12 em Comportamento/ Deu o Que Falar no dia 23.12.2013

Deu o que falar…

1 – E o Porta dos Fundos resolveu falar sobre moda…

Depois de tantos temas, finalmente o programa de humor Porta dos Fundos resolveu falar sobre moda. E como quase todos os episódios postados, é claro que causou um pouco de polêmica.

Teve gente que achou desrespeitoso com os árabes, mas nós achamos que a crítica está
mais na relação das mulheres (de qualquer nacionalidade) com a moda do que com a religião. As roupas pretas servem como simbolismo para mostrar como os valores e opiniões no setor são subjetivos e intangíveis.

Já falamos diversas vezes de como a moda anda igual. As pessoas querem consumir as mesmas coisas, as lojas de fast fashion estão cada vez mais rápidas em copiar as tendências e muitas marcas com DNA próprio estão perdendo seu espaço (quando não quebram, infelizmente).

Cada vez mais rápido, mais gente tem acesso à informação de moda (claro, os blogs são parcialmente responsáveis por isso) e isso causa uma uniformização mesmo. No
fim das contas, podemos não usar burcas, mas estamos todas com o  mesmo tipo de roupa e as mesmas referências na cabeça.

Normal, faz parte da nova ordem de comunicação e consumo do mundo. A pergunta que fica é a seguinte: quem disse que isso é uma coisa ruim? Se a democratização da informação de moda souber ser bem aproveitada, todo mundo pode sair ganhando
nessa história. Claro que para que cada um tenha sua própria identidade é fundamental um pouco de estilo pessoal nessa receita do look perfeito. É sobre
isso que devemos parar para pensar, sobre a construção da própria imagem, que pode acontecer sim com elementos comuns a demais guarda-roupas!

2 – Moãe, minha Bainha

0211 Todo mundo viu a tatuagem que Bárbara Evans fez para sua mãe, Monique? Quem não viu, olha bem toda essa “arte”, porque em breve ela não estará mais aí.

Depois de postar no instagram sua mais nova tatuagem, toda torta e mal escrita, Bárbara
recebeu tantas críticas que em menos de 3 dias foi correndo para uma clínica começar o tratamento de remoção com laser.

Tatuagem não é algo que você deve economizar e/ou fazer em qualquer lugar e, mais importante de tudo, você tem que ter muita certeza do que quer!

[historinha da Ca: a minha primeira tatuagem foi escondida, fiz em um lugar que não conhecia e que me cobrou R$50 para um símbolo que fica atrás da orelha. Quando cheguei em casa, fui dar uma olhada melhor (imaginem o malabarismo) e percebi que tinha algo de estranho com ela. Olhei, olhei, olhei, olhei pro desenho e depois de muito tempo vi que o tatuador tinha errado um detalhe. Desesperei, e na hora, só lembrei do meu pai dizendo como tatuagem era horrível! rs Tive que voltar lá, ele arrumou de qualquer jeito e, apesar de eu não me arrepender tanto já que nem lembro que ela está lá, passei a tomar muito mais cuidado com a escolha doprofissional! Enfim, eu dei sorte que fiz em um
lugar escondido, mas só pra lembrar que não dá pra ser afobada e fazer na primeira pessoa que te indicam, ainda mais se você for fazer em um local que você verá sempre!]

3 – Desafio: Sem jaca no natal?

desafiorabanada

Muitas pessoas que curtem o universo fitness ou wellness do exercício físico deve seguir o @30tododia no insta, um perfil super legal que propõe ao menos 30 minutos de atividade física todo o dia.

A ideia é ótima, mas na manhã de hoje ele propôs um desafio que dividiu opiniões e nós quisemos trazer o tema para cá, para pensarmos sobre ele. A ideia é passar uma semana sem rabanada!

Algumas pessoas toparam o desafio, outras se posicionaram contra dizendo que malham o ano inteiro e rabanada só comem no dia do Natal e um terceiro grupo aceitou fácil, dizendo que não gosta desse pão frito tão famoso nesta época.

Gostando ou não da rabanada, a gente acha que a ceia de Natal não é hora para dieta, neurose ou preocupação, os valores que importam naquele momento são outros.

Não gostamos de julgar a dieta de ninguém, algumas pessoas conseguem seus objetivos na linha do devagar e sempre, outras no tudo ou nada e mais algumas na mistura das duas fases (com períodos mais radicais e períodos mais suaves de dieta). Cada um tem que encontrar o mecanismo que funciona para si mesmo, mas Natal, Páscoa, aniversário e Ano Novo são datas específicas com jacas que a gente não acha que dá para
negar! 

Seja lá qual for seu mecanismo, avalie com carinho se vale a pena se torturar e não cair nas tentações da ceia de natal! :) A gente tem o ano todo para correr atrás da saúde desejada ou do corpo dos sonhos! E vocês, como veem esse movimento para conter as jacas do Natal?

Gostou? Você pode gostar também desses!

12 Comentários

  • RESPONDER
    Maria Eduarda
    23.12.2013 às 16:40

    Oii amores.. Acho que tem três posts em um só e os códigos estão aparecendo.. estava vendo outro post e quando fui para o inicio apareceu e pensei em avisar… não sei se já viram, mas não custa nada avisar hehehe adoro vocês

    • RESPONDER
      Carla
      23.12.2013 às 18:21

      É verdade, Maria Eduarda! Dá uma olhada, acho que agora foi dado um jeito! Mas o DQF costuma ter 3 temas mesmo!

  • RESPONDER
    Giuli Castro
    23.12.2013 às 20:53

    Toda vez que penso em fazer uma tatuagem, penso tanto que nao fiz ate hj e nao sei se terei coragem de fazer algum dia.. Quando vi a da Barbara, torci tanto para ser fake, de henna, de caneta, de qualquer coisa, menos que fosse de verdade… Coitada… Agora vai ficar uma vida para tentar melhorar isso… pq ate hj, se nao me engano, Viviane Araujo nao conseguiu tirar a do Belo…
    Beijos!

    • RESPONDER
      Joana
      24.12.2013 às 11:53

      Acho que ambas fizeram a tatoo pra outra pessoa, em lugares não discretos..
      Isso não é mole!
      Eu por exemplo faria algo pra mim, no meu caso em lugar discreto pois tenho medo de arrepender no futuro, mas é pessoal! A Ca tem uma ótima relação com as delas, por exemplo.

    • RESPONDER
      Giuli Castro
      24.12.2013 às 12:49

      Concordo, Jo!! Tem razao!! Mesmo assim eu ainda nao tive coragem de fazer… Enjoo rapido das coisas, fora o medo da dor… hahahaha Mas vc temr azao! Temos que fazer pra nos!
      Beijos

  • RESPONDER
    Ana Flávia Figueirêdo
    23.12.2013 às 21:13

    Meninas, só uma coisinha… adoro vocês, adoro a sensatez com a qual vocês escrevem os textos, sempre isentas e coerentes! Meus parabéns, Carla e Joana! :******

    • RESPONDER
      Joana
      24.12.2013 às 11:50

      Obrigada Ana Flávia!
      Que delícia ler isso, ficamos muito muito felizes. :)

  • RESPONDER
    Marcela
    24.12.2013 às 0:32

    Gente,
    to impressionada eu ia escrever exatamente a MESMA coisa que a Ana flávia escreveu!
    Que bom :)
    vocês podiam fazer um post pra falar qual foi o livro do ano pra vocês!
    beijinhos

    • RESPONDER
      Joana
      24.12.2013 às 11:49

      Vai rolar isso viu?
      Os melhores do ano, só temos que ver quando exatamente. :)

    • RESPONDER
      Joana
      24.12.2013 às 11:50

      Obrigada pelo elogio de tabela :)

  • RESPONDER
    Lyanna Bezerra
    24.12.2013 às 16:15

    Tentarei ser breve pq é Natal!
    Sobre o vídeo do Porta dos Fundos ri horrores e compreendi exatamente o que vcs disseram, poderia ser uma outra roupa?! Talvez, mas nenhuma outra vestimenta é tão uniforme na cor e na modelagem como a burca. Não compreendo como desrespeito a um adorno com significado religioso, mas puramente a uniformização que as pessoas tem se submetido alegando que estão na moda.
    Sobre a Bárbara Evans… estou rindo até agora. A Monique disse que ficar confinada na Fazenda afeta a cabeça… só pode. Mas pensei em fazer uma pq não entendo nada de costura: Mãe, faz minha bainha!
    Sobre a rabanada… bem tô cheia de açúcar pq acabei de fazer a minha que molho no leite (desnatado) com canela, depois no ovo, em seguida é frita em óleo (de canola) bem quente e depois envolvida em canela (funcional) e açúcar. E tô feliz demais!!!
    Feliz Natal pra vcs e todas as leitoras!!!

  • RESPONDER
    luana
    25.12.2013 às 18:25

    Nossa gente, dó dessa Bárbara! Parece que a menina é meio perdida, meio sem referências na vida. Só aparece por causa dessas trapalhadas. Qto à história da rabanada, assustei com o título, mas felizmente vocês defendem o contrário:). Estão cobertas de razão! Preguiça desse povo que fica falando de dieta em certas datas. A pessoa tem que cuidar da alimentação ao longo do ano para poder se permitir aproveitar em datas especiais, sem culpa. E se vc está com o peso em dia, engordar uns dois quilinhos no fim do ano não é nada demais. Voltando a rotina, a gente corre atrás do prejuízo e com o bônus de estar feliz porque aproveitou.

  • Deixe uma resposta