54 em Comportamento/ Experiência/ Saúde no dia 17.06.2015

Seu cachorro pode salvar vidas

Estou para falar desse assunto há muito tempo, mas eu tinha feito uma auto promessa que só contaria a história toda quando eu achasse que já era hora, e senti que essa hora chegou.

jack3Como vocês sabem, eu tenho um cachorro chamado Jack. Ele é um shih tzu de 5 anos, meio safado mas muito companheiro. Ele sempre teve a saúde de ferro, em 4 anos nunca tinha tido nada, nem dor de ouvido, e minhas idas ao veterinário eram exclusivamente para dar banho e pegar atestados de saúde para poder viajar de avião com ele.

Até que no final de Julho do ano passado, surgiu uma bolinha no pescoço dele de repente. Fizemos vários exames, inclusive de linfoma (quase morri quando me disseram que essa era uma das suspeitas), e nada. Teoricamente estava tudo bem, tirando o tal linfonodo inchado e algumas enzimas do fígado alteradas. Ele tomou uns remédios, a bolinha sumiu e aparentemente as enzimas voltariam ao normal depois dos medicamentos.

Agosto 2014/ Depois das bolinhas no pescoço terem aparecido

Agosto 2014/ Depois das bolinhas no pescoço terem aparecido

Até que Setembro do ano passado, estávamos no Rio, na casa dos meus pais, quando o Jack sofreu uma convulsão. Eu não estava em casa, quem presenciou a cena foi a minha mãe, que ficou desesperada (confesso que dei graças a Deus por não estar presente na hora, acho que eu teria uma convulsão também), mas como ele melhorou em seguida, ela preferiu apenas ficar de olho. Ele continuava brincando com os outros cachorros, comendo normalmente, latindo quando ouvia barulhos e não desconfiamos de nada. Só que no dia seguinte à convulsão, ele só sabia ficar deitado. Levamos para a clínica veterinária (Animalia, no Rio) e, na mesma hora, a doutora já sabia que ele precisava de uma transfusão de sangue. Anemia profundíssima (a anemia começa quando o hematócrito está menor que 37, o dele estava 15!), e a convulsão aconteceu porque já tinha pouco oxigênio no sangue. Sinceramente, ela não sabia explicar como ele ainda estava de pé mesmo estando tão fraco.

Ele ficou internado (foi a pior noite da minha vida, óbvio), fez vários exames para ver se era alguma doença parasitária, e a medida que todos iam dando negativo, só uma opção – a pior, na realidade – pareceu ser a certa: aplasia de medula óssea, ou seja, o corpo dele tinha parado de produzir a série vermelha do sangue. O motivo? Não tem como afirmar com certeza, mas levando em conta que o primeiro sintoma apareceu 20 dias depois, é provável que tenha sido uma reação muito muito rara à vacina.

No dia da 2a. transfusão

No dia da 2a. transfusão

Sinceramente, quando eu descobri, eu nem sabia onde procurar ajuda. Fiquei perdida, sem chão. Só para vocês terem uma ideia do meu desespero, eu não queria voltar para SP porque não sabia o que fazer. Até que um dia, explicando o caso para uma amiga que fez veterinária, ela me deu o contato de uma hematologista que fica em SP, a Dra Silvia Ulata.

Em Outubro de 2014 fizemos a primeira consulta e desde então, o Jack tem tomado altas doses de corticóide, imunosupressor e vários remédios para proteger os orgãos dessa quantidade de medicamentos. Além disso, é exame de sangue toda semana, ultrassom todo mês, acupuntura, campos quânticos e uma série de tratamentos ocasionais para resolverem probleminhas que vão surgindo, como úlceras de córnea e erupções na pele. E eu ainda dei muita sorte por ter um cachorro tão forte, já que ele tem surpreendido a própria Dra. Sílvia, que as vezes não consegue acreditar como ele suportou bem – e por tanto tempo – as doses de corticóide cavalares que estava tomando.

Em janeiro, o resultado da citologia de medula foi tão desanimador, que a hemato nos indicou tentar terapias alternativas para ajudar no tratamento. Começamos então, a acupuntura, campos quânticos e fitoterápicos, que eu acho que ajudou o Jack aguentar isso tudo da melhor forma possível!

Em janeiro, o resultado da citologia de medula foi tão desanimador, que a hemato nos indicou tentar terapias alternativas para ajudar no tratamento. Começamos então, a acupuntura, campos quânticos e fitoterápicos, que eu acho que ajudou o Jack aguentar isso tudo da melhor forma possível!

Infelizmente, essa é uma área que ainda não está tão avançada e tem poucos estudos de caso para os profissionais se basearem. A própria hematologista disse que já pegou casos parecidos, mas nenhum como o do Jack. No entanto que, desde o inicio, a minha esperança estava em estudos de hematologia humana que mostravam que em algumas reações à vacina, geralmente iam passando conforme ela ia perdendo seu efeito.

Depois da 3a. transfusão/ tosamos ele porque o pelo estava todo falhado devido às transfusões e citologias de medula

Depois da 3a. transfusão/ tosamos ele porque o pelo estava todo falhado devido às transfusões e citologias de medula

Nesses meses (vai completar um ano no final de Julho), ele passou por 3 transfusões de sangue, sendo que a última foi em Janeiro. Até o momento, tudo indica que o Jack não precisará encarar mais nenhuma (graças a Deus, afinal, quanto mais transfusões, mais risco de dar errado). Eu sou supersticiosa e não queria falar antes sobre o assunto com medo de “chamar”, mas acho que agora estou otimista e confiante o suficiente para falar sobre isso: doação de sangue canino!

Nós demos muita sorte nas 2 primeiras transfusões porque achamos rapidamente bolsas compatíveis, mas a 3a. foi meio “de surpresa” porque o banco de sangue estava sem estoque e só uma clínica de confiança da Dra. Silvia tinha a bolsa que o Jack precisava. O problema é que essa clínica não reservava a bolsa, de modo que tivemos que sair correndo para garantir que o Jack recebesse a transfusão antes que outro cachorro precisasse. Foi um sufoco, e desde então, eu tenho sentido essa vontade de incentivar a doação!

doacao-de-sangue-caninaQuem tiver cachorros de 1 a 8 anos que estejam saudáveis, pesem acima de 25 kg mas não sejam obesos, que sejam vacinados e cadelas que não estejam prenhes ou no cio, podem transformá-los em doadores. Hoje em dia, em SP, são cerca de 100 doações por mês, a maioria de animais de canis, mas qualquer dono de cães de grande porte pode transformar seus amigos em voluntários.

É seguro, não faz mal ao bicho, não tem nenhum custo ao dono, e ainda vai salvar a vida de muitos outros cachorrinhos. O processo de exames + coleta de sangue demora em torno de 2 horas, mas caso você não tenha esse tempo, dá para fazer os exames em um dia e coletar o sangue no dia seguinte (demora menos de 10 minutos!). Existem vários bancos de sangue veterinários em São Paulo (vale pesquisar se tem na sua cidade!), mas o que eu conheço melhor é o da Anhembi Morumbi. Quem quiser mais informações, pode ir na página deles no Facebook ou então ligar para (11)2790-4693. Ah, gatos também podem ser doadores, viu?

Hoje o Jack está estável, diminuindo os corticoides e – pela primeira vez durante todo o tratamento – respondendo muito bem mesmo baixando as doses (e tenho fé que vai continuar assim até parar totalmente com esses remédios!). Levando em conta que em Janeiro, depois do resultado da citologia, a gente acreditava que ele estava piorando e talvez não houvesse jeito para o problema, essa é uma Vitória com V maiúsculo e comemorada todo santo dia! Esse período de quase um ano tem sido uma verdadeira montanha russa. Foram momentos de desespero, de quase perda da esperança, de valorizar e agradecer às menores coisas, de exercitar a paciência, de viver um dia de cada vez, de ter fé.

Aprendi muito com isso, mas acho que minha experiência não estará completa se eu não usar o espaço que eu tenho com vocês para falar sobre o assunto e para conscientizar que a doação de sangue é importante tanto em humanos quanto em animais. Por isso, quem tiver um animal que atenda às exigências de doação, não pense duas vezes. Um dia, se eu tiver um cão de grande porte, com certeza ele será doador! E para os cães que ajudaram a salvar o meu Jack, meu muito obrigada, onde quer que vocês estejam!

Beijos

Ca

Gostou? Você pode gostar também desses!

54 Comentários

  • RESPONDER
    gil
    17.06.2015 às 18:16

    oi ca, que lindoo, nunca soube disso ca, acho q muita gente so fica sabendo quando passa por um momento dificil assim como vc e concerteza se humanos podem doar bichinhos tambem e eles nao ficaram doentes apos muito pelo contrario, so tera resultados bons, beneficios para o bichinho e para a dona(o) q nao perdera um amor <3 amei caaa
    ca, me visite também:
    http://www.gilvaniaevans.com

    • RESPONDER
      Carla
      17.06.2015 às 21:50

      Sim, Gil! Eu falei com o banco de sangue e eles explicaram que o sangue que é doado é rapidamente reposto pelo corpo do cachorro doador! E uma bolsa doada pode ajudar 3 a 4 cachorros! É muito importante!

  • RESPONDER
    Juliana
    17.06.2015 às 18:23

    Nossa, Carla, imagino o sufoco que você passou! Mas que bom que o Jack tá melhorando. Adoro cachorro e me parte o coração ver os bichinhos sofrerem. Sou daquelas que acha que não importa quem morre no final do filme, não sendo o cachorro, está tudo ótimo! rs
    Que o Jack se recupere logo.

  • RESPONDER
    Bruna
    17.06.2015 às 18:33

    Carla, cachorro doente é de acabar com a gente… É um sofrimento e uma angústia danada… ano passado perdi minha cachorrinha pra leishmaniose. Foi muito difícil, principalmente por pensar que ela pegou essa doença maldita por causa do abandono (quando a adotamos ela já tinha). Mas é bom saber que meu outro cachorro pode doar sangue! Eu mesma sou doadora de sangue e medula, e acho que é o mínimo que podemos fazer pra tentar ajudar tantos que precisam. Parabéns por usar o blog pra divulgar essa iniciativa!! E melhoras pro seu Jack!

    • RESPONDER
      Carla
      17.06.2015 às 21:49

      Bruna, se você já é doadora é mais fácil de entender o conceito! Vê como funciona a doação de sangue na sua cidade, sim, ajuda muito! Se em SP são apenas 100 doações por mês, imagina em outros lugares, né? Obrigada pelo carinho!

  • RESPONDER
    Rafa
    17.06.2015 às 18:55

    Nossa Carla, não consigo nem imaginar esse processo. Também tenho um shih tzu, e fiquei com o coração apertado! Que bom que esta tudo certo, tenho certeza que ele ainda vai trazer muitas alegrias pra vcs! Vc se importa de falar um pouco sobre a alimentação dele? Queria saber se ele come ração ou comida, pois tenho achado que o meu está começando a rejeitar a ração…sempre falo com a veterinária, e já fizamos alguma testes, mas ouvir de outros donos é sempre bom :)
    Beijos!

    • RESPONDER
      Carla
      17.06.2015 às 21:47

      Rafa, nós mudamos a alimentação dele completamente. Ele nunca teve problema com ração, mas não comia de forma regular (tinha dias que ele só comia de dia, outros que ele comia duas vezes, etc). Com a quantidade de remédios e a rotina forçada que tivemos que adotar, começamos a substituir a ração por comida e começamos a botar carne com alguns alimentos que fazem bem para a produção de sangue (lentilha, grão de bico, etc). Depois que começamos a acupuntura, a médica indicou certos alimentos que eram indicados para o caso dele segundo a medicina chinesa. Hoje ele almoça e janta comida preparada em casa e os snacks também são “saudáveis” (abobrinha e chuchu). Eu também acho que a alimentação foi fundamental para ele melhorar! Se precisar de ajuda, me avisa! Beijos!

    • RESPONDER
      Fernanda
      18.06.2015 às 9:43

      Rafa, pesquise sobre Alimentação Natural! É a melhor opção de alimentação para nossos peludos =)
      Eu conheço dois sites ótimos para começar, ambos escritos por veterinárias nutrólogas (o que é super importante)
      http://www.cachorroverde.com.br/
      http://tendenciasnaturebas.com.br/

      • RESPONDER
        Carla
        18.06.2015 às 9:47

        Fernanda, o Cachorro Verde me ajudou demais no início, esse site é ótimo mesmo!

    • RESPONDER
      rafa
      18.06.2015 às 11:11

      Carla e Fernanda, muito obrigada! Adorei os links e vou mudar a alimentação do meu caozinho!
      E de novo, muita saúde pro Jack!

  • RESPONDER
    Bia
    17.06.2015 às 20:20

    Oi Ca!

    Só quem tem um cachorro “especial” sabe o trabalho e o sufoco que é! O meu é epilético, e chamo ele assim carinhosamente, muito melhor do que dizer que ele tem uma doença. E, sim, que bom que você não presenciou a convulsão do seu, a sensação de impotência é enooorme.

    Tive um beagle que operou um câncer e precisou de transfusão. Aqui no Rio, pelo menos na época, não tinha um banco de sangue, as bolsas tinham que ser compradas e não eram nada baratas… O cachorro de um amigo que ajudou nessa hora.

    Espero muito que o Jack consiga ficar saudável e levar uma vida normal apesar desse susto! Os bichinhos são parte da família, é muito ruim vê-los sofrer e não poder ajudar, além de querermos estar com eles o máximo de tempo possível.

    Um beijo enorme e toda a sorte pra vocês :)

    • RESPONDER
      Carla
      17.06.2015 às 21:43

      Bia, a primeira transfusão foi feita no Rio e já tem banco de sangue por lá, sim, porque a bolsa dele veio do banco! Obrigada pelas boas energias!

  • RESPONDER
    Alice
    17.06.2015 às 20:30

    Poxa, que barra seu cachorrinho passou… mas graças a Deus q ele está melhor. Não sabia sobre doação de sangue canino, muito bom esse se post. Meus dois cachorros são de porte pequeno, mas com certeza se eu conhecer alguém q tem cachorro grande vou informar sobre isso, se bem q nem sei se aqui em Recife existe esse serviço, mas vou procurar me informar.

    • RESPONDER
      Carla
      17.06.2015 às 21:41

      Oi, Alice! Vale perguntar em clínicas veterinárias como funciona, eu acho! E quem for dono de cachorro de grande porte também pode fazer doação direta! :)

  • RESPONDER
    Vic
    17.06.2015 às 20:42

    Oi Ca tudo bem?
    Até chorei lendo seu post, mas fico feliz que as coisas agora estejam melhorando. Vou rezar muito por ele! Não tinha ideia que sangue canino poderia ser doado e isso é algo fantástico de se dar destaque.

    • RESPONDER
      Carla
      17.06.2015 às 21:41

      Obrigada, Vic! Toda oração é mais do que bem vinda!

  • RESPONDER
    Narda
    17.06.2015 às 22:22

    Carlinha, não fazia nem ideia do que o Jack (e você) rstava passando! Sim, esse alerta é super importante e válido. Infelizmente, o Luke não atende os requisitos para doação.
    Vou ficar torcendo por vocês e pra que o Jack se recupere de uma vez… muita saúde pra ele!
    Bjs

  • RESPONDER
    Silvia
    17.06.2015 às 22:51

    Eu não posso doar sangue pq sou anêmica, quer dizer até posso mas meu sangue tem hemácias pequenas, o que significa que não adianta muito – só em emergências mesmo. Mas eu sei o poder do sangue; a primeira vez foi o marido da minha tia que teve câncer de intestino gravíssimo e sobreviveu tempo suficiente para ir para casa. A segunda vez, foi minha avó paterna que teve uma doença semelhante ao Jack mas ela parou de produzir células brancas. Erick chegou a doar 3 vezes para repor o que ela usou, e fazia uma enorme diferença qdo ela tomava sangue.

    Sorte do Jack ter alguém como você para cuidar dele! E eu tenho certeza que ele vai ficar 1000% logo!!!!! =* E eu vou tentar descobrir seu meus mini velociraptors que eu tenho aqui (apelidos carinhosos) podem doar sangue e ajudar outros gatinhos! Já que não posso trazer mais gatos para casa, pelo menos a gente ajuda de outra maneira,né?! Aliás compartilhei o texto no meu Facebook, tomara que isso mobilize mais gente!

    Beijos enormes para vocês!!!

  • RESPONDER
    Lari Duarte
    17.06.2015 às 23:49

    Carla querida,
    parabéns pela sua iniciativa! Eu não tinha ideia que existia doação de sangue para cachorros, muito legal da sua parte divulgar essa info tão útil e importante. Como dona/apaixonada pelo meu cãozinho, me emocionei com o post. Se o Peter pudesse doar (ele tem um 1,5kg apenas) já ia levar ele essa semana. Afinal, a doação de sangue pode ajudar outros cachorrinhos que estão nessa situação. Força com o Jack! Reza para São Francisco de Assis protetor dos animais. Tenho certeza que logo logo ele vai estar bem :)
    Beijos,

    • RESPONDER
      Carla
      18.06.2015 às 9:46

      Já rezei, inclusive fui na Igreja aqui em SP, no dia de São Francisco. Tem missa para os animais, vai cachorro, gato, passaro, tartaruga rsrs. Beijos!

  • RESPONDER
    Mariana Ilkiu
    18.06.2015 às 0:02

    Oii, acompanho seu blog, mas nunca deixei um recado!! Hoje me sensibilizei com seu post!! Eu tinha uma cachorrinha, a Pink, shihtzu, 5 aninhos!! Era o meu xodó e do meu esposo, foi até daminha no nosso casamento rs. Ela sempre foi sensível, tinha dermatite, tinha que comer ração especial, sempre me deu sustos!! Uma vez eu estava viajando e ela ficou com a minha mãe e ela me ligou dizendo que a Pink fez xixi com sangue, pedi pra ela levar no veterinário, deram remédios e fizeram exames, no dia seguinte cheguei em casa e ela estava bem amuada, fraquinha, no mesmo dia corremos pra uma clínica veterinária 24 hrs da minha cidade!! A primeira suspeita era da tal doença do carrapato, já começaram a tratar pois demora muito para sair o diagnóstico!! mesmo com a medição os glóbulos vermelhos continuava a cair e entramos com o corticóide, começaram a suspeitar de anemia hemolítica ou a a doença auto imune, que o próprio corpo reconhece que as células de sangue são intrusas, coisa de uma semana ela tb precisou de transfusão, graças a Deus e amigos conseguimos no mesmo dia uma doara !! Ela ficou estável, porém os medicamentos estavam comprometendo o fígado e o baço, tb entramos com medicina alternativa, acupuntura, ela apresentou razoavél melhora!! ela ficou bem inchadinha e indisposta, a vet resolveu abaixar a dose de corticoide e começou a dar anemia de novo, tivemos que aumentar a dose de corticoide!! Não estou aqui para te assustar viu?! só queria compartilhar minha historia com vc, pois o caso dela foi bem raro e bem parecido com o q vc disse, achei intrigante o que vc disse sobre reação da vacina, estou tentando me lembrar se ela tomou vacina antes de ficar doente, esse é uma hipótese q nunca pensei nem a veterinária!! Fico MUITO feliz que o seu anjinho esteja respondendo ao tratamento e acho muito legal sua iniciativa de compartilhar e inspirar pessoas a oferecerem seus cachorrinhos pra doacão pra salvar a vida de outros anjinhos!! A Pink era uma cachorra muito sensível, sempre foi, até desconfio q ela já tinha um problema de imunidade e essa doença acabou despertando!! Ela aguentou 2 meses de muita luta, ela foi uma lutadora,o dia que ela morreu foi o dia mais triste da minha vida e do meu esposo, só quem tem um bichinho sabe o amor que eles nos dão e o qt sao importantes pra nós!! A dor passa, a gente acha q nunca vai passar, mas acaba ficando as boas lembranças e muita saudade!! Passou um tempo e trouxemos 2 irmãzinhas shihtzu pra casa hehe Elas nunca vão substituir a pink, vieram pra acrescentar!! A gente ama cada uma com a sua individualidade!! Uma coisa importante é q qd compramos a Pink compramos em pet, primeiro que compramos como shihtzu mas ela era misturada com lhasa!! As cachorrinhas que trouxemos para casa compramos em um canil, super de confiança, conhecemos os pais dos cachorrinhos, a dona do canil não deixa visitar antes de 45 dias, eles são super cautelosos e senti muita diferença pois a Cacau e a Mel são super saudáceis =) Enfim, obrigada por se abrir e compartilhar a sua história!! Qd aconteceu comigo fiquei mto perdida pq era um caso raro!! Desejo de coração que seu anjinho se recupere e fique bom logo =) E q Deus abençoe os pesquisadores, veterinários pra que achem um diagnostico especifico e uma cura né? Pq esses anjinhos merecem viver por muito tempo =)

    • RESPONDER
      Carla
      18.06.2015 às 12:57

      Mariana, eu não contei nada antes exatamente porque aconteceu isso! No começo de dezembro, com medo de dar problemas maiores no fígado e no baço (e o fato dele estar cheio de erupções na pele e poder correr risco de infecções já que ele está sem imunidade nenhuma), a Dra Silvia começou a querer tirar o corticóide e suspendeu o hormônio que ele estava tomando. Quando foi diminuindo, foi batata, a cada semana a gente via os índices de reticulócitos dele diminuírem cada vez mais, isso é, a gente via que a medula só estava respondendo com os remédios. Chegou janeiro e todos os exames que ele fazia, o indice de reticulocitos saia completamente zerado e ele só ia ficando mais anêmico, até que fizemos a terceira transfusão. Ainda em janeiro, saiu o resultado da citologia e ela falou: “olha, eu não sei te afirmar se isso é algo que vai passar ou não, mas o que eu posso concluir com os exames de sangue e o resultado da citologia é que tudo indica que a medula dele pode estar parando de trabalhar. Eu vou aumentar os corticoides e o imunosupressor, mas isso não é garantia (foi aí que ela sugeriu terapias alternativas).” Saí de lá quase perdendo o pouco de esperança que eu tinha, acho que chorei o dia inteiro, mas voltamos com as doses altíssimas de corticoide (sempre avaliando mensalmente se estava causando muito estrago, graças a Deus não causou – e nesse ponto eu tenho que agradecer muito à Dra Silvia, ela soube guiar com inteligência cada adversidade) e de repente, ele foi começando a responder. Estava indo tudo bem, ele estava super estável até que no meio de Abril ele teve uma hemólise sem motivo aparente, uma semana ele estava com hematócrito 40 e na outra tinha despencado para 30, eu quase morri. A minha esperança começou a aumentar quando eu vi que o corpo dele foi respondendo MUITO bem à essa queda, os reticulócitos bombaram, chegaram quase a 1 milhão e o hematócrito voltou a subir. Depois que ele ficou estável de novo, ela sugeriu começarmos a diminuir de novo e não sei porque, mas dessa vez eu não estava insegura (da primeira vez eu fiquei muito, não queria diminuir de jeito nenhum). Já estamos na terceira diminuição de dose e ele continua estável e produzindo. Não posso dizer que a guerra está ganha, mas tenho esperanças cada vez mais fortes que vamos conseguir sair dessa. Nem peço que ele se recupere 100%, se ele ficar 80% bom eu já encaro como uma vitória! Obrigada por compartilhar sua história ambém!
      Beijos!

  • RESPONDER
    carolina
    18.06.2015 às 7:30

    Chega deu uma dorzinha (nada, dorzona) no coração agora… vi minha filhota ter convulsão e anemia, mas de acordo com a vet (há dois anos atrás) foi culpa do canil onde ela morava (carrapato etc). Que mal lhe pergunte, qual a vacina que ele tomou?

    • RESPONDER
      Carla
      18.06.2015 às 9:45

      Carol, ele tomou as vacinas de praxe – V10 e raiva, mas sinceramente eu nem quis focar muito nisso porque o que aconteceu com ele foi uma exceção, algo mtmt raro. Vacinação é super importante e não quero nunca estimular o boicote à isso!

    • RESPONDER
      carolina
      18.06.2015 às 10:21

      Hahaha. Também não quero. Fiquei curiosa para saber o nome do Laboratório responsável pela confecção, pois são vários e alguns veterinários tem suas preferências.

  • RESPONDER
    Paola Alves
    18.06.2015 às 9:06

    Nossa, a gente não para pra pensar que esses serezinhos mais lindos do mundo também podem ficar seriamente doentes né? Nunca tinha pensado nesse assunto e é uma coisa tão óbvia né? Que seu cãozinho se recupere lindamente, to torcendo muito aqui <3 Parabéns pela iniciativa e por tratar desse assunto! http://simsemfrescura.blogspot.com.br/

    • RESPONDER
      Carla
      18.06.2015 às 9:42

      Nem fala, não só ficam seriamente doentes como dá vontade de transferir a doença para você! Minha maior sorte e que eu agradeço todo santo dia é que em momento nenhum ele sofreu! É uma coisa super óbvia, mas eu também nunca tinha pensado nisso. Normal, né? Quando tudo está bem dificilmente você para para pensar nesse tipo de coisa… Obrigada pela torcida! Beijos!

  • RESPONDER
    Aline
    18.06.2015 às 9:22

    Que bacana tratares desse assunto aqui… Tenho uma filha de quatro patas (a Pérola, uma shihtzu muito parecida com o Jack) e morro de preocupação de que algo aconteça com ela.. Foste extremamente esclarecedora em tua postagem, principalmente porque trata de um tema sobre o qual não existe muita informação de fácil acesso em compreensão.
    Obrigada por compartilhar conosco tua preocupação e angústia!
    Muita energia boa para o teu Jack, que ele se recupere totalmente o mais breve possível!!
    Beijos!

    • RESPONDER
      Carla
      18.06.2015 às 9:39

      Obrigada, Aline! :)

  • RESPONDER
    Sandra Luz
    18.06.2015 às 9:39

    Nossa, Carla! Muito triste tudo isso que o Jack (e você) passou. Mas que bom que agora ele está melhor! E estamos torcendo pra que ele fique ótimo logo!
    Nunca tinha pensado em doação de sangue para animais, e esse tipo de informação é muito importante!
    Sobre a questão da vacina, já li um post no site Cachorro Verde sobre essa questão, depois se quiser dar uma olhada, segue o link:
    http://www.cachorroverde.com.br/index.php/quanto-dinheiro-voce-esta-jogando-fora-com-vacinas-para-pets/
    Um beijo bem grande no seu peludo lindo!!

    • RESPONDER
      Carla
      18.06.2015 às 19:58

      Sandra, a hematologista me contou sobre a nova forma de dar vacina que eu posso fazer, mas sinceramente, tenho muito medo de arriscar!

  • RESPONDER
    Fernanda Piccolo
    18.06.2015 às 9:40

    E eu venho fazer outro alerta: Não vacinem simplesmente por vacinar! Muitos cães têm realções à vacina, mas os veterinários não sabem e identificam como uma doença à parte (alergias atópicas, gastrites…). Existe um exame chamado TITULAÇÃO DE ANTICORPOS que verifica se os níveis de anticorpos presente no organismo do animal são suficientes para combater uma possível doença. Geralmente são para cinomose, parvovirose e hepatite infecciosa. Se os níveis estão adequados, não há a necessidade da vacina! Caso a pessoa more numa área onde é necessário vacinar contra leishmaniose, vacine somente para ela (sim, existe vacina exclusiva!). Muitos veterinários não conhecem esse exame e preferem vacinar anualmente, mas não há a necessidade. Fora que existem vários estudos mostrando que a vacina não “vence” após 1 ano de aplicação, mas sim que o efeito é por no mínimo 3 anos!! Portanto, leiam, se informem e exijam ao menos a titulação antes de vacinar.

    http://www.cachorroverde.com.br/index.php/titulacao-de-anticorpos-contra-cinomose-e-parvovirose-nos-testamos/

    http://www.cachorroverde.com.br/index.php/quanto-dinheiro-voce-esta-jogando-fora-com-vacinas-para-pets/

    • RESPONDER
      Carla
      18.06.2015 às 19:59

      O sonho da hemato do Jack é que todo dono de cachorro faça a titulação de anticorpos!

  • RESPONDER
    Monique
    18.06.2015 às 10:17

    Cá, muito bom você expor isso aqui. Eu, por exemplo, nem sabia que isso existia. E já quero falar pra todo mundo e incentivar todo mundo a doar. Meu pai tem um pastor alemão, vou pedir que ele leve o cachorrro para doar sangue asap!

    Muitas melhoras pro Jack. Tenho certeza que ele vai sair dessa ainda mais forte e companheiro.

    muito beijos

  • RESPONDER
    Juliana
    18.06.2015 às 11:22

    Aiii, tadinho! Mas felizmente deu tuo certo e ele está melhorando. Mandando muita energia positiva pra vcs! Tenho 3 cachorros e só de pensar em algo assim meu coração fica em pedaços :S
    Bjs!

  • RESPONDER
    Juliana Hammes
    18.06.2015 às 11:26

    Nossa, até chorei aqui com o relato… Tenho 3 cachorrinhos, uma yorkshire que fica com meus pais e uma outra york e um lulu da pomerânia que moram comigo e com meu marido. Amo eles como filhos, qualquer coisinha já fico desesperada, porque são tão amáveis e tão indefesos, fico morrendo de dó! Consigo imaginar o desespero quando é algo mais sério, estou torcendo para que o Jack fique 100% bem de novo! E quanto à doação de sangue acho super importante divulgar, muita gente nem se liga que pode ser necessário e que com esse ato podem salvar a vida de outros cachorrinhos. Infelizmente meus cachorros são todos muito pequeninos, mas já vou falar com quem conheço com cachorros grandes para se conscientizar e, quem sabe, se juntar nessa corrente do bem. :)

    • RESPONDER
      Carla
      18.06.2015 às 12:04

      Isso, Ju! Tem que falar, tem muita gente que não sabe! :)

  • RESPONDER
    Camila
    18.06.2015 às 12:23

    Carla, quem tem cachorro e ama seu pimpolho sabe como é de acabar com nosso psicológico quando eles ficam doentes… Adorei seu post, e como “cachorrólatra” assumida achei SUPER importante essa sua “campanha”. Sempre tive cachorros grandes e vários ao mesmo tempo, e o veterinário deles sempre me pediu para que os levasse para doar. Ao longo dos anos meus bichos foram inclusive convocados às pressas várias vezes, e na maior parte delas os cachorrinhos ajudados ficaram ótimos… Meus pimpolhos são verdadeiros heróis, e morro de orgulho deles… rs O procedimento é mesmo super simples, e eles acostumam com tudo super rápido.
    Reforço o seu apelo para os donos levarem seus cachorros para doar sangue, principalmente os grandões como os meus… Tenho um dogue alemão, três pastores maremanos e vários vira latas grandes, então em casa sempre tinha alguém apto no momento a salvar uma vida. E NUNCA aconteceu nada de colateral com eles por terem doado. Agora eles estão ficando velhinhos e não podem mais doar, mas com certeza os próximos continuarão sendo doadores regulares. <3

  • RESPONDER
    Lais
    18.06.2015 às 13:24

    O meu tem epilepsia se não com certeza levaria ele :/

  • RESPONDER
    Marina
    18.06.2015 às 14:18

    Olá Carla,
    Fiquei bem sensibilizada com a história do seu filhote.
    Tenho um shitzu também e passamos apuros com ele. Hoje depois de algumas mudanças e uma vida mais saudável ele esta ótimo.
    Segue link da história dele.
    http://www.bichointegral.vet.br/#!doki/cqpk

    A Drª Carmen do Bicho Integral e a Drª Sylvia do Cachorro Verde foram as grandes protagonistas da melhora dele.
    Eu ouvi que ele teria que usar antibióticos pro resto da vida.
    E ele não toma nenhum a 2 anos e meio já!!.
    Espero que possa te ajudar em alguma coisa para melhorar ainda mais a qualidade de vida dele.

    bjus

  • RESPONDER
    Mayara
    18.06.2015 às 14:22

    Quando criança tive cachorros “de quintal” mto fortes, tinha a ideia de que os cachorros eram fortes e não tinham grandes problemas até conhecer a cinomose quando comprei meu primeiro shitzu que morreu filhote. A partir de então fui descobrindo cada vez mais coisas terriveis que infelizmente podem atingi-los. Hoje tenho um shitzu de 3 anos mto forte tb. Que Deus os guarde.

    Mto boa sua proposta de post, nunca tinha parado p pensar nessa doação! O meu não pode pq é pequeno, mas é algo que realmente deve ser compartilhado. Uma dúvida, qual vacina ele tomou que vcs suspeitam ter gerado os problemas? Torcendo por vcs, Bjs

    • RESPONDER
      Carla
      18.06.2015 às 19:41

      Mayara, não tem como saber! Ele tomou aquela V10 e a de raiva, pode ter sido qualquer uma delas. E também pode não ter sido vacina, né…Acho improvável, mas é uma possibilidade!

  • RESPONDER
    Juliana
    18.06.2015 às 15:33

    Carla, sei muito bem o que vc esta passando. Meu peludo de 11 anos, um shih-tzu tb, desde setembro do ano passado vem tendo desmaios. Do nada ele apaga. O coraçãozinho dele esta ficando mais fraco. Mês passado ele teve uma crise muito forte, teve 4 desmaios em 12 horas, passou 4 dias internado e achei que seria o fim… Qdo finalmente saiu do hospital e foi pra casa parou de comer, ficou praticamente 10 dias sem se alimentar. Até sustagem numa seringa à força eu dei pra ele. Me indicaram um outro veterinário que fez um exame de sangue e viu que ele estava com umas enzimas do rim e figado alteradas e isso estava fazendo ele não comer. Por isso, indicou uma terapia a base de soro. Eles dão uma bolsa toda de soro subcutânea rapidamente para ele que fica todo acumulado entre a pele e os órgãos, fazendo o rim trabalhar mais e melhor. E com isso ele voltou a comer. Foi um alívio muito grande. Achei que iria perde-lo… Agora ele esta bem, tomando medicações mas que infelizmente terá que tomar por toda a vidinha dele.
    Estou torcendo muito pelo Jack. Ele vai ficar bom e aprontar muito ainda.
    bjo

    • RESPONDER
      Carla
      18.06.2015 às 19:37

      Oi, Ju, ele já fez algumas vezes esse soro subcutâneo e ajudou muito também! Vai sim, ele já está aprontando! :) Beijoos

  • RESPONDER
    Karin Tuani
    18.06.2015 às 17:04

    Comecei a ler seu post com lágrimas nos olhos mas quando terminei de ler fiquei aliviada por estar tudo bem.
    Tenho uma pug de quase um ano e é como se fosse minha filha, eu imagino como você ficou durante esse tempo tudo. Graças a Deus está tudo bem agora.
    Muito legal você compartilhar sobre esse assunto de doação de sangue, eu nunca tinha ouvido falar.
    Muita fé e pensamento positivo!
    Um beeijo.

    • RESPONDER
      Carla
      18.06.2015 às 19:36

      Obrigada, Karin! :)

  • RESPONDER
    Tamara
    19.06.2015 às 2:00

    Oi Carla
    Esse post caiu do céu!!!
    Estou passando por um momento muito ruim!!!
    Eu tinha um casalzinho de pugs um machinho e uma fêmea, perdi o machinho no ano passado!!!
    Moro no RJ fui vacinar minha puguinha femea, em um dia ela tomou 5 vacinas, ate questionei o veterinario se nao tinha problema, ele disse que nao, ai viajamos, quando chegamos em brasilia achei um linfonodo no pescoco dela muito inchado, começaram a tratar como se fosse doença do carrapato, passaram-se os dias e nada ela nao respondia o tratamento, dai mudei de clinica e recebi o diagnostico: leucemia, meu chao sumiu, me falaram que nao tem cura, ela
    Ja comecou a quimioterapia, mas nao sei ainda nao me convenci, ela ta respondendo muito bem ao tratamento, e identifiquei, exatamente tudo o que aconteceu com vc, estou em Brasilia ainda, nao consegui voltar pra casa, estou muito mal ela tem 3 anos, te peço por favor me indique os profissionais que te atenderam no Rio!!!! Por favor me
    Ajude!!!! Relato de uma mae de cachorrinho desesperada!!!!
    Obrigada!!!!!

    • RESPONDER
      Carla
      19.06.2015 às 18:06

      Oi, Tamara! Não conheço nenhuma hematologista no Rio, mas acredito que a Dra Carol Machado da Animalia da Barra pode ajudar no caso da sua cachorrinha. Antes de qualquer resultado, ela foi a primeira a apontar sobre a aplasia de medula e pelo o que eu sei, ela está se especializando em hematologia. Espero que consiga te ajudar, também estou aqui torcendo muito e rezando pela sua pug! Beijos!

  • RESPONDER
    Tatiane Simplicio
    19.06.2015 às 14:34

    Nossa, melhor post de todos do universo!!!!!!

    Agradeço e já compartilhei em minha Rede. Meu sogro já dizia uma informação não passada e mesma coisa que nada. Obrigada novamente por este post!! E muitas vibrações para melhora do seu cãozinho.

  • RESPONDER
    Marcia Aguiar
    19.06.2015 às 19:04

    Só quem ama seus bichos de estimação de verdade sabe a dor que é ter um animal doente. Fico feliz que Jack esteja se recuperando e desejo que logo ele esteja 100%.
    Meus cães não podem doar sangue, pois têm menos de 25 Kg, mas meu afilhado bull terrier foi doador até o ano passado (agora está com 9 anos) para o Hemopet. Por favor divulgue o banco de sangue do Rio http://www.hemopet.net/index.asp
    Parabéns por fazer tudo que está ao seu alcance pelo Jack. ♥

  • RESPONDER
    Silvia
    19.06.2015 às 19:05

    Meus coisos não podem doar :( Eles têm menos de 5kg… Oliver pesa 4,1 e Kitty 4,8… Parece que só serve gatos maiores de tamanho…

    Uma pena! Se alguém souber de alguma informação por favor me avise!

    Beijos!

  • RESPONDER
    May
    23.06.2015 às 16:52

    Cá, me emocionei com você contando sobre o Jack, pois pensei no Oscar. Ele tem vários problemas de pele, chega a sangrar de tanto que se coça e por isso fazemos o tratamento com cortizona. Cada machucadinho nele me corta o coração e nem consigo imaginar o que vc passou com o Jack. Infelizmente o Oscar é um pug e não pode doar sangue, mas vou espalhar a notícia para amigos que tenham raças grandes! Espero que o Jack melhore cada dia mais <3

    • RESPONDER
      Carla
      23.06.2015 às 20:54

      Obrigada, May! :) E melhoras para o Oscar também!

  • RESPONDER
    Claudia
    30.06.2015 às 20:56

    Ca,
    Meu nome é Claudia e por coincidencia lendo seu post reconheci a foto na qual o Jack estava na acupuntura, e foi ai que me liguei que estamos levando nossos “filhinhos” para acupuntura no mesmo local e lembro de ver seu cachorrinho aguardando para entrar para a sessão após o meu cachorrinho, o Joca. O Joca foi adotado a 2 anos e ele teve também um problema auto-imune parecido com o Jack também por conta da vacina, passou por tudo o que o Jack passou e quase morreu. A um mês teve que fazer uma cirurgia de emergência no estomago porque por conta dos remédios teve gastrite e acabou comendo um pedaço do meu piso (carpete de madeira) para tentar vomitar – instinto natural deles – e quase morreu novamente. Entendo tudo o que você está passando pois fiquei por quase 1 ano tentando diagnosticar o problema do Joca e após 1 cirurgia, biopsias, hemorragia, hematócrito 20%, etc até que consegui fechar o diagnostico dele…A você e ao Jack deixo um abraço grande e minha torcida. É difícil mas somos mães de totozinhos guerreiros e que nos dão uma lição de vida a cada instante. Beijo imenso para vc e para o Jack, meu e do Joquinha!

  • Deixe uma resposta