3 em Comportamento/ Decor no dia 14.11.2013

Decor no (f)uti: O “boom” dos azulejos

As semanas de moda acabaram, graças a Deus e o (f)uti começa a voltar para sua rotina de posts de sempre, um pouco menos de looks e um pouco mais de conteúdo! Vocês lembram que a Aninha está tocando uma coluna de decor por aqui? Se não lembra vem nesse post… 

Como começar a escrever sobre “azulejos” e não ser regionalista?  A resposta é muito simples para mim; é impossível pensar nesse revestimento e não se lembrar de Athos Bulcão. Como artista, nascido no Rio de Janeiro, ele foi o responsável não só pelo grafismo dos azulejos em fachadas e empenas de construções históricas de Brasília, como, por exemplo, o Salão do Itamaraty e o Congresso Nacional, mas acima de tudo ele injetou cor e muita vida no “skyline” e no cenário urbano de muitas cidades brasileiras, principalmente da capital nacional.

Athos Bulcão foi fonte de inspiração para diversos estilistas, uma vez que tornou atemporal o seu rigor gráfico. Uma coleção incrível e super recente foi a última da estilista de sapatos e acessórios, Constança Bastos, tem no look da Jô aqui. A partir da escolha de uma padronagem bastante clássica e simples do artista, ela se concentrou em poucos tons de cores para abordar os grafismos que envolveram, de forma bastante atual, os mais diversos tipos de calçados que a sua coleção apresentou.

Athos

Para mim foi e ainda está sendo super interessante de acompanhar a ascensão, ou melhor, a volta do uso do “azulejo” no mundo... Sim a escala é exatamente essa… Principalmente os azulejos padrões de 15x15cm e os retangulares e finos assentados com juntas desencontradas “tipo tijolinho”. Para um revestimento que ficou por uns longos anos, praticamente renegado por uma grande parcela da sociedade, voltar com esse “sentimento cool” que ele está trazendo consigo, não é para qualquer um não!

Esse distanciamento do seu uso se deu muito por conta de ele ter se tornado um revestimento barato, portanto acessível, e figurinha certa em quase todas as áreas molhadas (banheiro, cozinha e áreas externas) de residências e espaços públicos.

Como tudo de um passado remoto que volta a ser usado, seja na moda ou na arquitetura, tende a ter dois caminhos: o rastro vintage  porém “cool” que a peça possui, ou o ato de incorporar uma nova leitura, sendo assim contemporânea e super atual. Como não seria diferente com o nosso objeto de discussão da vez, o azulejo possui esses dois papéis no cenário do design de interiores.

decor-azulejps

Mais empolgante ainda é ver essa maneira de enxergar novos usos, novas formas reestruturadas e repaginadas para a composição espacial utilizando esse revestimento.  Podemos observar o seu emprego da forma mais “fun”  e “moderninha” possível em fachadas, interiores de lojas, em áreas secas de residências e de formas super interessantes e gráficas nos pisos.

AZULEJOS azulejos-2

Defendo acima de tudo o uso do azulejo como forma de revestimento menos tecnológico, simples, e quase “engraçado” nos ambientes. Utilizá-lo de forma inusitada, como em uma parede de “home office” na qual você pode fazer dele o seu quadro-negro (escreveu em cima dele com canetinha de lousa – é só usar um paninho úmido ou com detergente, que está limpo novamente) ou usar e abusar de rejuntes coloridos para o assentamento das peças (há uma paleta de cores com opções como o vermelho e o azul) que “graças ao Deus da civil” já vende em muitas lojas de material de construção e não possuem grandes ciências para a colocação.

Beijos

Aninha

assinatura-provisotia

Gostou? Você pode gostar também desses!

3 Comentários

  • RESPONDER
    Cristiano
    15.11.2013 às 9:10

    Bom dia meninas.

    Interessante a inclusão de novos conteúdos, ainda mais que sejam tão ligados ao tema principal do blog. Lendo os posts relacionados notei: Já escolheram nome para a coluna?Tenho algumas idéias, ou bordões se preferirem:

    – Desancana, arquitetura e decoração na moda é com a Ana! =D
    – Desancana, arquitetura na moda é com a Ana! =D
    – Desancana, decoração na moda é com a Ana! =D
    – Ana Fútil: Arquitetura no (f)uti também é útil
    – Ana Fútil: Arquitetura também é útil
    – Ana Fútil: Arquitetura útil
    – Coluna da Ana (f)uti
    – Ana (f)uti

    Todas fui enxugando até ficar algo de fácil memorização. Na última dá impressão que (f)uti é o sobrenome da Ana, a pessoa vai ler e pensar: “Hoje quero ler a coluna da Ana Futi”, haha.

    Abraço! =D

  • RESPONDER
    fany
    15.11.2013 às 13:59

    Já estava sentindo falta do post da Aninha. Muito legal. adorei as sugestões do Cristiano. bjks

  • RESPONDER
    Gabriela
    17.11.2013 às 18:49

    Post sensacional!

    Parabéns!! :)

  • Deixe uma resposta