19 em Comportamento/ desafio de peso/ Reflexões no dia 09.10.2013

Fitness x Wellness: você sabe a diferença? qual é o seu objetivo?

Vocês já notaram que a palavra Fitness está super na moda, né? Eu sou sempre a entusiasta dos projetos de corpo, saúde e mudança para melhor, desde que reflita positivamente no seu exame de sangue, consulta no médico e por aí vai. Como já se falava nos áureos tempos de Escolhinha do Professor Raimundo “saúde é o que interessa, o resto não tem pressa”. (Uma Cannabrava jamais esqueceria desse programa, vamos combinar?)

Não que eu ache que o resto não importa, mas pra mim, saúde e paz de espírito são mesmo a base do nosso corpo físico. Se você tem paz no seu coração, busca coisas boas e tem saúde, o resto vem. Hoje em dia já está mais que comprovado que obesidade e sobrepeso alteram a qualidade de vida, então, a luta contra um número elevado na balança é fundamental. Independente da questão estética ou do gosto pessoal, se você tem um peso normal, os quilinhos para cima ou para baixo serão ajuste fino, mas fugir da faixa de perigo é uma questão muito importante.

No meio dessa moda de magreza, fica muito fácil confundir o caminho para saúde, bem estar e peso ideal com a obsessão por pesar como uma pluma ou uma modelo de passarela. Como sempre, é preciso tomar cuidado com os seus objetivos, sonhos e projetos.

Falando em projetos, hoje quase toda usuária do instagram segue pelo menos uma “menina da academia” que posta fotos malhando, fazendo exercícios, pregando um lema “no pain no gain” ou algo do tipo. Isso me assusta um pouco. Sei que fazer dieta é sofrido, malhar é chato, mas será que para ter um corpo legal é preciso se dedicar à isso 7 dias na semana? Veja bem a conotação do termo escolhido, não falei que não é preciso fazer exercícios com tal periodicidade, estou falando de SOFRIMENTO, a ação do verbo é outra e essa diferença, nesse post, é bem importante.

Com a “tendência” forte de mania de esporte, perda de peso e restrição alimentar devemos ter muito cuidado para entender todos os conceitos, para escolher o que é melhor para nós . E é nesse contexto que resolvi fazer a reflexão dessa semana.

fraseC

Em meio a uma “frustração de expectativa”, tive uma conversa muito legal com o Arthur Alegre, meu personal, e resolvi tentar contar essa história para vocês.

Vamos começar do começo?

Eu nunca fui entusiasta do exercício físico, sempre levei tudo meio na preguiça e até quando criança minha mãe não conseguiu incentivar a competitividade em mim, mesmo tentando dezenas de esportes diferentes. Isso não parecia um problema, não até outro dia, quando estava reclamando de não ser competitiva o suficiente nos meus treinos. Eu estava decepcionada comigo por estar sempre tentando ficar na minha zona de conforto, coisa que o personal não deixa, é claro, mas eu me esforço e quando não consigo, me frustro.

Em meio a essa crise existencial cercando a questão da minha “garra” no treino, eu tive que parar para refletir sobre muita coisa. Mesmo a corrida sendo meu esporte favorito, alguma coisa estava errada comigo, só não sabia que era a minha cabeça.

Cenário atual

Há 10 meses eu e o Arthur corremos de 2 a 3x por semana em diferentes lugares da cidade, há 6 eu estou de volta à Clínica da Patricia e já cheguei a emagrecer 11 quilos e 200 gramas. Com direito a duas viagens (sem dieta) no meio da história. Em termos de peso e corpo está tudo dentro das expectativas, mas e a cabeça?

Sei que a corrida me trouxe felicidade e não falo só na balança, não! Meu corpo e meu ânimo mudaram totalmente, a endorfina e as aulas botaram o desanimo para correr, literalmente. Os exercícios espantaram a minha insônia e trouxeram uma paz muito boa, se tornou um tempo que passei a gastar comigo, tudo como minha analista dizia que iria acontecer, enquanto eu teimava que não tinha tempo para isso.

Tudo parece lindo, né? Peso melhorando, felicidade, ânimo, saúde no caminho certo, mas ainda assim me peguei na tal crise existencial comigo mesma. Quase um ano se passou e eu continuo só gostando de quando o treino acaba e da qualidade de vida que ele me traz, amo os mil e cem benefícios, mas detesto o sofrimento que rola durante o exercício.

A crise: preciso começar a amar o treino, não só o pós, mas o durante…

frase-B

Na rua, entre minhas amigas e na internet eu vejo uma turma que ama o prazer da corrida, adora a emoção da competição e encontra ali, naquele momento, sua paz de espírito. Sua busca é por fazer sempre mais e melhor. Eu queria ser assim, juro, Deus sabe o quanto eu estou tentando condicionar minha cabeça pra isso, mas parece que ela não aceita que o sofrimento deveria se tornar prazer.

Nessa hora o Arthur me disse: Você vai conquistar tudo que você está procurando, mas talvez você tenha que respeitar mais sua cabeça.

Ele me perguntou se eu achava que a maioria das pessoas da academia estavam ali pelo prazer do momento, curtindo e querendo sempre mais. Claro que respondi que não. E ele me disse que a maioria das pessoas está em busca do “welness”, com direito a um bom resultado estético. Quem busca um universo “fitness” é uma minoria. O “Fitness”, no emprego correto da palavra, está ligado a “aptidão física”, buscando um resultado estético mais perfeito e principalmente querendo melhorar sua performance. 

Nessa hora ele me perguntou duas coisas:

A- Você sabia que tem uma diferença entre “Wellness” e “Fitness”?
J- Não! (cara de surpresa)
A- Você por acaso você se preocupa com sua performance ou sua competitividade na corrida?
J- Claro que não!

Foi aí que tudo ficou muito claro, eu estava procurando sentir uma coisa que não combinava comigo, que não tem a ver com o que eu estou buscando. Claro que muitas das pessoas que eu sigo e que postam fotos malhando estão fazendo isso pelos resultados, mas não são necessariamente todas que amam aquilo. Tem perfis que amam e perfis que não amam, o importante não é adorar o durante, é fazer independente de qual for seu perfil.

Parece a coisa mais boba, mas quando comecei a entender a diferença dos termos, eu saquei que meus objetivos são todos vinculados à saúde, bem estar, qualidade de vida e a estética do corpo é meio que uma conseqüência disso. Eu quero ter um corpo legal, mas não estou preocupada em buscar sempre mais e nem quais são minhas medidas, ou coisas assim. Esse conceito é o Wellness, o bem estar, buscando na atividade física maior qualidade de vida, além de melhora na saúde, seguindo os padrões sugeridos pelos médicos. 

Nem por isso vou parar de tentar melhorar minha performance e me acomodar na minha zona de conforto, eu até tento, mas o Arthur não deixa. Só que vou ralar muito para atingir os meus objetivos, parando de criar expectativas irreais sobre meus sentimentos durante o exercício. Se eu não lutei para competir bem na infância, não vai ser agora que vou virar essa pessoa, o que posso é treinar para ir cada vez melhor nas corridas, nos treinos e daí por diante….

 

Se eu for feliz com o resultado de bem estar, corpo e mente, já está ótimo.

As vezes é importante entender o universo ao seu redor antes de querer pertencer a um grupo que não combina com você. Sei que estou na turma ligada no exercício físico, sei que meu desafio de peso aparece por aqui e, por ele, não posso nunca largar os treinos. Mas não posso me encaixar no grupo que acorda empolgado para correr as seis da manhã, infelizmente, isso não seria eu.

Essa reflexão pode até parecer “superficial”, mas pra mim foi fundamental para lembrar do que já sei: não é porque uma coisa está na moda que eu tenho que abraçá-la. Mesmo sendo ansiosa e querendo vestir a camisa de tudo que me parece bom, tenho sempre que parar para pensar e tentar entender o quanto aquilo tem a ver comigo. Na moda acho que enxergo isso mais facilmente, no universo do peso era mais difícil de entender o que fazia e o que não fazia parte de mim.

fraseA

Agora que levantei meu ponto posso ser clichê? A felicidade não é um destino final, mas sim um caminho a ser perseguido ao longo da vida. O prazer na atividade física, pra mim, só chega quando termina, inversamente proporcional à felicidade. Vai ser pra sempre assim, espero ao menos acostumar com o sofrimento e usar o tempo do treino para pensar em novos posts. Seria bom, não seria?

Espero que tenha sido legal para vocês, como foi pra mim, pensar nesses diferentes objetivos, fitness x wellness! E vocês, quais são seus objetivos?

Gostou? Você pode gostar também desses!

19 Comentários

  • RESPONDER
    Letícia
    09.10.2013 às 22:51

    Talvez esse seja o primeiro texto sobre “cuidar do corpo” em geral que tenha me atingido de alguma forma. Eu detesto exercícios físicos, nunca precisei regular minha comida porque sempre comi super bem e tenho zero tendência a engordar. Ou seja, os incentivos são muito poucos pra ir me mexer, mas o fato é que tenho sentido esse desânimo, tenho bastante insônia e simplesmente não tenho mais a mesma resistência. Não tenho fôlego pra correr nem atrás do ônibus, francamente. Só que quando vejo essa galera dedicada não consigo me identificar, nem consigo pensar “uau, olha como essa pessoa atingiu seus objetivos”, porque eu não tenho os mesmos objetivos. Aliás, quando esses assuntos aparecem nos blogs que leio eu tendo a pular, porque nem entendo muito. Talvez a minha cabeça precise mesmo mudar pra aceitar a ideia de que é um sofrimento necessário, uma coisa chata que traz benefícios, em vez de tentar achar que só vou fazer isso quando resolver gostar, porque parece que isso não vai acontecer nunca.

    • RESPONDER
      Mariana Borges
      10.10.2013 às 0:09

      Assino embaixo do depoimento da Letícia. Minha última esperança é o tal do ballet fitness, que tá vindo forte aí. Mas, espere, se eu larguei o balé aos 10 anos, porque ia querer fazer agora? Porque as bailarinas usam roupas tão fofas! rsrsrsrsrsr

    • RESPONDER
      Joana
      10.10.2013 às 10:37

      Na verdade no meu caso a cabeça não quer mudar Letícia! Ela quer ser respeitada, se ela não sente prazer NAO TEM PROBLEMA, mas independente disso eu não posso deixar de fazer exercícios!
      Sei que não amo, mas sei que preciso! No meu caso trouxe gás, ânimo, renovação de energia, resultado no corpo (não só de perda de peso, mas ficar com tudo mais durinho, no lugar). Tudo isso faz bem, mas não sou como várias pessoas são, que amam aquele momento “no pain no gain” e sentem prazer nos desafios.

      Eu crio os desafios mais por saúde, se eu tiver correndo e treinando eu vou sentir prazer no fim. O exercício também regulou meu sono, o que não tem preço.

      Eu não amo, acho chato, mas adoro pensar que preciso melhorar. Sei que não vou conseguir correr uma meia maratona, como a turma que eu sigo no insta, mas se eu fizer 5km bem feitos já tenho uma primeira vitória! :)

    • RESPONDER
      Joana
      10.10.2013 às 10:40

      Mariana,
      Pensa nas roupas, mas se segura no ganho de saúde!
      CADA DIA QUE PASSA vejo que quem faz exercício tem uma melhor saúde e mais barata tb, afinal é menos médico, cirurgia e afins!!!!!!
      Temos que pensar no futuro!!!!!!!

      Beijos

  • RESPONDER
    Bianca Ladyhawke
    09.10.2013 às 23:39

    Tô nessa vibe de perder peso pra melhorar a minha saúde… tinha engordado 31 kg e já “eliminei” 12. Pra ajudar, um dia sim outro não eu ando de bicicleta por 1 hora porque detesto academia, não consigo ficar trancada. O problema é que na maioria das vezes eu não tenho a menor vontade de sair, mas insisto e quando já estou lá é até prazeroso… acho que esse sentimento de não querer fazer nada é normal, mas a gente tem que se conscientizar que é muito melhor pra saúde do que ficar parado!

    • RESPONDER
      Joana
      09.10.2013 às 23:44

      Exato, tenho que fazer exercícios para sempre e sei disso, só não posso me frustrar por não gostar! :)
      Boa sorte na sua fase de emagrecimento viu? :)

  • RESPONDER
    Tati Melega
    10.10.2013 às 9:03

    Jô!!!! Amei o post! De verdade!
    Eu quando comecei minha fase nova de vida sofria demaiiiiisssss em ir para a academia, detestava aquilo. Era mesmo um sofrimento sem
    Fim. Porem hj depois de 10 meses na academia eu amo. E sinto mta falta quando nao vou. É incrivel como nosso corpo de adapta a nossa rotina

    E na corrida como vc sabe foi onde me achei. Correr é minha terapia. Meu momento feliz. Busco sempre o melhor de mim quando estou la treinando ou em uma prova. Tenho metas altas a serem alcançadas e me faz mto bem, pois uniu a saude com o bem estar!

    Bjos e tamo junto!

    • RESPONDER
      Joana
      10.10.2013 às 10:46

      Eu não amo, não gosto e nem sinto prazer naquilo, MAS também sinto falta. Se não vou não fico com tanto gás, meu sono desregula e meu corpo reclama logo.
      Ser sedentária me doia demais, tudo incomodava na coluna e por aí vai.
      Eu acho que você, por exemplo, pensa em bem estar, mas tem um sentimento fitness natural, algo seu, que combina contigo sabe?

      Eu também amo correr, do tipo, entre todo o resto, é o que mais gosto de fazer. Gosto da coisa, mas se não fosse o Arthur nada me faria buscar o melhor, mesmo que num treino forte ou numa prova. Não é natural meu, não sai essa vontade de superação. Por mim só ia lá calma e constante, sem esse “estress” que no meu caso não envolve prazer, mas ter uma mente mais wellness e zero fitness não é um problema. Só tenho que aceitar, não me frustrar e continuar tentando fazer o melhor, que fica a cargo do personal puxar, mas depois espero ter força de vontade para puxar sozinha e ir fundo. SEI que preciso do exercício independente de qualquer coisa. Não tem jeito, não tem saída.
      Então é melhor aceitar quem eu sou e me cobrar mais e mais pra melhorar não é? :)
      Fico boba e admirada com seus resultados, você está em um caminho lindo!

    • RESPONDER
      Tati Melega
      10.10.2013 às 12:44

      Jo, isso mesmo, o exercicio é uma coisa que precisamos de qq forma, nosso corpo responde mto melhor no geral! Se eu te mostrar uma foto do antes e depois do meu cabelo vc DESACREDITA! Mesma cabeleleira, mesmos produtos, nada novo. Meu cabelo de 1 ano e meio quando tava sendo uma maluca, com peso mto acima é um lixo, hj numa vida saudavel, me alimentando bem e exercicios a mil, meu cabelo é outro! fiquei chocada. Muda tudo mesmo. Enfim, acho que cada uma tem que saber o seu limite e respeitar o seu corpo, vale sim um esforço, mas um esforço saudavel. E aposto que em um tempo isso vai ser natural p vc e vc vai gostar! pq comigo foi assim, tudo devagar e ao meu tempo, e olha hj como estou! correndo 16km quem diria? eu nunca achei que iria falar isso, mas amo minha vida saudavel e de academia e correr! Sempre que precisar de uma motivação, wapp me!!!! e quero corrr na lagoa com vc mês que vem hein? hehehe obrigada pelo carinho e incentivo sempre! bjo bjo

      • RESPONDER
        Joana
        10.10.2013 às 13:04

        Super vamos correr na lagoa então, mas mesmo com esse ano inteiro de treino eu e minha respiração complicada só corremos 5km!!!!!
        Me manda seus dias de novo pra agendar aqui!!!!
        Vocês vão adorar passear com uma personal guia carioca, isso eu prometo!

        Aliás, você vai até ser intimada a fotografar o look do dia!!!! :)

        Adoro, leitoras fiéis do futi no Rio merecem tour especial!

  • RESPONDER
    Gleisy
    10.10.2013 às 11:12

    Ah.. esse post caiu super bem!
    Depois da minha gravidez engordei uns 30kg. Começava atividades físicas e parava.
    Enjoava fácil. E por ai me deixei levar por 3 anos.
    Mas, desde do início desse ano vim trabalhando meu psicológico que mexer o corpo tinha que ser prazeroso, senão desistiria mais uma vez.
    Mudei de academia, estou amando e já eliminei 7 kg. E no sábado que não dá para ir, vou na praia (no fim de tarde) e faço uma corridinha de leve!

    MEU PSICOLÓGICO MUDOU, MEU CORPO E MINHA SAÚDE TAMBÉM!

  • RESPONDER
    Letícia
    10.10.2013 às 11:38

    Atualmente, faço musculação e ballet (não o “fitness”, o clássico mesmo). O primeiro exercício faço há anos e, confesso, não acho nada divertido, mas é fundamental para mim, tenho muita dificuldade em ganhar músculo e só a musculação com acompanhamento me ajudou (aviso: sou zero marombada e ainda preciso perder uns 3 kg). Mas o ballet é outra história: AMO, quero superar meus limites, se não posso ir a uma aula, fico muito chateada, é minha terapia, meu momento de amor comigo mesma…Então me vi nas duas situações que você descreveu tão bem!! Adorei o post!!

    Momento off topic para Carla: Estou lendo Garota Exemplar por influência sua e amandoooooo!!! Durmo mais tarde só para ler um pouco a mais rsrs. Obrigada pela dica =)

    • RESPONDER
      Carla
      10.10.2013 às 13:10

      hahahhaha, e eu que antes estava batendo ponto toda semana com o book do dia, estou super em falta!! mas acabei de comprar um que acho que vou gostar!!
      de nada, disponha! :)

  • RESPONDER
    Babi
    10.10.2013 às 13:20

    E o que eu posso dizer né? Trabalho com musculação em uma academia, entao já viu. Eu amo musculação, de verdade, é a atividade física com a qual eu mais me identifico e amo trabalhar com isso. Massss tem dias que eu não tenho vontade/saco pra treinar, e aí eu não treino, sem culpa nenhuma, hahaha.
    Muita gente entra na academia ou começa uma atividade física pensando num prazo de validade “ah, só até eu perder dez quilos, depois eu paro”, mas não adianta, exercício físico e alimentação balanceada é pra vida toda, caso contrário, os problemas de saúde aparecem. Sempre tento passar para as pessoas que elas devem se preocupar menos com a estética, com o emagrecimento, e sim com a saúde e os outros benefícios que o exercício pode trazer, o emagrecimento, tônus muscular, definição, vem como consequência.

    • RESPONDER
      Joana
      10.10.2013 às 13:22

      Concordo em gênero número e grau.
      Com ou sem o prazer do durante temos que fazer pela saúde, pelo futuro.
      :)

  • RESPONDER
    Ilana
    10.10.2013 às 15:25

    Jô, eu até tento gostar, mas parece que não tem jeito! kkkkk Já tentei de tudo: musculação, dança, zumba, etc, mas nada me empolga! É sempre um sacrifício sair de casa, pegar trânsito, suportar o frio, para poder malhar. Graças a Deus minha genética me ajuda, pois tenho um metabolismo rápido e tento me alimentar bem, pq se eu fosse depender de atividade física contínua estava difícil, viu? As vezes acho que não me empolgo por falta de companhia, sabe? Meu esposo tem uma urticária que se manifesta quando ele faz exercícios que elevam a temperatura corporal (todos! kkkk), e não tenho nenhuma amiga “geração fitness”, aí já viu, ne? Tudo é desculpa para não ir malhar!

    • RESPONDER
      Joana
      10.10.2013 às 15:59

      uahuahauhauhauha
      Acho que você vai ter que escolher algo mais calmo, pensando em saúde dos muscúlos mesmo e ir na fé pq seu entorno não ta ajudando muito.
      Se tem uma coisa que eu queria experimentar é o pilates!
      Nunca tentei… :)

  • RESPONDER
    Claudia
    14.10.2013 às 20:11

    Sempre fui muito magra e não gostava disso… Tinha vergonha e achava feio. Nenhuma roupa cabia em mim, nem o tamanho 34! Comecei a fazer musculação para “ganhar corpo”.
    Desde então, eu pratico exercícios físicos há 12 anos continuamente, todos os dias. Não lembro de ter parado um mês sequer! Sou apaixonada por atividade física, amo a sensação que me proporciona e não consigo ficar sem! Corro, ando de patins e faço musculação!
    Mas entendo que nem todo mundo é assim. Acho que o bem-estar é fundamental. E os benefícios que a atividade física proporciona são melhores ainda. Isso te faz gostar de ir malhar e sentir prazer naquele momento. Isso vem com o tempo. O importante é não desistir e não parar! Quanto mais a gente se exercita, mais a gente gosta!

  • RESPONDER
    DEUTZ COSTA DOS SANTOS
    06.04.2015 às 21:20

    Comenta aí!

  • Deixe uma resposta