papo sobre Autoestima

produtos que Amamos

inspire-se nessas Viagens

0 em Destaque no dia 21.09.2017

Você consegue olhar as pessoas de uma forma diferente?

Como designer tenho a consciência de que rótulos facilitam a compreensão e ajudam na comunicação, mas tirando sua função importante em objetos e produtos, acho que eles são um problema em vários momentos. Separar pessoas em categorias é uma forma muito complicada e separatista de ver o mundo. Nós não somos produtos de supermercado, mas ao mesmo tempo saber quais nichos falam sobre você é reconfortante, conversar com quem passa pela mesma coisa pode mudar sua vida. Caso você cruze com quem tem outras opiniões, a troca ainda pode engrandecer. Ficamos mais inteligentes quando nos permitirmos conversar sem muros com pessoas que pensam diferente. A diferença ensina, acrescenta! 

O único problema é que muitas vezes o tal muro não cede de nenhum dos lados. E é por isso que eu queria falar sobre empatia. Ela pode ser a “palavra do momento”, mas ela não é só isso, afinal ela pode realmente transformar a forma de lidarmos uns com os outros, por mais que seja difícil aplica-la em todos os cantinhos da sua vida!

ilustra: erica dal maso

 

Quando me coloco no lugar do outro posso imaginar o quanto o preconceito pode doer, o quanto aquela doença pode ser assustadora ou quanto a dificuldade dele pode ser um fardo, ainda que – aparentemente – pra mim não seria. Quando eu pratico a empatia eu consigo pensar que o que é fácil pra mim, pode não ser pra outra pessoa e aprendo a respeitar.

Aplicar empatia também é um processo bacana de enxergar o indivíduo como único. Quase automaticamente eu paro de pensar que o “certo” é ser como eu ou você e busco entender que cada um vai ter o seu próprio lado certo.

A verdade é que esse juízo de valor que a sociedade enfia na nossa cabeça está velho e distorcido.  Se tornar uma mulher bonita não é mudar tudo em si para atender a todos os padrões de beleza, não tem certo e errado. O importante é descobrir o que te representa, o que te faz se sentir você e pode fazer sua luz brilhar de dentro pra fora. A verdadeira beleza implica em se sentir confortável sendo você mesma.

A verdade é que fomos ensinados a fazer juízo de valor de tudo. As coisas são boas ou ruins, certas ou erradas e na pratica, para desconstruirmos nossas crenças precisamos abrir mão dessas generalizações que nos são impostas.

Quando você analisa as entrelinhas começa a diminuir o julgamento que faz do outro, consequentemente começa a ter menos medo do julgamento que farão de você.

Na teoria, empatia até pode parecer fácil, na pratica até pode ser difícil, mas se você começa a aplicar um novo olhar sobre você e sobre as outras pessoas à sua volta, as coisas naturalmente começam a ir para um novo lugar.

Concentrada no meu processo eu me permito enxergar o que eu antes não via em mim com um olhar mais amoroso e acolhedor. Esse novo olhar transforma minha relação comigo, com o outro e com o mundo.

Por isso o #paposobreautoestima não é sobre corpos, cabelos ou imagem, é sobre esse novo olhar. É sobre ser uma versão de si que julga menos, a si mesma e a outra. E dessa forma, vamos também exercitando a empatia.

Obrigada por nos ensinarem tanto nesse processo, eu e Carla agradecemos muito a aprendizagem coletiva!

0 em Destaque/ Oriente Médio/ Trip tips/ Viagem no dia 21.09.2017

Conhecendo o deserto de Dubai no hotel Bab Al Shams

Os Emirados Árabes estão localizados no deserto arábico de Rub’ al-Khali, na costa do golfo do Omã e do golfo Pérsico. Trocando em miúdos, ir até o Oriente Médio e não conhecer um pouquinho do deserto é como ir a Paris e não conhecer torre Eiffel: não dá.

Existem duas formas de conhecer o deserto emiradense: pegando um tour de 4×4 bate-e-volta a partir de Dubai, num passeio que sai na parte da tarde e volta no fim da noite, ou se hospedando em algum hotel no deserto. Nós optamos pela segunda opção.

E para isso, decidimos passar 1 noite no Bab Al Shams Desert Resort & Spa, um hotel bacanérrimo que fica a aproximadamente 50 minutos de Dubai. O hotel fica no meio do nada, cercado de areia por todos os lados e algumas pequenas dunas.

 

Além da vibe desértica no seu entorno, o Bab Al Shams é todo decorado com tema árabe e construído com material próprio para manter a temperatura dentro dos quartos mais amena (me lembrou o adobe, que vemos muito pelas ruelas de San Pedro de Atacama).

Aliás, o hotel é árabe também no estilo de construção: são muitos corredores se entrelaçando, o que faz do lugar quase um labirinto. A cada curva, uma paisagem e um cantinho diferente que você ainda não tinha visitado, como espelhos d’água, balanços e lareiras.

O hotel tem 113 quartos muito aconchegantes, com uma salinha de estar, penteadeira, TV, máquina de Nespresso (com cápsulas à vontade, yay!) e uma cama gigantona muito confortável. Os banheiros tem banheira junto do chuveiro e amenities muito bacanas produzidos ali no Oriente Médio: até máscara facial com lama do mar Morto tem! Nosso quarto tinha ainda uma varandinha com vista para o deserto.

Quando chegamos no quarto, fomos recebidos com uma cesta de frutas enorme e vários doces árabes. Adoro esses mimos! Não esperamos nem 2 minutos e já fomos fazendo um cafézinho para provar junto com as guloseimas.

Presentinhos de boas vindas

Como o próprio nome já diz, o hotel tem um spa bem conceituado, com diversos tipos de tratamento. Além disso, também existe uma academia completa e infra de sauna liberada para os hóspedes.

O grande destaque do hotel, na minha opinião, foi a piscina de borda infinita de frente para o deserto. Na realidade, o Bab Al Shams tem um conjunto de piscinas que fica lado a lado, uma mais rasa para os pequenos e a principal, que além da vista, tem vários pontos de onde saem borbulhas que fazem massagem. O melhor é que perto da fonte das borbulhas tem tipo umas cadeirinhas esculpidas na pedra, para você ficar jogadão mesmo, que além de tudo ainda ficam na sombrinha! Além das piscinas, tem também uma jacuzzi escondida num terraço ao lado da piscina mais rasa, para quem quiser levar o relaxamento ainda mais a sério.

E como nós fomos no verãozão, a programação foi uma só: escolher uma espreguiçadeira e passar o dia relaxando na sombra e água fresca. 

Curtindo minhas borbulhas

Foi ali na piscina que vimos pela primeira vez na vida uma tempestade de areia! O tempo fechou e do nada começou um vento forte, carregando areia pra tudo quanto era lado. 5 minutos depois, tudo voltou ao normal como se nada tivesse acontecido. Bem louco!

Em questão de atividades, o hotel oferece também experiências bem interessantes sem custo para os hóspedes: a interação com falcão e a voltinha de camelo. Quando estivemos no Bab Al Shams, essas atividades aconteciam entre 17 e 18 h, logo ao lado da piscina, mas vale confirmar os horários na recepção.

Amei dar uma voltinha no camelo, mesmo sabendo que ele não estava nem aí pra mim e só ficava mastigando o que quer que tenham colocado dentro daquele saquinho que fica na boca dele. A interação com falcão também foi bem legal, apesar de dar um nervosinho (só pensava no estrago que aquele bico fino podia fazer!).

Tentando fazer amizade

Outra atividade que o hotel oferece é um tour nas dunas numa 4×4 (com custo adicional). Acabamos ficando meio sem tempo para ir nesse passeio, mas acho que deve ser bem divertido.

Um programa imperdível é assistir o por do sol. E para isso, o melhor lugar é o Al Sarab Rooftop Lounge, um restaurante que fica no 2o andar com uma vista panorâmica para o deserto. Fomos para lá no fim da tarde, pedimos uns drinks e ficamos assistindo o sol se por por trás da areia. Sensacional!

Aliás, o hotel tem diversas opções de bares e restaurantes, com culinárias diversas para vários gostos. Nós almoçamos na beira da piscina e, para jantar, escolhemos o Al Hadheerah, um restaurante típico árabe que fica anexo ao Bab Al Shams.

O Al Hadheerah tem formato de forte, todo feito de pedra natural, e serve o jantar em estilo buffet. Na verdade, é como se fosse uma experiência num acampamento beduíno: na chegada, você passa por um souk (mercado típico); no salão principal acontecem diversos espetáculos de dança do ventre e outras danças locais (fiquei muito impressionada com um dançarino que rodava sem parar durante vários minutos), além de um ato com cavalos e camelos; e na parte de trás tem tatuagem de henna, interação com falcão e voltinha no camelo.

Show de dança típica

Quase uma beduína

A comida estava incrível e era MUITA quantidade e muita opção – beirava até o exagero. De sobremesa ainda pegamos um sorvetinho turco muito gostoso (depois de ser muito zoado pelo moço que servia o sorvete, que fazia altas trapalhadas e você nunca conseguia pegar a casquinha de verdade!). Achamos que valeu muito a pena! 

Na verdade, o Al Hadheerah é bem famoso e atrai turistas que vem de Dubai só para isso. Os tours mais tops de bate-e-volta ao deserto incluem o jantar no restaurante, o que também é uma opção, caso você opte por não se hospedar no Bab Al Shams.

Ainda sobre alimentação, o café da manhã é bem gostoso e tem muitas opções de comida de várias regiões, além de uma sessão só para os pequenos. O destaque ficou para o leite de camelo e um mel branco da montanha, dois itens inéditos no meu café da manhã!

Café da manhã com itens super diferentes

Para épocas de temperatura mais amena, tem uma outra coisa que dá pra fazer que deve ser incrível: ver as estrelas. Tem um terraço dedicado a isso no Bab Al Shams, com pufes e almofadas, para você se jogar e ficar relaxando. Acho que ali deve ser muito bom de ver estrelas, porque não há muita luz em volta do hotel, o que facilita muito a visualização. Ainda, é possível sentar em volta de uma fogueira e ficar curtindo a noite. Deve ser uma delícia.

Amamos a experiência no deserto e a estadia no Bab Al Shams, mas achei pouco tempo. Acho que o ideal para se aproveitar bem o hotel são 2 noites, o que teria nos dado tempo de conhecer outros restaurantes, fazer o tour de 4×4 e aproveitar mais a calmaria da região para descansar. Ainda assim, valeu muito a pena a visita.

 

Quer ver mais detalhes do Bab Al Shams? Confira a galeria abaixo.

2 em Beleza/ Destaque/ pele/ Publieditorial no dia 20.09.2017

Alerta para peles oleosas: SEROZINC!

Há algumas semanas eu cheguei na minha dermatologista (Dra Vanessa Metz) e ela tirou uma coisa da bolsa pra mim. Ela me deu uma embalagem que mais parecia uma água termal e eu não entendi bem. O que ela me falou foi: você precisa testar esse lançamento para peles oleosas, acho que você vai amar!

Foi esse meu primeiro contato com Serozinc, passaram alguns dias e chegou o produto aqui em casa. Mal sabiam eles que eu já estava usando o produto, ele era um item que estava na minha bancada em fases de testes para virar mesmo pauta no futi.

E o que é o SEROZINC?

Vou explicar o que esse produtinho meio revolucionário vai fazer na vida das mulheres de pele oleosa. A ideia é simples e maravilhosa, manter a maquiagem intacta, sem aquele brilho que aparece depois de umas horas fora de casa. Serozinc traz todo frescor das águas da La Roche-Posay, mas muito mais, ela é única no mercado e é sobre isso que falarei.

 

A La Roche-Posay é FAMOSA por ter uma linha completa de produtos específicos para quem possui pele oleosa como eu, por isso nesses 7 anos e meio a marca apareceu aqui dezenas de vezes. Agora ela trouxe para o Brasil Serozinc, uma água em spray multifunções que deixa a pele mate, com ação purificante, antioleosidade e antiporos dilatados.

O produto é dermatológica e oftalmologicamente testado. A fórmula é “minimalista” (amei esse termo!)  com três ingredientes: água purificada, sulfato de zinco (que explica a ajuda pra nossa pele olesoa) e cloreto de sódio. Como todo mundo já sabe o zinco é reconhecido pelas propriedades matificantes e de antioleosidade. Já existem hoje muitos estudos que mostram que ele reduz a oleosidade, o brilho e os poros dilatados (por isso eu amo esse ativo)!

Agora vou contar mais da minha experiência pra vocês!

Não sei vocês, mas eu fico chateada quando estou correndo entre eventos e compromissos e vejo minha pele começar a ficar brilhando, a oleosidade vai aparecendo e eu fico num misto de vontade de passar mais pó (que deixa tudo mais pesado) ou tirar o brilho (sem tirar a make). Algumas pessoas lidam com isso com aqueles lencinhos anti oleosidade, eu confesso que não consegui aderir a minha rotina, apesar de achar a proposta ótima e por isso faço parte do time de mulheres que amou a ideia de Serozinc, que não contém perfume e nem conservantes.

Esse produto atende a demanda da mulher que volta do almoço com a pele brilhando e quer matificar a maquiagem sem retirar nada. A ideia é que um jato resolva tudo, uma borrifada solucione o brilho.

Não sei se vocês sabem, mas no Brasil somos muitas as mulheres que tem tendência a oleosidade e acne, por isso tantas de vocês falam comigo sobre esse assunto. Pode até parecer que somos minoria, mas não somos não. Nesse caso manter a pele matificada e tratada é mais do que uma questão de estética, é uma questão de saúde/ higiene da pele. Quanto mais tratada e bem cuidada, menos espinhas vão surgir.

No meu caso o calor do Rio de Janeiro complica tudo, assim como as viagens pra lugares muito úmidos ou abafados. Esse tipo de produto não pode faltar nem na minha bancada, nem na minha necessaire.

 

Esse produto é algo muito simples de usar: Basta uma borrifada do spray matificante. A intenção é trata os poros, substiutir os lencinhos ou até mesmo os pós matificantes. Eles são ótimos pare de vez em quando, mas aplicar todo dia na rotina pode entupir ainda mais os poros e deixar o visual da maquiagem mais carregada. 

No meu caso eu usei e já senti melhoras no quesito da durabilidade da minha pele. Me deu uma sensação de limpeza por não ficar brilhando, a pele ficou  mais mate. Para mim essa coisa do mate vai muito além da moda do acabamento, como sofri com a oleosidade a vida toda, ficar com a pele sem pontos de brilho ou suor me faz ter uma sensação de limpeza ímpar. Brilho? Só onde eu taco muito iluminador. 

 

Outra vantagem aparente? O produto parece durar bem, ou seja, um investimento que dura e é ideal para a Brasileira. Ele custa R$59,90 e pode ser encontrado nesse link na Drogaria São Paulo.

Eu particularmente recebi esse produto primeiro da minha dermatologista, então sabia que estaria liberada para usar, mas sempre recomendo que você procure a sua antes de testar. Cada pessoa tem um tipo de pele, então não deixe de consultar seu dermatologista. 

Eu feliz usando a minha pra mostrar pra vocês! :)

Ah! A marca compartilhou uma informação que eu gostei muito:

“Serozinc proporciona uma ação adstringente e antioleosidade, mas também calmante, suavizante e refrescante. O produto foi testado em 40 homens e mulheres, de 18 a 40 anos, que possuem pele com tendência à oleosidade e à acne. Os voluntários utilizaram o Serozinc duas vezes ao dia na face durante quatro semanas; 73% dos voluntários afirmaram que Serozinc deixou a pele menos brilhosa, enquanto 71% afirmaram que o produto diminuiu a oleosidade.”

Dá mais vontade ainda de testar não é mesmo?

Espero que vocês curtam esse lançamento tanto quanto eu to curtindo. <3

Beijos