8 em Europa/ Paris/ Viagem no dia 29.11.2014

Trip Tips: Jules Verne, o restaurante de Alain Ducasse na Torre Eiffel

Quem está acompanhando o instagram, já sabe que eu estou viajando. No momento que eu escrevo esse post, ainda estou em Paris e acabei de ter uma experiência que quis aproveitar que ainda está tudo fresquinho na cabeça para contar logo!

Quando venho com meus pais, costumo não conhecer muitos lugares novos porque eles vêm sempre e já têm seus programas preferidos na cidade. Dessa vez, eles até repetiram um restaurante que eles conheciam, mas quiseram apresentar pra mim. Porque realmente não é apenas um almoço, é uma verdadeira experiência!

O restaurante Le Jules Verne fica no segundo andar da Torre Eiffel e é comandando pelo chef estrelado Alain Ducasse. Ou seja, não apenas juntou a fome com a vontade de comer, mas também juntou comida incrível com uma vista de tirar o fôlego (mesmo estando bem nublado!).

restaurante Le Jules VerneNão é barato nem fácil de conseguir reserva (mais ou menos 3 meses de antecedência é o ideal, principalmente se quiser jantar), mas o almoço costuma ser um pouco mais tranquilo. O cardápio de almoço também tem outra vantagem para quem quer experimentar o que um chef estrelado tem a oferecer sem levar tanto susto na hora de pagar a conta: ele custa 98 euros/pessoa (sem bebidas), mais ou menos 100 euros a menos que a opção mais barata do cardápio de jantar.

No almoço você pode escolher entrada, prato principal e sobremesa. Começamos com um amuse bouche (adoro essa expressão! rs) que era uma sopa de abóbora com castanhas que todo mundo amou!

amuse-bouche-jules-verne1De entrada, eu fui de escalope de Saint Jacques com um creme de couve flor (juro, nunca pensei que comeria isso) que adorei.

restaurante Le Jules Verne

O prato principal foi um pato com legumes, que substituiu uma das opções do cardápio, que era foi gras. Até me assustei com a sugestão, já que geralmente esses restaurantes são meio irredutíveis com mudanças, mas como foi o maitre que sugeriu, aceitei e fiquei feliz! heheh

restaurante Le Jules Verne

Por fim, a sobremesa, que está na minha cabeça até agora (provavelmente ainda estarei pensando nela quando o post for publicado rs).  O L’Ecrou croustillant au chocolat deu até pena de comer! Ele tem o formato de uma porca (de parafuso, não o bicho haha) e além de visualmente bonito, é delicioso. A parte redonda é um creme de chocolate e embaixo, o doce é crocante. Ok, salivei só de lembrar, e olha que nem sou a maior fã de doces! O sorvete de avelãs (que já é bem mais a minha praia) foi o complemento perfeito para fechar com chave de ouro, ou porca de ouro, se me permitem o trocadilho! hehe

restaurante Le Jules Verne

A brincadeira saiu por mais ou menos 160 euros/pessoa (bebendo MUITO, vale adicionar). Vocês podem estar se perguntando se vale esse tipo de investimento, e eu acho que vale, principalmente nesse caso. Existem dezenas de chefs estrelados pelo mundo, mas pouquíssimos te darão o privilégio de saborear pratos com Paris aos seus pés, com uma vista imperdível. Acho que é o tipo de experiência que vale ter pelo menos uma vez (eu, por exemplo, tenho apenas vontade de voltar com meu marido e riscar esse programa de viagens futuras de vez).

Estou reunindo mais dicas para rechear essa tag de novidades, assim que tiver tudo certinho, eu vou postando! :) Enquanto isso você pode acompanhar o #futiemparis no nosso instagram (@futilidades).

Beijos

Carla

Gostou? Você pode gostar também desses!

8 Comentários

  • RESPONDER
    helena nunes
    29.11.2014 às 18:10

    oi meninas do futi. vamos debater o fato da renner ter sido pega utilizando mão de obra escrava!!! até quando vamos aceitar isto caladas???? isto é crime, desumano, cruel. roupas assim não queremos!!!!!! abraços helena

    • RESPONDER
      Joana
      30.11.2014 às 11:48

      Queremos abordar o assunto no DQF mas temos que o fazer com muita responsabilidade, em cima de fatos, pois muitas vezes as marcas não sabem o que suas facções contratam. Não podemos ser levianas de acusar a marca de algo que as vezes ela não sabe que fez.

      Vamos focar na regulamentação e fiscalização. A gente sempre fala que toda marca tem que ter um profissional que fique rodando todas as fábricas que costuram para a marca e por ai vai…

      É muito complicado mas concordamos totalmente que o problema é sério.

  • RESPONDER
    Flavia
    30.11.2014 às 11:05

    OLa, .. gostei da dica. Em janeiro vou para Paris e Londres com meu marido. Gostaria de ver mais dicas aqui no Futilidades. bj

  • RESPONDER
    Mariana
    30.11.2014 às 11:33

    O Le Jules Verne é mesmo incrível! E me surpreendeu bastante, tanto pela vista, pela subida na torre, como pela comida (já tinha ouvido falar que a comida não era essas coisas todas… Mas achei muito boooaaa sim!). Fui à noite, no verão, então consegui apreciar o pôr-do-sol lá do alto, olhando para o Trocadero! É um programa caro, mas, pra mim, vale cada centavo…. Se necessário, vale economizar nas compras, se programar….. Vale a pena messssmoooo! :-) Voltarei um dia!

    • RESPONDER
      Joana
      30.11.2014 às 11:45

      Mariana,

      Errei a resposta, concordo total com vc!

  • RESPONDER
    Lele
    01.12.2014 às 9:19

    Meninas, só um adendo a dica de vcs que é maravilhosa. O Alain Ducassi tem um restaurante em Paris que é mais acessível, não é barato, mas é um excelente custo beneficio para quem quer conhecer e comer comida de grandes chefes, chama Aux Lyonnais.
    Bjs

  • RESPONDER
    Tatiane
    11.07.2015 às 10:00

    Oi, Carla!
    Reservei um almoço para o próximo mes, qual seria o dress code? Acha que meu namorado precisa usar blazer ou uma camisa polo + jaqueta está adequado?
    Obrigada

  • Deixe uma resposta