como feministas, deveria tentar parar de usar a expressão “dar no primeiro encontro”. Por que a fala “dar”? Talvez eu seja meio paranoica, mas acho que isso exprime uma atitude passiva, uma subserviência que não bate com as nossas aspirações de liberdade e igualdade de gênero. Eu acredito que sexo é troca, ninguém “dá” nada pra ninguém. Ou melhor ambos se dão, compartilham. E a segunda coisa é: os caras têm de parar de julgar as mulheres, mas as mulheres têm que parar de julgar as outras e a si mesmas. Parar com essa babaquice (e burrice) de chamar quem quer que seja de periguete, vadia, galinha, fácil, ou toda sorte de slut shaming, Cada uma é cada uma: tem quem é mais livre em matéria de sexo, tem quem se sente mais confortável conhecendo mais a pessoa, tem quem quer esperar casar, tem quem é assexuada, tem de tudo. E todas merecem respeito igual. É como diz o ditado: respeita as mana, as mina, as mona, as miga….

  • RESPONDER
    Ana Paula
    29.07.2015 às 11:07

    Amei o texto, concordo plenamente, odeio essas regras e esses tabus. Se os dois querem, porque não?
    Conheci meu marido na micareta, trocamos muitos beijos e marcamos outro encontro e nossa primeira vez aconteceu assim, “de segunda” com cara “de primeira” pois foi nesse dia que tivemos um date de verdade e estamos maravilhosamente casados e juntos a 6 anos…
    Analisando minha vida, hoje eu sei que quando a mulher relaxa, se entrega, para de fazer tipo e para de alimentar expectativas em tudo, as coisas fluem lindamente!! Viver é tãooo mais simples do que parece… Todas as pessoas amam pessoas leves, homes e mulheres adoram se relacionar com gente assim!
    Amo o F-uti! ♥

  • RESPONDER
    Gabriela
    29.07.2015 às 11:33

    Aplaudindo de pé aqui, Jô!

  • RESPONDER
    Paola Alves
    29.07.2015 às 13:19

    Eu nunca fiz sexo no primeiro encontro por motivos de: medo do cara ser psicopata, juro! Mas é uma coisa meio boba minha, porque até mesmo uma pessoa que você acha que conhece bem, pode não ser o que parece né? Eu super faria sim se me sentisse segura, não vejo problema algum, inclusive recomendo HAHAHA! Só queria dizer que fiquei com vontade de abraçar o post <3 E ele entrou para o "links da semana" do meu blog, porque acho que esse tipo de informação, tem que chegar ao maior número de pessoas possível <3 http://simsemfrescura.blogspot.com.br/

  • RESPONDER
    Mariana
    29.07.2015 às 17:45

    Eu não sou a pessoa mais experiente do mundo ;

    Mas amo os posts da Jô de comportamento e comento mesmo !! A Chata.

    Eu fui uma adolescente típica de interior, careta, preconceituosa e que julgava todo mundo.
    Tola, pois peguei geral na faculdade, mas… (preconceituosa e machista ) não dava para ninguém.

    Ai o mundo se abre, você conhece as coisas e fui lá e minha primeira vez lixo foi em um primeiro encontro, para tirar o fardo mesmo. (Vergonha ).

    Depois disso criei mais barreiras, engordei, não me aceitei e agora que me dei um jeito (principalmente psicológicamente ), entendo que cada um faz o que tem vontade e sempre escondi minhas vontades.

    Hoje a minha melhor experiência foi de primeira vez que fiquei com um moço e pena que mora longe.

  • RESPONDER
    Monica
    30.07.2015 às 13:44

    Parabéns, Jo por mais um excelente texto. Nós também adoramos seus posts de comportamento! O tema é bastante polêmico e merece sim uma discussão. Temos que abandonar os preconceitos e sim seguir nossos desejos e princípios.
    Claro que temos que nos preocupar a segurança (acho que a Sil deu umas dicas boas como se poupar disso).

  • RESPONDER
    Heloisa Carvalho
    31.07.2015 às 9:41

    Que lindo seu texto! Temos mesmo que falar sobre isso e parar de julgamento com a mulherada! Também sou das que nunca deu no 1º encontro por motivos de: paranoia, rsrsrs. Meus medos iam desde ser uma experiência ruim até ser assassinada por um psicopata. Em compensação, quando me senti segura com a pessoa que estava saindo, dei na 1ª oportunidade! Nem estávamos namorando ainda, mas senti que não corria nenhum desses riscos malucos que passavam na minha cabeça. Hahaha. E foi minha primeira vez… Sem arrependimentos. E, por acaso, esse cara é meu marido hoje =P
    Ah, também acho que a Silvia deu dicas ótimas pra evitar qualquer susto, especialmente deixar alguém avisado e ser num local “neutro”.

  • RESPONDER
    Cristiano
    02.08.2015 às 11:18

    Bom dia gurias.

    Posso dizer que também não dou no primeiro encontro pra mulher, tem que ser super pra eu ceder. É como já disseram, tem que estar a vontade, e a conexão também tem de ser ótima, caso contrário não rola, mesmo que a excitação seja muito alta! Por que são níveis que se atinge até a abertura das portas e a entrega né, tipo level up! Huahua. Para mim pelo menos têm sido assim.

    Super curti este post, já está nos favoritos!

    Abraço! =D

  • RESPONDER
    Luciana Pereira
    03.08.2015 às 16:57

    Gostei muito do texto, tenho percebido entre as minha amigas que falar abertamente sobre o tema esta sendo mais tranquilo, do que tempos atrás, temos a liberdade de dizer que gostamos de sexo, sem sermos julgadas. E o fato de ficar com uma pessoas na primeira noite esta sendo mais dialogado. Meus pais nunca falaram sobre sexo em casa e isso sempre foi um tabu. Muitos pensamentos foram formados nas conversar com amigas.
    Acredito que precisamos sentir o clima e se está a fim, por que não fazer? Quanto ficamos mais maduras simplificamos as coisas, diminuímos os joguinhos.
    E o conselho seria tomar cuidado com a segurança, como foi dito pela Silvia, levar camisinha, telefone da amiga, dinheiro para o taxi e qualquer outra eventualidade.

  • RESPONDER
    Um casal muito especial
    06.08.2015 às 15:33

    Depois de 8 anos divorciado e alguns relacionamentos, conheci minha esposa ( Eu e ela, éramos divorciados ), num site de relacionamento adulto. Ambos procurávamos companhia para sexo casual. Claro que rolou sexo no primeiro encontro e confessamos nossas fantasias sobre troca de casais e sexo a três. Acabamos nos apaixonando ( Estamos juntos há 9 anos ), sendo que depois de uns 3 meses juntos rolaram nossas primeiras aventuras, envolvendo outros casais e outros homens, pois uma das fantasias dela era sexo com dois homens ( sem homo, pois somos héteros ).
    Estamos casados há 6 anos. de vez em quando fazemos alguma festinha, pois achamos muito gostoso !!!!!

  • RESPONDER
    Amanda
    27.09.2015 às 11:25

    Olha é muito estranho.. Quando eu era mais nova eu realmente pensava em me guardar para alguém especial, achava que sexo só rolava com historia e que eu jamais faria com outra pessoa no mundo.
    Eu mudei muito! Depois de 2 namoros de muita ilusão nos quais eu me entreguei de corpo e alma, eu meio que mudei muito radicalmente, só uma coisa a dizer: ser solteira é I-N-C-R-Í-V-E-L!
    Meninas vocês tem que se entregar mais, se solta! seja viva! Sexo é muito bom! Ainda mais quando é casual que não tem cobrança, é ótimo transar com alguém que vc não faz ideia do que ele está pensando, esses homens chatos de relacionamento ciumentos fica longe deles!

  • Deixe uma resposta