13 em Comportamento/ Deu o Que Falar no dia 22.10.2012

Deu o que falar…

1 – Questionando o consumismo.

Até pode parecer um pouco irônico um blog chamado (f)utilidades questionar o consumismo de hoje em dia, mas apenas parece. Na verdade, estamos querendo abordar este assunto aqui há algum tempo, só estávamos buscando o gancho certo para isso. Hoje, por meio de dois blogs diferentes, esse gancho apareceu.

A Lu Ferreira, do Chata de Galocha, escreveu o “Na Etiqueta” e a Manu Carvalho do Blog Vitrine mandou bala no “Por que consumimos tanto?“. Os dois textos deram vida à pensamentos antigos que vínhamos colocando em pauta nas nossas reuniões.

Nós vivemos montando vitrines de lojas virtuais, adoramos escolher produtos desejo e estamos sempre de olho nas novidades de todas as marcas. Por mais que não seja fácil, fato é que não compramos tudo que gostamos por aí. Deixamos para sacar o cartão apenas quando precisamos do produto selecionado ou quando amamos de verdade. Na prática, esperamos que as leitoras tenham o bom senso de fazer o mesmo e criarem seus próprios filtros, afinal, o bombardeio de informações, produtos, tendências e “must haves” é grande e, muitas vezes, um desejo não pensado vira arrependimento num futuro bem próximo.

Nós estávamos lendo que a consumidora no Brasil ainda é muito imatura, não em um sentido pejorativo, mas na maioria das vezes ela prefere comprar o que todas compram quando o assunto é luxo. Então parece que por aqui, o caminho mais fácil é consumir o que é febre e não se dar ao direito de entrar nas lojas e se apaixonar por um item aleatório. Isso sem falar no sentido figurado dos produtos de marca como, por exemplo, ter uma bolsa da Hermés é quase possuir uma carteirinha de um clube muito exclusivo.

As chinesas, indianas e russas – algumas das mulheres que também andam fazendo a alegria do mercado de luxo –  entram nas lojas buscando as novidades, as edições limitadas, as coleções especiais. Quase sempre fica muito claro que elas estão em busca da exclusividade do luxo, além do prestígio da marca. Já as brasileiras, muitas vezes, são conhecidas pelo movimento contrário. Elas buscam EXATAMENTE o mesmo modelo que as outras brasileiras compram, muitas vezes procurando mesmo pertencer a uma nova classe social ou comunicar algo sobre sua conta corrente.

Nós amamos ver as mulheres do nosso país trabalhando e consumindo. Só desejamos que passemos a dar valor não a QUEM TEM algo caro, mas sim a quem CRIA algo diferente, monta looks especiais e faz valer seu ponto de vista de moda.

De maneira alguma nós estamos condenando o consumo dos produtos de luxo, na verdade, nós adoramos ter uma ou outra peça especial e quando dá, nem pensamos duas vezes em adquirir alguma coisa que estávamos namorado há algum tempo. Seja esse produto de luxo ou não! Nós só questionamos a motivação de alguém comprar A peça do momento. Jamais uma compra deve ser feita para “comunicar” à sociedade que você tem dinheiro, isso é continuar a alimentar esse vazio que parte da audiência parece estar buscando.

Não importa a marca que você usa, importa o quanto você ama aquilo que você compra, o quanto aquele item é coerente com o seu estilo e se você, de fato, pode comprar. O dia que as pessoas entenderem isso, tudo vai fazer muito mais sentido no universo do “look do dia”.

 

2 – Ideia boa, já a execução….

 

Não sabemos se todas aqui assistiram o video da Marisa que deu o que falar essa semana que passou. Quem não viu, é só dar o play e debater com a gente!

Nós somos do time que não gostou dessa campanha da Marisa. Muitas meninas acharam o vídeo preconceituoso com as gordinhas. A ideia de falar do “projeto verão”, conhecido de muitas e que geralmente acaba quando começa o outono, é inicialmente boa, mas o jeito que foi abordado fez com que chovesse preconceitos em várias outras áreas.

Exemplo? Achamos superficial até o ponto final a forma como a alimentação saudável foi abordada. Aliás, não só superficial, achamos a abordagem debochada. Quem acompanhou nossos posts com dicas de alimentação da Clinica da Patricia Davidson sabe muito bem que a alimentação saudável traz enormes benefícios e deve ser algo prazeroso, caso contrário, nunca nos convenceríamos que vale a pena maneirar nas besteiras.

O deboche com esses alimentos que devem estar presentes na vida de todo mundo nos pareceu errado. Em um país que está com um alto índice de obesidade infantil e deve lutar contra isso, temos que buscar disseminar esse tipo de alimentação para a massa e não criar preconceitos.Por questão de saúde, eles são necessários e realmente podem ser maravilhosos. Nós somos entusiastas da quinua, mas de verdade? Ela não resolve a ansiedade, não! Se ainda fosse um chocolate diet sem lactose a gente acreditava.

Outra coisa que nos incomodou na historia foi a ideia de que a menina fez esse super esforço para ser aceita entre um grupo de homens babões. Por mais que isso exista, achamos que foi um desserviço ter esse momento machista – e velho conhecido da publicidade –  em uma propaganda que deveria tratar da auto estima da mulher. Não sabemos quanto a vocês, mas quando queremos perder uns quilinhos, estamos pensando em ficar bem com nós mesmas!

Nós achamos que as marcas de fast fashion populares devem aproveitar o alcance de seus vídeos e propagandas para levar segurança para a mulher, não importa qual seu número de roupa.

Então fica um apelo para todas marcas, vamos deixar os estereótipos de lado e criar uma propaganda inteligente? Para tocar a alma de toda a mulher brasileira. Da popozuda até a workaholic.

 

Gostou? Você pode gostar também desses!

13 Comentários

  • RESPONDER
    Nome (obrigatório) :Rose Cristina
    23.10.2012 às 11:23

    Meninas,
    se me permitem, gostaria de colar três links em que falo justamente sobre essa febre consumista. Apesar de ter um blog de moda/beleza, busco levar um pouco do consumo consciente às leitoras, ou pelo menos sair do lugar comum do look do dia, onde só é levado em conta o que se veste, e não o que se pensa.

    http://www.devaneiosfashion.com/sobre-consumo-de-moda-e-a-crise-economica-mundial/
    http://www.devaneiosfashion.com/everybody-wears-the-same-clothes-now-and-everybody-plays-the-game/
    http://www.devaneiosfashion.com/outdoor-humano-nao-obrigada/
    Agradeceria desde já, porque quanto mais informação todo mundo tiver sobre consumo consciente, melhor, acho que contribui para uma sociedade mais sustentável, e menos jactanciosa.
    Brigadinha!

  • RESPONDER
    Sil Nascimento Araujo
    23.10.2012 às 12:32

    Adorei o post. Eu me pergunto como uma marca que com o lema “de mulher pra mulher”, não teve UMA só pessoa, desde o processo de aprovação, até a hora de colocarem no ar, que não tenha questionado se a mensagem ficou dúbia. Foi isso que mais me chocou, o fato de uma equipe inteira, colocar no ar algo que saiu mais “para ser aprovada pelos caras no verão” do que como “para se sentir bem consigo mesma”, ou algo do genero. Quanto ao consumismo, estou me achando tão madura…rs Detesto gastar minha grana em algo que daqui a pouco todo mundo tem e vou enjoar de ver por ai.

    • RESPONDER
      Joana
      23.10.2012 às 23:26

      Acho que faltou essa pegada de para se sentir bem consigo mesma! :)

  • RESPONDER
    Bella
    23.10.2012 às 14:37

    Nossa, Meninas juro que pensei a mesma coisa quando vi a propaganda da Marisa pela 1a vez…
    – Quer dizer que vale de tudo, até virar anoréxica e bulímica pra estar bem no verão…?!

    Porque quem ouve a propaganda e vê a cena e não tem um pingo de discernimento pra entender que não é bem assim, pode muito bem achar que tudo vale pra conseguir o verão perfeito! Olha tem muito ‘marketeiro’ precisando de ajuda por ai viu?!

    bjkasss
    Bella

  • RESPONDER
    Annina Barbosa
    23.10.2012 às 14:52

    Definitivamente, essa é a tag que eu mais curto no blog de vocês!
    Vocês estão sempre ligadas no que está acontecendo e abordam os assuntos de uma maneira diferenciada, com posicionamento.
    Parabéns, meninas!

  • RESPONDER
    Pat Camargo
    23.10.2012 às 15:15

    Engraçado, eu não achei ruim. Na minha opinião eles quiseram fazer graça com a situação, juro que não achei preconceituosa a campanha. Sera que to maluca? hahaha
    Quanto ao consumismo, não da para generalizar as consumidoras com o que vemos pelos blogs. Elas não fazem parte da grande maioria que consume grifes de luxo. Tenho clientes que são milionárias e compraram sua primeira Birkin há mais de 10 anos, quando quase ninguem por aqui usava. E compraram porque, alem de qualidade, elas primam pelo atendimento, pela experiencia de vc entrar numa loja da Hermes e comprar uma bolsa.
    O que vemos por aí são meninas querendo ser iguais as blogueiras e se entopem de falsificações. Acho triste isso.
    Mas sinceramente, não acho que o que vemos no blog afete diretamente nas vendas de uma grande marca.
    Sera que me fiz entender ou ficou confuso? hahaha se ficou explico de novo

    • RESPONDER
      Joana
      23.10.2012 às 23:25

      Pat,
      Super te entendi.
      Com certeza existem consumidoras brasileiras “maduras” no mercado de luxo internacional, mas essa info de “comprar tudo igual” foi uma info que obtive em Paris no meu curso e com algumas conversas em algumas lojas. Não está necessariamente relacionado com blogs, o que eles todos contaram é que as brasileiras não optam pelas novidades ou pelas peças exclusivas, elas quase sempre escolhem “as opções mais comuns, as vezes clássicas” que fazem sucesso entre todas que vem daqui. Na Balenciaga têm a bolsa das Brasileiras e na Givenchy tb!

      Eu só não “sabia” dessa parte das falsificações… Jura? Não curto.

      Também acho que o que vemos nos blogs daqui não influi muito no consumo de uma grande marca de luxo internacional, mas todas elas estão dando bastante importância para as consumidoras brasileiras, que em grande parte estão tendo seus primeiros contato com essas marcas. Muitas pessoas que conheço, olham sites e blogs antes de fazer A sua compra nessas marcas, então acho que por mais que eles não façam A diferença eles têm algum grau de influência, principalmente com produtos de “masstige”.
      Acho que essa relação de blogs e marcas de luxo é mais delicada do que parece, mas de qualquer maneira acho que o que importa é a consumidora comprar O QUE AMA em uma marca QUE ADMIRA. Pra mim isso basta. Afinal bolsa nenhuma insere ninguém em um novo contexto social.

      Beijos e sorry pela super resposta, me empolguei.

  • RESPONDER
    sol
    24.10.2012 às 10:18

    ai gente serio?!! achei nada de ofensivo nessa propaganda! aposto que quem emagreceu um dia, ja falou alguma coisa do tipo… ou ja pensou assim tb! sera que a gente não ta criando um costume besta de querer ser certinho em tudo e ficar criticando as coisas?! super me indentifiquei com o anuncio… ja fiz e faço tudo que ela faz ai! super realista! e não tem como agradar a popozuda e a workaholic sem alfinetar alguem né?! será que eu to me fazendo entender?! bom é isso! em poucas palavras, mas é o que achei!
    só!
    :)
    brigadinhaaa!!

    • RESPONDER
      Carla
      24.10.2012 às 11:53

      Pois é, Sol, mas tem muita menina que se irritou. O que acontece é que a propaganda em si ficou tão mal feita que vimos gente reclamando por vários motivos. A gente reclamou que eles debocharam da alimentação saudável, teve gente reclamando que isso atingiu quem é mais gordinha ou quem tem problemas pra emagrecer e teve gente que reclamou dela se esforçar tanto para poder passar por um grupo de homens (nós também achamos feio). Foi o que a Sil falou, sério que uma marca cujo slogan é “de mulher pra mulher” não teve uma pessoa pra ver se a mensagem ficou dúbia?

      Foi o que falamos no texto, a ideia de brincar com o “projeto verão” é engraçada exatamente porque muita mulher se identifica (até a gente! rs) e, se tivesse sido bem executada, iria ser um sucesso!

    • RESPONDER
      Kel
      30.10.2012 às 15:46

      Concordo muito com a Sol, não achei ofensiva e sim divertida a propaganda, mostrando a vitória depois de fazer uma dieta, que convenhamos não é nada gostoso….e se os homens ficarem babando por você no final, o que tem de errado? É, está muito chato mesmo essa coisa de critica integral. Saudade de outros tempos onde as pessoas não se ofendiam tanto. (E que esse cometário não gere mais crítica ou polêmica, hahahaha) Adoro o blog, beijooos

  • RESPONDER
    Yngrid
    24.10.2012 às 12:42

    No caso do assunto da Marisa eu fiquei chateada ao vê-lo sendo abordado em um grupo do Face sobre emagrecimento (pertencente a um blog famoso no seguimento), pelo simples motivo de a maioria esmagadora das integrantes do grupo não só apoiar a propaganda, como xingar quem não compartilhou da mesma ideia. Os comentários deixavam claro que as próprias gordinhas se entregam a um tipo de auto-boicote afirmando que a Marisa que está correta, que a moda Plus Size incentiva um monte de gordas a acharem que podem vestir o que quer, ou que quem se sentiu ofendida é hipócrita, ou preguiçosa, pois não quer fechar a boca nem fazer exercício e prefere se apoiar numa ideia de que qualquer tipo de corpo é bonito e aceitável.

    Eu conheço mulheres magérrimas que não me inspiram a ser igual a elas e também conheço gordinhas tão lindas na sua maneira de ser e vestir sabendo valorizar o seu corpo que se eu engordasse e tivesse o mesmo estilo não teria problema nenhum em assumir meu corpo.
    Gente, vamos parar de esteriótipos! Todo mundo tem sua beleza, seus pontos fortes e fracos, mas com toda certeza cada um tem seu “lugar ao Sol”, independente de estar ou não pronta para o verão.

  • RESPONDER
    Dri
    24.10.2012 às 17:08

    Olá,
    hoje foi a primerira vez que entrei aqui e já me deparei com um post que reflete exatamente o que eu acho! Acho admirável a reflexão de vcs, qd a maioria das blogueiras parece vitrines ambulantes.
    Não vou ser hipócrita e fingir que não acesso blogs de moda e admiro mts looks do dia, mas acabo me sentindo incomodada quando vejo certas blogueiras anunciando o preço das roupas que usam, chegando a custar mais de 1000 reais numa camisa que vc TEM que ter!
    Ah gente, pelo amor de Deus! No nosso país existem muitas pessoas necessitadas. Se elas são ricas, ótimo, mas parece que necessitam exibir as etiquetas das marcas que usam ou do valor que pagam! E concordo plenamente com vcs, a massificação criada ( talvez inocentemente) por muitos blogs de moda tem feito o caminho inverso, já que (na minha opnião) deveria ser valorizada a novidade e a exclusividade ( qdo possível, claro!)

    Parabéns pelo blog com conteúdo!!

    Bjss

  • Deixe uma resposta